Miguelito nadou na Tailândia!!

Bela corrida tivemos na Tailândia, tensa até o fim e com a vitória sempre comemorada, para nós brasileiros, do Miguel Oliveira. Não é à toa que em Portugal ele está chegando no nível de popularidade do jogador Ronaldo! Miguelito é muito bom, é muito sério e é muito bom na chuva.

Hoje não errou nada, como quase sempre. E como na Indonésia, venceu no molhado, na frente de um Miller que também é bom de chuva. No parque fechado disse que preferia que fosse no seco mas sabemos que no seco a KTM não tem moto ainda para vencer. Pista molhada dá uma chance para as motos menos perfeitas. KTM NO CHÃO a prova inteira, mesmo quando começou  secar.

Tapa na cara da KTM que dispensou o português e ele ganha duas provas este ano. Independente do que faça daqui para o final do ano, sai muito por cima da equipe e vai assombrar Aleix e Viñales ano que vem na minha adorada Aprilia. Quinta vitória no MotoGP, isso é excepcional. Muito poucos pilotos venceram 5 ou mais provas e ele se aproxima do nosso Barros, que venceu 7 vezes. Corridasso, chegou, esperou a hora certa de dar o bote, ensaiou e quando deu, segurou até o fim.

Jack Miller fez outra grande corrida seguida, também um tapa na cara da Ducati, pois ano que vem ele vai para a KTM justamente para o lugar do Miguel. Depois que teve sua situação definida para 2023, Miller melhorou bastante na pista, o que para mim demonstra o quão ruim é para os pilotos uma incerteza nesta área. Vai chegar super embalado na sua Austrália e está feliz da vida, rindo a toa. É certo que a GP22 melhorou ao longo do ano, é normal, mas ele está andando bem e feliz, uma combinação matadora. Tem até chance de ser campeão. Pequena, matemática, mas tem. 75 pontos em jogo e ele tem um atraso de 60.

Pecco Bagnaia pode comemorar muito este seu pódium, pois como Quartararo teve problemas hoje e não marcou ponto nenhum, ele descontou 16 dos 18 pontos que tinha de desvantagem. 2 pontinhos não é nada e como a Ducati está muito boa, a Yamaha e Fabio Quartararo terão que rebolar muitíssimo para manterem-se na frente. Para deixar o velho Tardozzi a beira de um infarto, tivesse o Enea Bastianini deixado o Pecco ganhar naquela corrida, ele agora estaria 3 pontos na frente e não 2 atrás!

Hoje Zarco protegeu suas costas, pois tinha conjunto para passar e nem tentou, apenas afastou o Marc Marquez que por pouco não pegou um podium. Zarco será castigado pelos Deuses das corridas, que não gostam deste tipo de compadrio, preferem pilotos do tipo Bastianini. Mais um ano sem vitórias no MotoGP.

Marc Marquez bateu seus tambores e conseguiu um prova no molhado. Não chegou no pódium porque a pista começou a secar, senão estaria lá com certeza. Deu azar que apareceu o Zarco mais rápido como escudeiro, senão o Pecco iria levar uma passada na última volta. Marc carrega a Honda nas costas, é impressionante demais a diferença dele na moto. A moto é ruim? Então ele chega em quinto. E seu irmão andou bem também, parece que a equipe trabalha melhor com ele na pista, tem mais referências, tem mais tudo. Pol sai humilhado e muito menor do que entrou. Lorenzo foi quase isso, só não foi mais porque é um tricampeão e pediu o boné.

Todos descontaram pontos do Quartararo, inclusive Enea que chegou em um bom sexto lugar. Fabio largou mal e foi a pior, andando de marcha ré até chegar fora dos pontos. Amanhã o André Bertrand nos conta o que aconteceu com ele.

Parece que a convivência com o Viñales não está fazendo bem para o Aleix, que agora chega nos boxes com cara de reclamão. Hoje deu mole a Aprilia, podia ter descontado um montão de pontos e não conseguiu. Acontece, tem que trabalhar nas internas, descobrir o que aconteceu e não ficar fazendo cara de pobre coitado no box.

O campeonato está muito bom. Muitas alternativas, corridas imprevisíveis, bons personagens, parece uma série do Netflix!!!!!

Que venha minha pista favorita (no Playstation e na real). Digo mais, se derem uma moto ao Stoner ele volta e não chega em último como o Petrux.

Publicitário, Designer, Historiador, Jornalista e Pioneiro na Computação Gráfica. Começou em publicidade na Artplan Publicidade, no estúdio, com apenas 15 anos. Aos 18 foi para a Propeg, já como Chefe de Estúdio e depois, ainda no estúdio, para a Agência da Casa, atual CGCOM, House da TV Globo. Aos 20 anos passou a Direção de Arte do Merchandising da TV Globo onde ficou por 3 anos. Mudando de atuação mais uma vez, do Merchandising passou a Computação Gráfica, como Animador da Globo Computação Gráfica, depois Globograph. Fundou então a Intervalo Produções, que cresceu até tornar-se uma das maiores produtoras de Computação Gráfica do país. Foi criador, sócio e Diretor de Tecnologia da D+,depois D+W, agência de publicidade que marcou uma época no mercado carioca e também sócio de um dos primeiros provedores de internet da cidade, a Easynet. Durante sua carreira recebeu vários prêmios nacionais, regionais e também foi finalista no prestigiado London Festival. Todos com filmes de animação e efeitos especiais. Como convidado, proferiu palestas em diversas universidades cariocas e também no 21º Festival da ABP, em 1999. Em 2000 fundou a Imagina Produções (www.imagina.com.br), onde é Diretor de Animações, Filmes e Efeitos até hoje. Foi Campeão Carioca de Judô aos 15 anos, Piloto de Motocross e Superbike, mantém até hoje a paixão pelo motociclismo, seja ele off-road, motovelocidade e "até" Harley-Davidson, onde é membro fundador do Museu HD em Milwaukee. É Presidente do ForzaRio Desmo Owners Club (www.forzario.com.br) e criou o site Motozoo®, www.motozoo.com.br, onde escreve sobre motociclismo. Como historiador, escreve em https://olhandoacidade.imagina.com.br. Maiores informações em: https://bio.site/mariobarreto

Deixe seu comentário!

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.