Todos os posts de Mário Barreto

Historiador, Publicitário e Pioneiro na Computação Gráfica. Começou em publicidade na Artplan Publicidade, no estúdio, com apenas 15 anos. Aos 18 foi para a Propeg, já como Chefe de Estúdio e depois, ainda no estúdio, para a Agência da Casa, atual CGCOM, House da TV Globo. Aos 20 anos passou a Direção de Arte do Merchandising da TV Globo onde ficou por 3 anos. Mudando de atuação mais uma vez, do Merchandising passou a Computação Gráfica, como Animador da Globo Computação Gráfica, depois Globograph. Fundou então a Intervalo Produções, que cresceu até tornar-se uma das maiores produtoras de Computação Gráfica do país. Foi criador, sócio e Diretor de Tecnologia da D+,depois D+W, agência de publicidade que marcou uma época no mercado carioca e também sócio de um dos primeiros provedores de internet da cidade, a Easynet. Durante sua carreira recebeu vários prêmios nacionais, regionais e também foi finalista no prestigiado London Festival. Todos com filmes de animação e efeitos especiais. Como convidado, proferiu palestas em diversas universidades cariocas e também no 21º Festival da ABP, em 1999. Em 2000 fundou a Imagina Produções, onde é Diretor de Animações, Filmes e Efeitos até hoje. Foi Campeão Carioca de Judô aos 15 anos, Piloto de Motocross e Superbike, mantém até hoje a paixão pelo motociclismo, seja ele off-road, motovelocidade e até Harley-Davidson. É Presidente do ForzaRio Desmo Owners Club e criou o site Motozoo®, onde escreve sobre motociclismo. Maiores informações em: http://www.imagina.com.br/

Pecco não deu mole!

E hoje Pecco Bagnaia e a Ducati não deram o menor mole. Fizeram a pole, largaram muito bem e desde a primeira curva foram para a ponta e controlaram a prova na Holanda.

Já o campeão Fabio Quartararo deu muito mole e marcou ZERO pontos em uma prova em que podia até relaxar, tamanha a sua vantagem nos pontos neste ponto do campeonato. Não largou mal, chegou a andar em segundo, caiu para terceiro e foi afobado ao colocar por dentro ao tentar passar o Aleix Espargaró. Curva 5, a moto escorregou, tirou o Aleix da pista e raspou sua M1 no chão. Ainda voltou, com a moto sem asinha do lado esquerdo, parou no box, saiu de novo, só para levar um super estabaco e sair mancando. Graças a Deus não foi nada demais, mas achei que foi outro vacilo voltar e se arriscar com a moto empenada. Deu muito mole… tinha ritmo até para vencer, podia chegar em terceiro passeando… mas… corridas são corridas e por isso amamos o MotoGP… a qualquer momento as motos podem cair. Como já caíram muitas vezes este ano para a Ducati.

De Pecco não há mais o que falar, baixou a cabeça e meteu a mão até o fim.

Porém, o pódium foi inusitado. Com a saída do campeão e com Aleix indo lá para trás, abriu-se um espaço que foi preenchido por novas figuras, Marco Bezzecchi e Maverick Vinales!

O rookie Bezzecchi fez um corridaço, virando seguro e rápido com sua bem acertada GP21. Controlou sua distância da ponta, chegando em alguns momentos até a encostar um pouco, mas duvido que ele teria a autorização para botar pressão mesmo na Ducati Corse oficial de Bagnaia. Controlou bem a chegada dos terceiros, primeiro Martin e depois Viñales. Bezzecchi vem fazendo uma estréia muito boa no MotoGP, melhorando cada prova e foi o seu primeiro pódium, depois de fazer a Pole Position** em uma corrida passada que não lembro agora. A VR46 em festa!

** Fez pole não, o Bertrand me lembrou aqui que quem fez a pole foi o Fabio Di Giannantonio….

Maverick Viñales finalmente consegue um bom resultado em sua nova casa. É outro que vem melhorando junto com a moto, ofuscado pelo Aleix, que ainda anda muito mais com a Aprilia do que ele, mas é bom ver o Maverick se recuperando. A Aprilia está a cada dia andando mais… a RSGP 22 nasceu boa e eles estão a cada dia com mais dados para regular elas. Ano que vem com quatro motos isso vai melhorar ainda mais, se nada der errado a Aprilia vai voar. Quase tem asa prá isso, pois sua asa dianteira é a maior de todas no paddock.

Aleix andou como um demônio, após ser colocado prá fora da pista pelo Quartararo. Deu muita sorte de não cair e depois foi muito competente para vir lá de trás passando geral, batendo o recorde da pista e finalizar com uma passada dupla sobre Binder e Miller na última curva da última volta e beliscar um quarto lugar. Chegou no box tonto com tanto esforço, siderado, mas depois ficou super contente. Descontou muitos pontos do Quartararo no campeonato, aceitou as desculpas do francês e vai para o break do campeonato feliz da vida. Reduziu  a sua desvantagem para apenas 21 pontos.

Hoje vi o Binder na pista. A KTM não está assim tão lenta… ela está é demorando muito para ficar pronta. Treina mal, larga mal, e vai melhorando durante as provas. Andando muito mais do que as Hondas, por exemplo. Andando muito mais do que as “outras” Yamahas. Hoje Binder chegaria em um ótimo quarto lugar, mas não contou com o demônio do Aleix Espagaró chegando enlouquecido!

De resto posso comentar que Martin perdeu desempenho no final, que Miller até fez uma corrida razoável, uma vez que foi penalizado com uma volta longa. As Suzukis foram discretas, assim como Zarco e Enea Bastiannini. Me dá uma certa pena do Andrea Dovizioso e Morbidelli… porque estão passando por isso?

E, quem diria, os japoneses foram totalmente derrotados hoje. Deu Europa até o sétimo lugar, com a Suzuki chegando em oitavo com o Mir. E as duas KTM’s oficiais por ali. Nenhuma Yamaha chegou até o fim, e a primeira Honda foi Nakagami em “dôzimo”. Alex Marquez pulou fora, vai andar de Ducati ano que vem. Ano que vem será muito pior, sem Suzukis e com menos duas Yamahas!!!! Quem diria?

Quem diria? Deu Ducati – Ducati – Aprilia – Aprilia!

Parabéns Ducati Corse, parabéns Pecco Bagnaia. Parabéns Bezzecchi e Aprilia com Viñales e Aleix. Que venha o break de verão deles lá. Bom que dá uma saudadezinha.