Finalmente! Aprilia!

E depois de 11 vitórias seguidas da Ducati, finalmente outra moto vence no MotoGP. Poderia ter sido a KTM/GasGas? Sim! Poderia ter sido a Aprilia? Sim! Poderiam ter sido as japonesas? JAMAIS!!!!

E que bom que foi a Aprilia, que neste fim de semana reinou na pista. A Ducati não conseguiu hora nenhuma botar na pista um conjunto que se aproximasse do de Maverick Viñales+RSGP24. Mavecão surrou todos na pole position espetacular, Mavecão venceu a Sprint Race de ponta a ponta e hoje não largou bem, passou primeira volta em nono, mas veio passando todo mundo para vencer com certa tranquilidade.

Neste fim de semana todo, ninguém tinha um conjunto para botar de frente. Marc Marquez estava feroz em “sua” pista, estava na ponta quando caiu, mas certamente seria atropelado pelo Viñales. Uma pena, pois seguraria um segundão, seria novamente primeira Ducati, mas estabacou-se no terço final da prova. As outras Aprilias não se apresentaram tão bem, esta RSGP24 parece que caiu como uma luva para o Viñales.

Maneiro o troféu

Estes tombos de MotoGP são engraçados não é? Na TV, porque parece que o piloto não fez nada de errado e as motos simplesmente saem de baixo. Olhando ao vivo é outra parada… estas motos assustam com sua capacidade de aceleração e estes pilotos assombram com suas capacidades de as pilotarem no limite do limite. Todos os anos a nossa equipe que cuidava do MotoGP aqui no Rio de Janeiro parava tudo e ia para o muro do Pit Lane ver a primeira passada das motos na reta de largada. Sempre era muito impressionante… a aceleração das motos crescendo da curva da vitória até a saída do box… uma coisa que os americanos chamam de mind blender… Nas primeiras vezes o cérebro entra em pânico, porque a velocidade que as motos alcançam na aceleração, é algo fora do padrão. Qualquer vacilo, é chão. Marc Marquez deve ter vacilado em alguma coisa e pá, chão. Uma pena, estava ele também fazendo uma grande corrida e seria o máximo uma vitória dele, que contava com toda a torcida local.

O moleque está infernal. Em quarto no campeonato. Não cai.

Voltando para a corrida, vimos lá na ponta Martinator brigando para ficar na ponta, acossado por um ainda surpreendente Pedro Acosta, Marc Marquez e até Pecco Bagnaia. Porém, com o tempo de prova vimos que o Tubarão Acosta manteve-se competitivo, Jorge Martin em cada volta com maiores dificuldades e teve que ceder a ponta primeiro para o Acosta e depois para Marc Marquez. A liderança de MM durou pouco, mas quando o Acosta assumiu a ponta, já estava claro que o Viñales era o favorito para vencer. Viñales ignorou Jack Miller, Las Bestia, Bagnaia, Martin e Acosta. Só não teve que dispensar o MM, que caiu antes. Quando a moto está boa, não tem jeito. Virando meio segundo mais rápido por volta, é chegar e passar. Hoje, e ontem, e na sexta, ele estava assim.

A Aprilia é uma marca que não tem a repercussão da Ducati no mundo, as pessoas inclusive tem a mania irritante de, não imagino porque, chamar a marca de Asprila… porque seria? A Aprilia com Jan Witheveen criou a RSW 250 de GP que ganhou muitos títulos no antigo campeonato de 250cc. Capirossi, Valentino Rossi, Max Biaggi, Jorge Lorenzo e outros foram campeões de Aprilia, que mandava na categoria.

Jeremy McWilliams de RSW500-2

Sua história na categoria top também é extensa, maior, e com mais envolvimento do que o da Kawasaki ou Suzuki, por exemplo. Nas antigas 500 2T a Aprilia disputou com a sua RSW500-2 de dois cilindros, uma moto que não se mostrou competitiva frente as 4 cilindros de Honda, Yamaha e Suzuki, mas fez pódiums e 2 voltas mais rápidas.

Noriyuki Haga de RS Cube

Quando a categoria mudou para 4T, a Aprilia apresentou a sua RS Cube, uma moto revolucionária para a época, com Ride-by-Wire, comando pneumático em um motor de 3 cilindros desenvolvido com a Cosworth. A moto era um foguete nas mãos de Haga e Colin Edwards, mas a Aprilia já estava enfrentando problemas financeiros que levaram a sua venda para o grupo Piaggio e logo depois a morte de seu Presidente e entusiasta Ivano Beggio.

A Aprilia CRT baseada na RSV4

Quando tivemos a categoria CRT, a Aprilia se fez presente, com uma moto baseada na sua incrível RSV4, um projeto de Gigi Dal I’gna que foi três vezes campeão no WSBK.

A vencedora do fim de semana, a RS-GP 2024 de Romano Albesiano

Resolveu voltar com tudo, com uma equipe oficial, não tem muitos anos. Fez um acordo com o Gresini, que rodava uma equipe quase oficial, até assumir o controle e melhorar drásticamente as suas motos de GP. Quem assumiu o papel de Gigi foi Romano Albesiano, que vem desenvolvendo a moto. Até 2019 era um V4 a 72 graus, e de 2020 para cá, um V4 a 90 graus, como todas as outras V4 do campeonato. A moto tem fama de ser a mais desenvolvida na aerodinâmica, mas a Aprilia não consegue montar um ataque consistente no campeonato. A moto vai bem em uma prova, e fracassa nas outras.

Emendar duas provas indo super bem, com o mesmo piloto, como aconteceu agora, em Portugal e EUA, é uma novidade para a marca. Vamos torcer para que esta tendência se mantenha e a Ducati finalmente tenha que suar um pouco.

La Bestia, Enea Bastianini

Em terceiro chegou La Bestia, que também teve que escalar o pelotão e está andando muito bem. Está sorridente, em segundo no campeonato e crescendo com a moto, que inicialmente não se revelou a mais adequada para o seu estilo. Gosto muito dele, e torço por sua carreira que, ao que tudo indica, será fora da Ducati. Com Viñales andando o que está andando e com Aleix já falando em aposentadoria, ele seria uma boa opção para a Aprilia, pois é italiano. Mas já rolam fofocas de que a Aprilia já se acertou com Jorge Martin… será?

A Yamaha parece que abandonou este campeonato de 2024, está usando as corridas como testes de luxo e a Honda, das quatro motos que largaram, chegou uma, em último e longe, com Luca Marini. Para vocês verem como a moto é ruim e como o Marc Marquez é bom, porque mesmo com ele sofrendo de problemas, e mesmo com uma moto ruim, ele estava constantemente nos top 10.

Finalmente!

Parabéns Maverick Viñales, o primeiro piloto na história do MotoGP a vencer por 3 fabricantes diferentes. Está mais equilibrado, parou de falar besteiras e agora, voltou a vencer. Campeão do Mundo em 2013, sempre foi rápido, esta foi a sua décima vitória, o que não é fichinha não. Sempre gosto de lembrar que o Joan Mir, campeão do mundo em 2020, tem apenas 1 vitória, e que o nosso campeão Alex Barros, tem 7 vitórias.

Que venham as corridas européias. Que a Aprilia mantenha a pressão. Que a KTM, Acosta e Cia mantenham a pressão, que MM mantenha a pressão, que as japonesas melhorem. Amém.

O Sonic deu a bandeirada!!!

Publicitário, Designer, Historiador, Jornalista e Pioneiro na Computação Gráfica. Começou em publicidade na Artplan Publicidade, no estúdio, com apenas 15 anos. Aos 18 foi para a Propeg, já como Chefe de Estúdio e depois, ainda no estúdio, para a Agência da Casa, atual CGCOM, House da TV Globo. Aos 20 anos passou a Direção de Arte do Merchandising da TV Globo onde ficou por 3 anos. Mudando de atuação mais uma vez, do Merchandising passou a Computação Gráfica, como Animador da Globo Computação Gráfica, depois Globograph. Fundou então a Intervalo Produções, que cresceu até tornar-se uma das maiores produtoras de Computação Gráfica do país. Foi criador, sócio e Diretor de Tecnologia da D+,depois D+W, agência de publicidade que marcou uma época no mercado carioca e também sócio de um dos primeiros provedores de internet da cidade, a Easynet. Durante sua carreira recebeu vários prêmios nacionais, regionais e também foi finalista no prestigiado London Festival. Todos com filmes de animação e efeitos especiais. Como convidado, proferiu palestas em diversas universidades cariocas e também no 21º Festival da ABP, em 1999. Em 2000 fundou a Imagina Produções (www.imagina.com.br), onde é Diretor de Animações, Filmes e Efeitos até hoje. Foi Campeão Carioca de Judô aos 15 anos, Piloto de Motocross e Superbike, mantém até hoje a paixão pelo motociclismo, seja ele off-road, motovelocidade e "até" Harley-Davidson, onde é membro fundador do Museu HD em Milwaukee. É Presidente do ForzaRio Desmo Owners Club (www.forzario.com.br) e criou o site Motozoo®, www.motozoo.com.br, onde escreve sobre motociclismo. Como historiador, escreve em https://olhandoacidade.imagina.com.br. Maiores informações em: https://bio.site/mariobarreto

Deixe seu comentário!

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.