A Formiga Atômica está de volta! Sachsenring é dele!!

Meus amigos, que corrida emocionante esta de hoje. Foi de chorar. Foi a maior choradeira no paddock. Sim, Marc Marquez venceu pela décima primeira vez seguida nesta pista, mais de 580 dias depois de sua última vitória e encerrando o jejum da Honda de 21 GP’s sem vencer.

É um piloto excepcional, ainda não está 100% recuperado de sua lesão. Segundo ele, o osso está colado e bem colado. O problema agora é o ombro que dói porque o úmero está ligeiramente “virado” no lugar. Tudo cicatrizou, consolidou, mas os músculos, nervos, ligamentos, todas as estruturas envolvidas estão em processo de recuperação e isso fez com que o osso ficasse viradinho um pouco, o que modifica o seu encaixe lá no ombro. Para uma pessoa normal isso é aceitável. Para quem tem que montar em uma RCV e dar pau no Quartararo é um tiquinho mais complicado, dói um pouco. Os médicos dizem que ele precisa de mais 1 ano para isso se resolver.

Mas hoje não teve ossinho virado que o parasse!! Todos esperavam uma boa corrida do Marc, é uma pista que ele adora e vence sempre, ele melhora fisicamente a cada dia, estava confiante para a prova. Desde que voltou ele tem corrido bem. Sempre melhor do que os outros pilotos Honda, uma vergonha para eles, mas tem caído. Sempre que forçava, caía. Este era o seu único cagasso para a prova de hoje, e realisticamente seu objetivo era o pódium. Ontem fui ver meu grande amigo e leitor Cecelo Frony tocar na pracinha (recomendo, muito bom) e ele me perguntou sobre meus prognósticos para a corrida. Perguntou: “e Marc Marquez, aposentará?”. Graças a Deus eu disse que não, e que inclusive ele iria andar bem hoje, podendo surpreender. Largar de quinto neste grid competente não é fichinha não. Segunda fila é condição de combate. Me dei bem, não posso perder meus poucos leitores e Cecelo vai lembrar disso.

Não sei se um cara que ganhou as dez últimas corridas nesta pista, ganhar a “ônzima” pode ser considerado surpresa… mas dadas as circunstâncias, foi mais ou menos isso. E foi em condições imperiais, largou de quinto prá segundo, passou Aleix Espargaró na moral, foi prá ponta de dominou a corrida até o fim. Segundo ele, a hora de vencer foi quando começaram a cair umas gotinhas, quando ele pensou: “é a minha corrida, hora de acelerar”. E fez isso, no curto período em que caíram as gotinhas ele meteu a mão e abriu a vantagem que o permitiu vencer.

Apesar da excelente corrida e ritmo de Miguel Oliveira, ele lutou mais contra ele mesmo do que contra o Miguel. O grande desconto que Miguelito tirou no tempo deveu-se muito mais a um erro do MM do que diferenças no tempo de volta. MM estava controlando suas voltas e certamente tinha de onde tirar mais caso fosse necessário. Tanto que depois do erro e nas 3 voltas finais, ele voltou a abrir da KTM.

Era o que ele precisava para completar sua recuperação, vencer. Voltou ao pódium logo em primeiro lugar, sepultando as dúvidas de que ele estaria acabado para o esporte. Para o pesadelo de todos os outros pilotos e equipes, que a partir de agora, terão que contar com ele e com o HRC na equação dos pontos. Marc Marquez é sensacional.

A KTM é que fez também uma recuperação sensacional, o que mostra o que é uma diferença técnica para o resultado em corrida. Depois do início de ano fraquíssimo, os austríacos refizeram o chassi da moto e Miguel Oliveira está arrepiando. Terceiro pódium seguido, com Brad Binder chegando em quarto, humilhando a Ducati, seu concorrente europeu. Petrux, apesar de não largar em boa posição, estava animado com o novo chassi e esperava fazer uma boa prova, ele precisa, sua batata está assando na equipe, mas envolveu-se em um acidente logo no início da prova com Alex Marquez e vai ter que mostrar serviço na próxima. Iker Lekuona fica fora do meu radar, sei pouco e leio muito pouco sobre os seus progressos. Mínimos. A KTM parece ter uma moto no chão e boa de motor. Passou as Ducatis e a Yamaha com precisão e ainda tentou botar pressão no MM. Não deu para tanto, e chegou muito feliz  em segundo.

Feliz também, aliás, sempre feliz está Fabio Quartararo. Zero de marra parece ter o francês. Ganhando ou perdendo ele está sempre sorrindo e feliz. Voltando, feliz também chegou Quartararo em terceiro e no pódium, em um dia terrível para as Yamahas. Não conseguiram acertar a moto para a pista, todos andaram lá atrás, de modo que ele tirou muito mais no talento esta sua posição. Mesmo treinando rápido, ele veio reclamando o fim de semana inteirinho de que não estava tendo boas sensações na moto. Como ele disse, este terceiro valeu OURO, ainda mais que chegou na frente de seus concorrentes mais próximos, as Ducatis.

As Ducatis não se deram bem hoje, Bagnaia veio de trás em excelente recuperação, mas Zarco foi afundando e Miller ficou por ali tentando até ser ultrapassado pelo colega de equipe. Se não tem retão com freadão a 300 e muito, a Ducati sofre. Esta pista é fluida, com retas curtas e freadas difíceis, já entrando nas curvas, não é o forte delas.

As Suzukis tiveram o seu momento ali no meio da prova, quando Mir estava subindo muitas posições e Rins também bem posicionado. Mas aconteceu alguma coisa com Rins que perdeu posições e Mir parou quando chegou mais na frente. Estava chutando cachorro morto ou talvez tenha gastado seus pneus e gasolina, faltando no fim.

A Aprilia é que apareceu bem hoje não é? Largou na primeira fila, liderou a prova, andou ali na ponta um tempão mas no final não conseguiu nem repetir o melhor resultado, chegando em sétimo lugar. Um certa hora na prova virou saco de pancadas, sendo ultrapassada por uma cambada de gente. Não sei se o piloto cansou ou se a moto cansou, talvez os dois, mas foi um fim de semana de avanços, a Aprilia está andando para frente. Precisa de mais pilotos e de dinheiro para andar mais. Ela e a Suzuki são as equipes mais chimirranhas do paddock, gastam menos e a Aprilia nem oficial é. Vamos ver se no ano que vem, sendo uma equipe de fábrica, estas coisas melhoram com mais dinheiro e mais pilotos. Quiçá Dovizioso, porque o Lorenzo Savadori é um cai cai.

Queremos Dovi na Aprilia!!

Belíssima corrida a de hoje, com muita emoção, com muitas ultrapassagens, várias marcas disputando, muitos interesses em jogo. Restou a certeza de que a Honda não fez bobagem em assinar por muitos anos com o Marc Marquez, só ele sabe fazer a RCV andar. Tenho pena do Pol, como tive do Alex e do Lorenzo, é uma vergonha que eles passam, se comparados ao MM. Melhor até fazer como fazia o Cal Crutchlow, que arrebentava as motos mas pelo menos andava perto.

Semana que vem tem mais, e desta vez teremos Honda e Marc Marquez na pista, tudo muda de figura.

Gostou? Então gaste alguns segundos para ajudar o Mário Barreto no Patreon!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.