Bagnaia e Ducati perfeitos em Jerez!

Curti a corrida de Jerez. Não pensem que a corrida se resolveu logo na primeira volta, porque Pecco teve que trabalhar olhando o cronômetro a prova inteirinha. Fabio Quartararo largou muito bem e tentou chegar na primeira curva na frente. Mas não deu, Pecco largou bem também e sabendo das intenções do francês, meteu o sarrafo.

Dali o pega ficou a certa distância, não ficou coladinho como o Marc Marquez ficou no Miller, mas se o Pecco não anda o que andou, fazendo a volta mais rápida inclusive, Fabinho passava ele sem dó. Quartararo meteu a pressão que pode, apostando em um erro do Bagnaia, apostando em pneus mais desgastados no final, mas não deu certo. Pecco Bagnaia e sua Ducati estiveram perfeitos no fim de semana e não deram esta bobeira. No final deu uma diferença mínima, mas é normal que o segundo dê tudo na última volta e que o primeiro alivie um tiquinho também.

Prá vcs verem o tanto que eles deram pau na máquina o tempo inteiro, sem descanso até a última volta, abriram 10 segundos da Aprilia do Aleix Espargaró, que preso e envolvido na briga com MM e Miller, não conseguiu chegar junto.

Linda corrida de Pecco, linda corrida de Quartararo. Rápida, técnica, cerebral. Pecco aliviado, a pressão da Ducati não devia estar fácil de segurar. Vai respirar, mas é só passar mais um fim de semana ruim que a pressão volta.

Na disputa pelo terceiro lugar Miller veio segurando a Honda e a Aprilia. Esta pista é estreita demais para o MotoGP, para ultrapassar uma Ducati nela é preciso ser meio mágico, pois a pista parece ter apenas uma linha boa. A Ducati fica na frente na linha, babou, não dá prá passar, porque a saída de curva da Desmosedici é boçal.

A Aprilia é visivelmente mais ágil nas curvas, pois escolhe de que lado quer perturbar o piloto na sua frente, tipo uma Suzuki, mas o que Miller fazia com Marquez, ele fazia com o Aleix. E foram assim brigando até o final da prova, quando algumas ignorâncias teriam que ser tentadas. Em uma delas Marc Marquez mostrou ao mundo como se salva uma escorregada com ombro, uma tecnologia que ele devia patentear e vender, e em um vacilo do Miller o Aleix não perdoou e passou logo os dois.

Logo depois MM ligou o f*da-se novamente e meteu por dentro, abrindo um “borrachão” por fora na próxima curva, que conseguiu segurar. A Formiga Atômica é infernal. Chegou em um ótimo quarto lugar, novamente primeira Honda fácil.

Miller fez o que pode, desde o início era o mais lento dos 3, não daria para segurar, segurou muito até. Mas fica com o gosto ruim porque mesmo com o Pecco dando o mole de ir mal no início do campeonato, ele não aproveitou a chance e chega em quinto com seu companheiro vencendo.

Dali prá trás a TV não mostrou mais nada. Uma pena, cheio de estrelas que passaram o fim de semana sem mostrar seu brilho, como Mir, Oliveira, Binder, Pol, Dovi e outros.

A Yamaha continua a moto estranha, pois todo mundo dizia que era a mais fácil de pilotar e blá blá blá… Parece que não né? Pois só Quartararo consegue acelerar a M1. Morbidelli e Dovi se arrastam no final do pelotão.

A Ducati finalmente colocou a Desmosedici GP22 afinada na pista e Pecco faz ela até parecer fácil de andar, seu estilo é contido e a moto flui na pista.

A Honda, na mão de Marc Marquez é sempre perigosa, mas aí metade do desempenho é ele que arranca na marra.

A Aprilia, que oficialmente perdeu as concessões com este resultado, mostra-se uma moto também muito acertada para o  Aleix Espargaró apenas, visto que Maverick Viñales também não chega prá frente.

O campeonato ficou bom para a Yamaha e Quartararo. Eles são consistentes tecnicamente e emocionalmente, coisa que falta na Ducati ainda.

Hoje eu vi o Moto3 e acompanhei a corrida do Diogo para chegar em décimo. Chegou a andar em quarto um tempão mas aí foi penalizado e o ritmo subiu. Para um rookie foi outro bom fim de semana, de bom desempenho, de aprendizado. Uma revelação este garoto.

E na MotoE Eric segurou-se no sábado e no domingo e venceu as duas. Porque eu digo segurou-se? Porque até as pedrinhas dos autódromos sabem que ele é o mais rápido desta categoria. Desde o início. Mas o maior adversário do Eric parecia ser ele mesmo, pois em momentos chave dos campeonatos ele fazia alguma coisa errada e acabou perdendo todos. Segurou sua empolgação, cozinhou os líderes e nas últimas voltas deu o bote suficiente para vencer. Mandou ótimamente. Parabéns Eric. Que continue assim até vencer.

Vão todos ficar na pista para treinos, todas as motos vão melhorar.

Que venha a França!

Gostou? Então gaste alguns segundos para ajudar o Mário Barreto no Patreon!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

12 + 1 =

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.