Quartararo de Ponta a Ponta na Catalunha!

Quartararo tirou onda na corrida de hoje, vencendo de ponta a ponta, sendo a melhor Yamaha longe, andando muito bem, abrindo quase 6 segundos no final. Tirou onda.

E isso em uma pista antes considerada desfavorável para a Yamaha, porque tem reta longa e é escorregadia, pois a Yamaha tem a menor velocidade final e seus pilotos reclamam de falta de grip mecânico.

Bem, a Yamaha costuma ter menor velocidade final não por falta de potência e sim por falta de aceleração. Demorando um pouco mais para acelerar, fica difícil atingir altas velocidades e vira uma alvo fácil nas retas. Mas isso parece ter melhorado, a Yamaha tem reduzido a diferença nas velocidades máximas e a moto não está pagando o mico nas retas que já pagou.

Hoje o campeão, de contrato novinho, classificou para largar da primeira fila e tinha um ritmo de corrida muito bom. Disse que seu plano era largar na frente e abrir. Foi exatamente o que fez, largou muito bem, meteu prá cima da Aprilia do Aleix Espargaró logo na primeira curva e dali foi só alegria, foi abrindo, marcou melhor volta e venceu com certa monotonia. Fez o que quis, não foi apertado por ninguém.

Incrível como só ele anda com a Yamaha, que até pouco tempo atrás era considerada a moto mais fácil de andar do grid. Em 2020 os pilotos da equipe satélite ganharam corridas e hoje se arrastam lá atrás. O que mudou? As outras motos evoluíram muito mais? Porque é o mesmo Franco Morbidelli, vice-campeão em 2020. Andrea Dovizioso é, ou era, um dos melhores pilotos disponíveis, e hoje a segunda melhor Yamaha foi a do Darryn Binder, que chegou em “dôzimo” mas a mais de meio minuto do vencedor e um tiquinho a frente do Franco.

Vacilão

Mas a corrida de hoje ficará marcada pelo incrível vacilo do Aleix Espargaró, que após lutar todo o fim de semana e ser um dos favoritos para a vitória, entregou seu segundo lugar conquistado a duras penas sobre um Jorge Martin também muito forte, de bandeja por tirar a mão e comemorar o fim da prova faltando ainda uma volta. Que mico! Que vacilo! O que teria falhando? Sinalização? Atenção? Estes pilotos, no meio daquele pau todo que são as corridas, geralmente guiam calmos e cerebrais. Aleix é um piloto experiente, foi um vacilo master. Vamos aguardar e ver o que ele vai falar sobre isso.

Uma pena, ele, a Aprilia e o campeonato mereciam este segundo lugar. Quando se tocou que fez merda, voltou a acelerar e é incrível como ele ignorou o Marini para ainda salvar um quinto lugar. Permanece em segundo no campeonato, só que mais longe. Vai ter que se explicar.

Logo na primeira volta Takagami freou esquisitíssimo, fechou sua frente e levou com ele Rins e Bagnaia. Ambos teriam uma participação relevante na corrida, pois tinham bons ritmos de corrida. Uma pena. Mir acabou chegando em quarto após a patacoada do Aleix e foi um excelente resultado para ele e para a Suzuki. A TV americana já o conta como certo na Repsol Honda, que precisa de piloto.

Jorge Martin fez excelente corrida, não caiu e Zarco poderia ter sido um tico mais agressivo. Como disse o André Bertrand, Zarco foi muito criticado em sua carreira por ser agressivo demais, agora está sendo agressivo de menos.

Mais atrás vi uma boa corrida do Luca Marini e do Maverick Viñales. Sem falar do Alex Marquez, que quase não teve OK médico para correr e acabou chegando em décimo e virando tempos razoáveis. A diferença que faz rodar em casa.

Brad Binder e Miguel Oliveira vieram juntos na mesma balada até o português errar e perder um tempo. As KTM’s estão sem dentes prá morder mais do que isso e Miguelito parece que vai cair fora, dando o seu lugar para Jack Miller que hoje não fez nada, chegando em “quatôrzimo”. Não sei se sua moto deu problemas ou se é a cabeça já desregulada e fora da equipe. Este negócio de pilotar motos de GP é tão difícil que as vezes qualquer desestabilização mínima já tira centésimos que fazem o caboclo chegar lá atrás.

Caíram 8 pilotos hoje, um número alto, a pista é escorregadia. Entre eles Bastianinni. A Ducati está espalhando seus resultados por suas três fortes equipes, enquanto a Yamaha concentra seus resultados no Fabio Quartararo. E a Aprilia no Aleix Espargaró. Não por coincidência são os dois líderes do campeonato. Um dia negro para a Ducati Corse, mais um e o Puig voltará a dizer que é muito dinheiro prá pouco resultado. Se bem que ele agora está na mesma situação… muito dinheiro para nenhum resultado. Pol Espargaró dificilmente ficará na equipe, não entrega.

Tranquilão

Parabéns Yamaha Racing e Fabio Quartararo, master class. Tudo se encaminhando para um break tranquilo no meio do ano e o francês provando que é o melhor piloto na pista no momento. By far.

Abraços

Gostou? Então gaste alguns segundos para ajudar o Mário Barreto no Patreon!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

10 + 20 =

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.