Marco Bezzecchi está danadinho!

Foi boa a corrida de hoje, porque um tiquinho diferente. Tudo o que a Dorna mexe nos regulamentos e nos sistemas de disputa é para dar audiência, e a audiência, nós, detestamos corridas previsíveis e sem emoção.

Hoje teve emoção? EMOÇÃO assim EMOÇÃO não. Mas foi legal ver as KTM, Yamaha e até Aprilia ali pertinho. Com oito foguetes na pista e com os pilotos que tem, vitória parece ser um privilégio apenas da Ducati nesta temporada.

Talvez um dos segredos da Ducati, além da competência sua e do Gigi, pode ser a extrema competitividade que ela impõe entre seus pilotos e equipes. A VR46 estava no rabo das prioridades da Ducati, ultrapassada que foi pela Gresini e lógicamente pela Pramac. Chegou a ser cogitada como futura equipe B da Yamaha, mas está esperneando e este ano supera a Gresini, lutando para atingir uma relevância de Pramac.

Marco Bezzecchi, por sua vez, luta contra o Enea e Martinator, e até contra Pecco, para pilotar de vermelho e neste fim de semana está andando muito bem. Fez a pole position e hoje venceu sem contestação. Desta vez não achei que Pecco se poupou, embora tenha a certeza de que Pecco não se arriscaria mais para pescar os poucos pontos de diferença que estavam em jogo hoje. E Bezzecchi agora é terceiro no campeonato, Jorge Martin passou ele por ser mais regular. Hoje as Pramac tiveram problemas e a GP23 só andou com o Pecco.

A GP22 continua firme e forte, não sei se algum desenvolvimento está sendo feito para ela, acho que não, mas estas motos são assim, quando mais andam, mais rápidas vão ficando.

A KTM continua sua saga de ser boa de Sprint Race, e não sei dizer porque. Porque Binder teria um histórico de largar bem nas sprints e largar mais ou menos nas corridas? Na verdade observamos que as KTM andam bem no final das provas, talvez o tanque vazio… vimos que Binder ficou por ali pertinho virando rápido, mesmo sem condições de dar bote.

A boa surpresa do sábado foi que a Yamaha funcionou bem. Visivelmente mais ágil, lembrou levemente a Suzuki, que escolhia diversas linhas atrás de suas oponentes V4. Chegava junto, andava junto nas retas, mas não conseguia se colocar definitivamente no ataque. Ela parece não ser tão boa de freada como a KTM e Ducati, ou a aerodinâmica atual atrapalha. Alguma coisa parece segurar o Quartararo e sua Yamaha. Ter herdado o terceiro lugar depois da penalização do Binder foi uma boa, deve dar um gás. Vamos ver amanhã, mas quarto lugar está bom demais para a Yamaha de hoje.

A Aprilia também andou bem na mão do Aleix. O problema é que todas tem que andar mais do que as Ducatis e isso está fora do alcance. Não andam mais nem do que as Ducatis velhas, quiçá a do Pecco.

Sobre as Hondas não há nem o que falar. Notícia nas corridas são o pole-position, o último vencedor, o líder do campeonato, o vencedor do ano passado… daí prá frente só com boa vontade do repórter, e em artigo exclusivo. Como a Honda não fez pole, não foi o último vencedor, não lidera o campeonato e não venceu no ano passado, não há porque falar nela. Arrastou-se luxuosamente lá atrás.

Que venha a corrida de amanhã! Danadinho como está, Marco Bezzecchi é favorito para amanhã também. Pecco estará no pódium e podemos esperar uma reação das Pramac. Veremos.

Publicitário, Designer, Historiador, Jornalista e Pioneiro na Computação Gráfica. Começou em publicidade na Artplan Publicidade, no estúdio, com apenas 15 anos. Aos 18 foi para a Propeg, já como Chefe de Estúdio e depois, ainda no estúdio, para a Agência da Casa, atual CGCOM, House da TV Globo. Aos 20 anos passou a Direção de Arte do Merchandising da TV Globo onde ficou por 3 anos. Mudando de atuação mais uma vez, do Merchandising passou a Computação Gráfica, como Animador da Globo Computação Gráfica, depois Globograph. Fundou então a Intervalo Produções, que cresceu até tornar-se uma das maiores produtoras de Computação Gráfica do país. Foi criador, sócio e Diretor de Tecnologia da D+,depois D+W, agência de publicidade que marcou uma época no mercado carioca e também sócio de um dos primeiros provedores de internet da cidade, a Easynet. Durante sua carreira recebeu vários prêmios nacionais, regionais e também foi finalista no prestigiado London Festival. Todos com filmes de animação e efeitos especiais. Como convidado, proferiu palestas em diversas universidades cariocas e também no 21º Festival da ABP, em 1999. Em 2000 fundou a Imagina Produções (www.imagina.com.br), onde é Diretor de Animações, Filmes e Efeitos até hoje. Foi Campeão Carioca de Judô aos 15 anos, Piloto de Motocross e Superbike, mantém até hoje a paixão pelo motociclismo, seja ele off-road, motovelocidade e "até" Harley-Davidson, onde é membro fundador do Museu HD em Milwaukee. É Presidente do ForzaRio Desmo Owners Club (www.forzario.com.br) e criou o site Motozoo®, www.motozoo.com.br, onde escreve sobre motociclismo. Como historiador, escreve em https://olhandoacidade.imagina.com.br. Maiores informações em: https://bio.site/mariobarreto

Deixe seu comentário!

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.