Enea de volta!!!

Repeti o esquema de ontem, botei o despertador para 3:55h e fui novamente para a sala ver a corrida do MotoGP. Eu já não tenho saúde para ver Moto3 e Moto2 em horários e dias normais, na madrugada então… não consigo “mermo”. Fico admirado com a saúde e disposição da galera que faz a transmissão, espero que seja um trabalho bem pago, porque é dureza.

Dia quente por aqui e por lá também, as Ducati tensas na largada, acho que nunca vi no MotoGP corridas com tantos pilotos bem equipados para a vitória. Qualquer um, desde que equipado com uma Ducati, em teoria, pode ganhar.

Veio a largada e depois do costumeiro bololô das primeiras curvas, La Bestia foi para a ponta e aproveitando sua GP23 reguladinha, não deu chance para ninguém. Nem para o Alex Marquez que mandou na corrida de ontem. Ele mesmo declarou, mas hoje provou que não passou o Bagnaia ontem por educação e bom senso. Fez uma corrida ótima, virando rápido com constância e sem erros, não deu chances para ninguém. Como é bom ver o Enea andando forte de novo e como foram sortudos o Pecco e o Jorge Martin, porque se ele não é machucado pelo Luca Marini no início do campeonato, a vida dos dois seria mais complicada. Do Enea não tem mais o que falar… largou bem, da primeira fila, pegou a ponta e despachou geral.

Alex Marquez, e Enea também, chegou (chegaram) mortos no final da corrida, estava quente. Deu tudo também, andou muito bem e também não deu chances para ninguém. Não conseguiu se aproximar do hoje intocável Enea, mas abriu quase 2 segundos do terceiro colocado e assim foi até o fim. Muito bom e estava feliz. Não é para menos, vitória na Sprint Race e segundão na corrida principal, tá ótimo para quem corre com uma moto do ano passado.

Pecco hoje recuperou alguns pontinhos sobre o Jorge Martin e mostrou competência no mano a mano. Na quarta volta Martinator forçou na freada, passou duas vezes mas levou o X milimétrico na mesma hora. Na última retomada Pecco botou por dentro e brotou na frente do Martinator dando 1 milímetro de espaço. E isso porque antes fez por fora, quase passou, mas ganhou embalo para a ultrapassagem mais a frente. Foi forte, foi bonito e deu uma segurada no espanhol, que a partir daí sossegou o facho e disse depois que correu para não cair, porque quase caiu diversas vezes antes deste pega. Pecco não teve conjunto para vencer ontem nem hoje, mas limitou os danos, abriu mais dois pontinhos, que não são nada, e empurrou a decisão mais para frente. Tá duro, ontem Martin foi melhor, hoje Pecco foi melhor.

Jorge Martin, mesmo deixando abrir mais dois pontinhos, foi bem hoje. Ficou fora do pódium mas andou bem ontem e hoje, Teve a cabeça de desistir hoje, quando viu a determinação e velocidade do Pecco Bagnaia, um controle que já vimos faltar nele.

Em quinto chegou um surpreendente Fabio Quartararo, que teve oportunidade de colocar bons pegas com a Ducati do Bezecchi e também com a KTM do Miller, e saiu vencedor. Para ele uma vitória. Quinto lugar com a M1 de hoje, é uma vitória. Morbidelli chegou logo depois em sétimo, o que mostra que a Yamaha colocou uma moto decente na pista hoje. As Aprilias sumiram, bem como Zarco que não vi na pista. Nem nenhuma Honda.

A fofoca do momento é Luca Marini na Honda… fraco. O seu maior ponto de venda é “ser irmão do Rossi”, nunca foi campeão e leva couro do companheiro de equipe. A Honda tinha que convencer Casey Stoner a fazer a moto nova!!! Juro.

Então foi isso, a aflição continua. A próxima corrida será no Qatar, um horário melhor prá gente e uma pista e corrida que eu gosto muito. Esta decisão vai para a última, as Ducati não quebram e também não caem, devem perdoar seus pilotos nos erros, coisa que as Honda não fazem, derrubam sem dó todos que tentam correr, MM, Mir e Nakagami. Lekuona é café com leite.

Até.

Publicitário, Designer, Historiador, Jornalista e Pioneiro na Computação Gráfica. Começou em publicidade na Artplan Publicidade, no estúdio, com apenas 15 anos. Aos 18 foi para a Propeg, já como Chefe de Estúdio e depois, ainda no estúdio, para a Agência da Casa, atual CGCOM, House da TV Globo. Aos 20 anos passou a Direção de Arte do Merchandising da TV Globo onde ficou por 3 anos. Mudando de atuação mais uma vez, do Merchandising passou a Computação Gráfica, como Animador da Globo Computação Gráfica, depois Globograph. Fundou então a Intervalo Produções, que cresceu até tornar-se uma das maiores produtoras de Computação Gráfica do país. Foi criador, sócio e Diretor de Tecnologia da D+,depois D+W, agência de publicidade que marcou uma época no mercado carioca e também sócio de um dos primeiros provedores de internet da cidade, a Easynet. Durante sua carreira recebeu vários prêmios nacionais, regionais e também foi finalista no prestigiado London Festival. Todos com filmes de animação e efeitos especiais. Como convidado, proferiu palestas em diversas universidades cariocas e também no 21º Festival da ABP, em 1999. Em 2000 fundou a Imagina Produções (www.imagina.com.br), onde é Diretor de Animações, Filmes e Efeitos até hoje. Foi Campeão Carioca de Judô aos 15 anos, Piloto de Motocross e Superbike, mantém até hoje a paixão pelo motociclismo, seja ele off-road, motovelocidade e "até" Harley-Davidson, onde é membro fundador do Museu HD em Milwaukee. É Presidente do ForzaRio Desmo Owners Club (www.forzario.com.br) e criou o site Motozoo®, www.motozoo.com.br, onde escreve sobre motociclismo. Como historiador, escreve em https://olhandoacidade.imagina.com.br. Maiores informações em: https://bio.site/mariobarreto

Deixe seu comentário!

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.