Honda CB500X

Meus camaradas, o teste Motozoo® da vez é com a Honda CB500X.

Eu tinha quase acabado de devolver a Neo 650, que curti muito e tinha certeza de que seria uma motoca perfeita para o dia a dia. E agora? Onde encaixar uma CB500X na minha vida? A moto é também muito perfeita para o dia a dia! Por isso, quando estamos bem de grana, temos que ter uma meia dúzia de motos, no mínimo!!!! As pessoas não entendem isso. Principalmente o síndico do prédio…

Ao pegar a moto eu já saí curtindo muito. Gostei do porte, altinha e grandinha mas sem ser altona e grandona. Leve, boa proteção para o piloto, bolha na altura certa, pois quando é muito alta a moto fica com o cockpit muito quente por falta de vento. O painel é quase igual ao da Neo. A embreagem a mesma manteiga. Não tem entrada de USB prontinha, o que eu acho um furo danado, tudo tinha que vir com entrada USB hoje em dia, até garrafa de CocaCola. Mas tem lá o lugarzinho para instalar. Custaria nada já vir com isso.

Tirando onda na Produtora

O acabamento é do tipo Honda, o que quer dizer peças bem encaixadas, nenhuma vibração ou barulho de carenagens, tudo certinho. Esta X tem ali atrás do painel umas ferragens para segurar a bolha e colocar acessórios que é muito legal. Dá um toque esporte e mais rústico que as vezes faz falta na Honda, mas que não faz falta em uma SportTouring. Esta é a categoria oficial dela.

Tão aí as ferragens que eu curti

Lançada na Europa em 2013 em R, F e X, elas vem recebendo modificações, mas o motor paralelo Twin é praticamente o mesmo. E este motor é o responsável maior pelo caráter e comportamento da moto. Ela é basicamente mansa, não é uma moto brava. O motor é médio em tudo. Não anda muito, mas não anda pouco. Não tem má vontade para subir de giro, mas também não urra. Vibra pouco. É que pelo porte, conforto e posição de dirigir, vc as vezes esquece que está em uma moto de apenas 500 cc e espera mais motor. É linear, não é torcudo. Onde este motor é bom demais é no consumo. Na cidade fez fácil 34 km/l comigo. Na estrada 26.6 km/l. Acho sensacional para uma 500cc.

Na cidade o guidon é meio largo. Tem que tomar cuidado. Em São Paulo e suas pistas estreitas, deve ser ruim. A posição de pilotagem é ótima, o banco muito confortável, a moto muito silenciosa e faz boa figura, impressiona com o seu porte. Direção bem levinha.

Guidon larguinha

Tive a sorte de encontrar o amigo do amigo com uma 500X antiga e aro 17 na frente. Achei um upgrade e tanto!!! A antiga pareceu-me velha com o painel antigo, piscas de lâmpada e roda pequena. E a roda pequena não me pareceu dar melhor dirigibilidade na estrada.

Fiz uma pequena viagem com a moto e foi um barato. Achei que o painel piscou a luz de alerta de giro muito cedo, achei que a média que ela consegue manter tranquilo é de uns 130 km/h. Acelerei tudo e deu uns 168 km/h no painel. Meus companheiros de viagem tiveram a sensação que ela é rápida, eu não muito. Nada a falar dos freios, são competentes. Nada a falar da iluminação, competente. Pegamos chuva, a proteção é muito boa e a suavidade da moto ajuda muito nestas condições difíceis.

Só faltou pegar uma estrada de terra. Fica para uma próxima. Para quem curte modificações de motos, vejam o que eu achei de acessórios e equipamentos para ela em RallyRaid, onde você basicamente transforma ela em uma KTM, kkkkk.

Resumindo… estou na dúvida se gostaria mais dela ou da 650 Neo. A Neo é mais avançada de tudo, tem um motor gostosão, controle de tração, é pequena no transito. Mas a CB500X é mais confortável, bebe muito menos, esquenta nada. Droga, é para ter as duas. E mais algumas. Linda moto, devolvi triste também. A Honda podia nos dar estas motos!!! kkkkkkk.

Obrigado por lerem até aqui. Vamos aguardar a próxima.

Mário Barreto

Publicitário, Designer, Historiador, Jornalista e Pioneiro na Computação Gráfica. Começou em publicidade na Artplan Publicidade, no estúdio, com apenas 15 anos. Aos 18 foi para a Propeg, já como Chefe de Estúdio e depois, ainda no estúdio, para a Agência da Casa, atual CGCOM, House da TV Globo. Aos 20 anos passou a Direção de Arte do Merchandising da TV Globo onde ficou por 3 anos. Mudando de atuação mais uma vez, do Merchandising passou a Computação Gráfica, como Animador da Globo Computação Gráfica, depois Globograph. Fundou então a Intervalo Produções, que cresceu até tornar-se uma das maiores produtoras de Computação Gráfica do país. Foi criador, sócio e Diretor de Tecnologia da D+,depois D+W, agência de publicidade que marcou uma época no mercado carioca e também sócio de um dos primeiros provedores de internet da cidade, a Easynet. Durante sua carreira recebeu vários prêmios nacionais, regionais e também foi finalista no prestigiado London Festival. Todos com filmes de animação e efeitos especiais. Como convidado, proferiu palestas em diversas universidades cariocas e também no 21º Festival da ABP, em 1999. Em 2000 fundou a Imagina Produções (www.imagina.com.br), onde é Diretor de Animações, Filmes e Efeitos até hoje. Foi Campeão Carioca de Judô aos 15 anos, Piloto de Motocross e Superbike, mantém até hoje a paixão pelo motociclismo, seja ele off-road, motovelocidade e "até" Harley-Davidson, onde é membro fundador do Museu HD em Milwaukee. É Presidente do ForzaRio Desmo Owners Club (www.forzario.com.br) e criou o site Motozoo®, www.motozoo.com.br, onde escreve sobre motociclismo. Como historiador, escreve em https://olhandoacidade.imagina.com.br. Maiores informações em: https://bio.site/mariobarreto

8 comentários em “Honda CB500X”

  1. Como de costume, leitura leve, agradável e objetiva. Faz falta uma opinião sincera dessas no meio motociclístico. Hoje em dia, quase todo material que se encontra parece saído de um release do fabricante.
    Parabéns, Mario!

  2. Realmente seus testes são importantes para ajudar as pessoas que não possuem conhecido técnico e experiência adequadas Parabéns

Deixe seu comentário!

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.