Corridasso na Índia!!!

E a corrida indiana foi muito maneira! Certo que tivemos alguns problemas, nem sei se é normal, mas foi a primeira, não é de todo inesperado que esta coisas aconteçam. Eu trabalhei nos RioGPs e a quantidade de providências e coisas que podem dar errado são imensas. É um evento bem complicado, com um caderno de exigências que no dia do evento é contado no minuto. Uma providência, um sync por minuto.

Adorei a pista, muito lisinha, com curvas rápidas, inclinadas, uma imagem muito bonita. A arquibancada também achei bonita e as imagens todas bem legais. Eu também gosto de ver os indianos, suas expressões, roupas, comportamentos. São bonitos, uma gente muito diferente de nós. Todo indiano é reencarnado e carrega em seu olhar toda esta sua história e bagagem.

Para a corrida de hoje estava tudo encaminhando para o lógico, conforme eu comentei ontem, mas é MotoGP e coisas acontecem.

Pelo o que andou ontem, estava na cara que Bezzecchi iria comer a pista hoje. Ontem ele foi lá para último e veio passando todo mundo, virando muito mais rápido do que o vencedor. Jorge Martin venceu ontem, está em uma fase muito boa, também viria para cima. E Pecco Bagnaia, sempre em cima, afinal é o primeiro piloto da Ducati Corse. Eu apostei em uma quarta Ducati, mas eu não sabia que Marini tinha se quebrado.

Veio a largada, desta vez sem problemas e logo Bez foi para a ponta, Pecco fez um jogo duro com Martinator e os três logo tomaram conta do pódium. Depois novamente as Hondas, novamente surpreendendo e, pa pa pa, Quartarrarô!!!! Com sua Yamaha andando bem. Não teve que acelerar na reta com nenhuma Ducati e por isso não pagou mico. A M1 acelerou para as Honda e KTM.

Aí Marc Marquez caiu. Do nada, de repente a sua RC213V saiu de baixo. Caiu, foi lá para trás, mas voltou com tudo e ainda chegou em nono!!! Joan Mir herdou sua posição, e vinha andando na mesma balada, impedindo o avanço do Brad Binder.

Lá na ponta Bez sumiu, e quando Pecco resolveu atacar o Martinator, com sucesso, levou um estabaco. Também, igual ao MM, a sua Desmocedici GP 23 saiu de baixo de uma vez só. Só que saiu capotando e se quebrando toda, não deu para voltar para a prova como MM fez. Tardozzi quase teve um filho nos boxes. Ciabatti e Gigi são mais comedidos, mas a camera foi lá mostrar.

Martinator agradeceu, iria descontar um caminhão nos pontos e, em terceiro subiu um surpreendente Fabio Quartararo. Que beleza.

Ns voltas finais, a transmissão papou mosca e vimos inclusive ele passando o Martinator, não mostraram o erro do ducatista, que voltou e repassou. Mas este pega foi até a última curva da última volta. Quem imaginaria isso? Binder finalmente passou o campeão Joan Mir, que segurou-se na pista para um excelente, para ele então, quinto lugar.

As Aprilias não andaram nada nesta pista, com Aleix inclusive abandonando a prova.

Engraçado foi ver a cara do Quartararo quando, na salinha do papo, mostraram o Jorge Martin com o macacão aberto… ele deve ter pensado: “opa!!!! não pode, me crucificaram por isso, como vai ficar agora?” Ele mudou de cara na hora, kkkkkkkk. Aguardo notícias sobre isso.

Jorge Martin chegou passando mal. Segundo ele, sua cabeça estava assando dentro do capacete. 33 graus. Um fraco. Como seria correr debaixo de 40 graus em Deodoro, que é ali pertinho de Bangu?


Enquanto isso, em Bangu….

Não consigo saber ainda os motivos da melhora das Honda e Yamaha para esta prova. Estou inclinado a achar que foi a falta de dados sobre a pista, com todos partindo do zero o talento dos pilotos ficou mais evidente um pouco. As Ducati dominaram novamente, e correram desfalcadas. Enea Bastianini quebrado, Marini quebrado, Zarco encostado, Alex Marquez quebrado e De Gigia desmotivado.

Parabéns VR46 e Bezzecchi, parabéns Martin, parabéns Yamaha e Quartararo. Que venha o Japão!

PS. Na sequência mudei para a BandSports e assisti ao WSBK.. é um campeonato lindo também, muito disputado, muitos pilotos bons e famosos, o pau come.

Publicitário, Designer, Historiador, Jornalista e Pioneiro na Computação Gráfica. Começou em publicidade na Artplan Publicidade, no estúdio, com apenas 15 anos. Aos 18 foi para a Propeg, já como Chefe de Estúdio e depois, ainda no estúdio, para a Agência da Casa, atual CGCOM, House da TV Globo. Aos 20 anos passou a Direção de Arte do Merchandising da TV Globo onde ficou por 3 anos. Mudando de atuação mais uma vez, do Merchandising passou a Computação Gráfica, como Animador da Globo Computação Gráfica, depois Globograph. Fundou então a Intervalo Produções, que cresceu até tornar-se uma das maiores produtoras de Computação Gráfica do país. Foi criador, sócio e Diretor de Tecnologia da D+,depois D+W, agência de publicidade que marcou uma época no mercado carioca e também sócio de um dos primeiros provedores de internet da cidade, a Easynet. Durante sua carreira recebeu vários prêmios nacionais, regionais e também foi finalista no prestigiado London Festival. Todos com filmes de animação e efeitos especiais. Como convidado, proferiu palestas em diversas universidades cariocas e também no 21º Festival da ABP, em 1999. Em 2000 fundou a Imagina Produções (www.imagina.com.br), onde é Diretor de Animações, Filmes e Efeitos até hoje. Foi Campeão Carioca de Judô aos 15 anos, Piloto de Motocross e Superbike, mantém até hoje a paixão pelo motociclismo, seja ele off-road, motovelocidade e "até" Harley-Davidson, onde é membro fundador do Museu HD em Milwaukee. É Presidente do ForzaRio Desmo Owners Club (www.forzario.com.br) e criou o site Motozoo®, www.motozoo.com.br, onde escreve sobre motociclismo. Como historiador, escreve em https://olhandoacidade.imagina.com.br. Maiores informações em: https://bio.site/mariobarreto

Deixe seu comentário!

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.