Dovizioso é impagável para a Ducati!

Meus camaradas, mais uma corrida incrível! Que ano incrível, apesar de todos os problemas e restrições, o MotoGP está conseguindo colocar um espetáculo fascinante no asfalto.

Hoje, além de tudo, teve a dimensão humana no problema de Dovi com a Ducati, teve drama na sorte que Valentino teve no acidente terrível, que espetáculo. Nem lembrei de Marc Marquez.

A grande notícia é que Dovi sai da Ducati. Porque ela não consegue pagar os seus esforços, simples assim. Dovi é impagável no seu ofício de tirar da moto mais difícil e feia na pista, vitórias.

Hoje quase repetiu Lorenzo, pois no dia em que se separou da marca, venceu e provou para a Ducati que eles estão no mínimo equivocados em seus discernimentos. A diferença é que Lorenzo foi chutado, Dovi chutou. Chutou com classe e botou cereja em cima. A máscara de Covid serviu para disfarçar a cara amarela de Davide Tardozzi no pódium.

Todas as pedrinhas de todos os circuitos sabem que Dovi fez e faz o melhor trabalho possível com as Desmosedici. Sua experiência no equipamento é visível e rende pontos no campeonato. Vai ao limite e não cai, aproveita ao máximo os pontos fortes da moto. Dizer que tem que esperar as provas para decidir foi um tapa na cara de Dovi, que já provou tudo o que teria para provar para o mundo. Se a Ducati Corse não pode pagar, alguém paga, ou ele fica em casa.

As Ducati de GP tem 3 qualidades em sequencia: Motor, estabilidade na freada forte, confiabilidade. Mas claramente tem as linhas mais limitadas de todas, claramente tem o pior apex e o pior miolo de curva. Talvez a Honda seja tão ruim quanto. Ver a Suzuki comboiando elas dá até pena. Como a Suzuki é mais no chão… muita coisa. A estratégia da Ducati é chegar na frente na curva, empurrando no motor, freia lá dentro, bota a barca atravessada na frente, segura a curva do amigo e assim que pode, afunda a mão de novo, usando o motor para abrir. Mesmo que o outro piloto mude a linha um pouco, a quebra de embalo do outro é suficiente para manter a Ducati na frente. Isso mói pneus, isso é crítico e tenso. Não pode errar nada. Hoje Jack errou na última volta, perdeu a posição. Jack fez uma excelente corrida. O problema dele hoje é que Dovi ainda é melhor e Mir fez uma corrida excepcional.

Dovi não erra. Dovi não cai. Dovi vence. Dovi marca pontos. Não pode ser tratado como um novato, e a Ducati fez isso, tratou-o como um novato. Taí, deu-se mal novamente, um clássico já desta administração. Defendo que os alemães tem que mudar tudo por lá.

Com Dovi vencendo e Jack no pódium, foi um ótimo dia para a Ducati, mesmo com Petrux lá atrás e com Zarco destruindo sua moto.

As KTM vinham bem, otimamente na primeira parte antes do acidente. Pol Espargaró está muito mordido com a vitória de Binder, muito afobado, querendo provar que é melhor que o calouro. De fato foi uma injustiça danada a primeira vitória não ser com ele, mas ele tem que se conformar e botar a cabeça no lugar. A moto parece ter muitas qualidades, entre elas potência no motor para enfrentar as Desmos. Hoje faltou um pouco de sorte e eu não entendi bem o acidente dele com o Miguel Oliveira. Ficou claro que ele errou a curva, mas não ficou claro a cagada que o Miguel fez, pois parece que o Miguel raspou ele. Em um dia em que Pol estava rápido, Binder rápido e Miguel rápido também. Só Binder chegou no fim, pouco para o que a KTM mostrou na pista.

As Suzukis estão muito boas né? Bota um Dovi em cima dela e é moto para disputar o campeonato. Rins e Mir não são ruins, longe disso, mas a moto está na frente deles. Hoje Rins perdeu a moto quanto tentou a liderança, parece que foi otimista demais com o grip disponível. Ou, como diria o filósofo Stoner: “Obviously your ambition outweighs your talent”, kkkkk. Fez bonito, escorregar deste jeito disputando a ponta é válido. Lamenta-se mas não é mico. Mir está crescendo e hoje fez uma belíssima corrida, primeiro pódium. Foi paciente e forçou Miller até o final, sendo recompensado com um erro suficiente para ultrapassar e beliscar o segundo lugar.

As Yamahas não sei não… que corrida foi essa? Deste jeito Valentino não vai parar nunca, vai correr até os 50. De grão em grão daqui a pouco passa Quartararo e Viñales na classificação.  Viñales só vi no final, dando ataque nos boxes, reclamando da moto, como sempre. Quartararo errou, foi lá para trás, veio recuperando e andando rápido. Deu um bote no finalzinho mas Petrux acelerou e a GP20 engoliu a M1 no tiquinho de reta antes da chegada. Se não errasse talvez chegasse ali junto do Rossi, o que é pouco para o ainda líder do campeonato. A Yamaha tem que parar com isso de funcionar em algumas pistas e apagar em outras. A moto é rápida e no chão, mas de uma maneira diferente da Suzuki. Ela parece ter uma única linha suave e boa, se for interrompida, não tem muitas opções.

As Hondas estão sumidassas, quem diria? Cal quebrado se arrasta lá atrás, Bradl anda muito lento, mais lento do que Alex Marquez. Nakagami andou bem, ali junto com o Rossi, o que para ele é ótimo. Para a Honda é péssimo. A Honda depende demais de Marc Marquez e agora tem a perspectiva de depender também do afobadinho do Pol Espargaró, sob a batuta do também esquisito Puig. Não me parece promissor.

E o acidente? Foi para Rossi pensar na vida não é? Chega uma hora em que o cara vê o quão sortudo ele é por estar a tantos anos em um esporte perigosíssimo como este, sem nenhuma sequela. Rossi é muito sortudo em corridas, hoje provou mais uma vez, pois está vivo por frações de segundo. É para pensar na vida e para nós vermos o qual rápido as motos são, o quão pesadas elas são e o risco envolvido. Em corridas sem acidentes, quase esquecemos que é perigoso, parece fácil.

Alex Barros no comentário culpou Zarco e lembrou de seu histórico. Zarco é de fato um piloto combativo e que anda com desenvoltura na área cinza, aquela área limite em que fica difícil colocar a culpa diretamente. Como na corrida passada em que ele, em minha opinião, deu um chega prá lá no Pol na área cinza. O simples fato dele ter se mantido na linha não o exime de pensar nas consequências. É um pensamento assim: “Vou ir por aqui, o outro piloto vai ter que cruzar na minha frente e vai bater. Mas como é na área cinza, como vai ser difícil de me acusar, foda-se”.

Hoje primeiro eu achei que o erro foi de Morbidelli, pois ele bateu por trás, mas Barros pensa diferente, e fez um debriefing onde a Yamaha não tinha o que fazer “under brakes” e uma vaca brava aparece na frente. Novamente uma manobra arriscada, envolvendo Zarco e resultando em acidente. Vou ver mais vezes, mas já aviso, não gosto desta “combatividade” do Zarco e não é de hoje. Acidente caro, as motos vão para a sucata, não sobrou nem motor, kkkkk, pobre Yamaha que já estava com problemas nesta área.

Minhas adoradas Aprilias correram hoje? Nem vi, uma porcaria. Já não quero mais que Dovi vá para lá, aturar mais italianos teimosos pode ser demais. Tomara que Dovi consiga uma KTM, uma Suzuki, uma Haojue…

Semana que vem tem mais, repeteco. Pol vai aparecer mais irritado ainda. Estou torcendo muito para que Dovi seja campeão e leve o número 1 para casa, prá ver se a Audi Motorrad aprende alguma coisa com isso. Mas de todo modo, parabéns Ducati, 50 vitórias é um belo número.

Venceram de Ducati Capirossi, Bayliss, Stoner, Ianonne, Lorenzo, Petrux e Dovi

Sobre a transmissão eu estou me acostumando, e está melhorando. É um processo. Lento. Parabéns Alex Barros. Como sou chato hoje vou reclamar que cortaram a entrevista de Jack Miller para colocar um anúncio de Futebol. Imperdoável.

Até semana que vem amigos
Mário Barreto.

2 comentários em “Dovizioso é impagável para a Ducati!”

  1. Não entendo porque no meio da temporada já aparece essas notícias que acabam desmotivando os pilotos,troca troca de pilotos tinham que ser falado somente no final dos campeonatos!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.