Oito em oito!

E isso é uma novidade. Nunca tinha acontecido antes na história do campeonato. Oito diferentes vencedores em oito corridas seguidas. Um número impressionante e logo depois de temporadas onde, por exemplo, Marc Marquez sozinho venceu mais de 10 corridas seguidas, reinando em 2014 acho eu. Como fica melhor o campeonato assim!

Isto é o resultado de várias coisas e podemos enumerar algumas, como a nova ECU única, os novos pneus, os projetos mais novos de Suzuki e Ducati, uma Honda não tão matadora, a ascensão dos novos pilotos, a idade dos astros maiores, a chuva, a sorte e provavelmente esqueci de alguns outros. Mas o resultado é este, corridas mais imprevisíveis e emocionantes.

Se bem que hoje deu os Fab Four na ponta, um resultado relativamente mais previsível , se pensarmos com a cabeça do início do ano. Pedrosa não pode ser comparado com um Jack Miller, nem com Carl Crutchlow. Mesmo sem ser campeão do mundo no MotoGP, são 29 vitórias em 11 temporadas, um recorde.

Hoje Pedrosa fez uma corrida perfeita. Apesar de não ter classificado bem, ele demonstrou nos treinos ter um ritmo de corrida ótimo, de ser capaz de dar várias voltas seguidas em tempos bons. Foi o que fez na prova, largou razoávelmente e veio fazendo tempo bom atrás de tempo bom, passando todo mundo, quebrando o recorde da pista até ganhar. A novidade foram duas passadas duras em Marc Marquez e Valentino Rossi. Mas também, se não fizer isso com eles, não passa nunca. Olhando pareceu fácil, a moto no chão, redonda, estilo Pedrosa, sem grandes freadas, sem grandes escorregadas, sem andar de lado. Um típico piloto de GP em uma moto bem acertada, é isso o que ele é, é isso que a Honda entregou para ele hoje.

Foto Crash.net
Foto Crash.net

A Honda melhora constantemente e apesar de ainda não ser melhor do que a Yamaha, já demonstra estar melhor e o mais incrível, lidera o campeonato de pilotos, o de construtores, venceu com equipe privada duas vezes e fez 4 pilotos subirem no pódium como vencedores. Sensacional o desempenho da equipe com uma moto visivelmente menos acertada.

Rossi é uma figura incrível em todos os sentidos. Na pista tem se mostrado rápido, combativo e está descontando os pontos em cima de Marc e Lorenzo. Já passou o Lorenzo, está tirando aos pouquinhos do Marc Marquez, mas o início fraco de temporada, com tombo, com abandono, deixaram o novo Marc paz & amor abrir muitos pontos e administrar. Vai ser duro conseguir descontar tudo o que tem para descontar. Já Lorenzo começou bem o campeonato mas, previsivelmente o anúncio de sua transferência para a Ducati em 2017 não fez bem para ele. Imediatamente passou a ser segundo piloto, a visão da montanha de dinheiro que receberá deve tirar uns milésimos de segundo e culminou com uma sequência de corridas no molhado que ele detesta. Com isso foi passado pelo Rossi, deve estar recebendo um equipamento de segunda, poucas chances no campeonato e só resta uma vontade de “fazer bonito” na saída da Yamaha. Hoje até pensei que daria, depois de uma boa pole, mas para a corrida vimos uma coisa anormal para os dias de hoje, que é ele andar menos do que o Rossi com pista limpa na frente. A Yamaha não faz força para a vitória do Lorenzo. Aliás a Yamaha parece só conseguir colocar 1 moto boa na pista, porque as Tech3 ficaram humilhadas com a Honda ganhando 2 corridas com equipes satélites, algo que a Yamaha nunca conseguiu.

Continuando com o Rossi, ele me assusta um pouco com esta coisa dos fãs. Vimos o autódromo lotado de bandeiras amarelas, uma força incrível para um piloto que não ganha um campeonato desde a década passada, hahaha. E fã de Rossi parece petista com o Lula, pois ele pode mandar outros pilotos se fuderem na pista, pode chutar campeão do mundo em curva e tá tudo certo! Não ouvi a Dorna falar em punir o Rossi pelo gesto feio de sexta. Ele pode. Fosse com o Alex Barros, seria banido por 2 provas, mais multa, hahaha. Foi difícil até achar esta foto, pois os sites de motociclismo discretamente tiraram ela de vista, não é bom para os negócios arranhar a galinha dos ovos de ouro. Isso me irrita.

Foto formula1passion.it
Foto formula1passion.it

A Suzuki vem mostrando mais consistência e a minha adorada Ducati decepcionou muito por andar tão pouco em Misano, uma pista que ela conhece como nenhuma outra marca, onde o Pirro já botou quilometragem para ir a lua e voltar com a Desmosedici (e outra viagem igual com a 1199). Tanto que ele chegou ali pertinho do Dovi. Pouco para a Ducati, pois Honda, Yamaha e até Suzuki abriram muito, em casa.

Como bem disse o Pedro Gama, meu amigo, leitor e camarada ducatista, o fantasma do Crutchlow acordou o Pedrosa! É isso, tem que mostrar serviço e se for demitido, mesmo com tantas conquistas, é bem merecido, pois nunca cumpriu seu objetivo, perdendo a vez até para o Nick Hayden. Hoje andou demais, mas é pouco para quem tem o que tem por 11 temporadas seguidas vestindo o manto sagrado de Doohan.

Abraços

Mário Barreto

Publicitário, Designer, Historiador, Jornalista e Pioneiro na Computação Gráfica. Começou em publicidade na Artplan Publicidade, no estúdio, com apenas 15 anos. Aos 18 foi para a Propeg, já como Chefe de Estúdio e depois, ainda no estúdio, para a Agência da Casa, atual CGCOM, House da TV Globo. Aos 20 anos passou a Direção de Arte do Merchandising da TV Globo onde ficou por 3 anos. Mudando de atuação mais uma vez, do Merchandising passou a Computação Gráfica, como Animador da Globo Computação Gráfica, depois Globograph. Fundou então a Intervalo Produções, que cresceu até tornar-se uma das maiores produtoras de Computação Gráfica do país. Foi criador, sócio e Diretor de Tecnologia da D+,depois D+W, agência de publicidade que marcou uma época no mercado carioca e também sócio de um dos primeiros provedores de internet da cidade, a Easynet. Durante sua carreira recebeu vários prêmios nacionais, regionais e também foi finalista no prestigiado London Festival. Todos com filmes de animação e efeitos especiais. Como convidado, proferiu palestas em diversas universidades cariocas e também no 21º Festival da ABP, em 1999. Em 2000 fundou a Imagina Produções (www.imagina.com.br), onde é Diretor de Animações, Filmes e Efeitos até hoje. Foi Campeão Carioca de Judô aos 15 anos, Piloto de Motocross e Superbike, mantém até hoje a paixão pelo motociclismo, seja ele off-road, motovelocidade e "até" Harley-Davidson, onde é membro fundador do Museu HD em Milwaukee. É Presidente do ForzaRio Desmo Owners Club (www.forzario.com.br) e criou o site Motozoo®, www.motozoo.com.br, onde escreve sobre motociclismo. Como historiador, escreve em https://olhandoacidade.imagina.com.br. Maiores informações em: https://bio.site/mariobarreto

Deixe seu comentário!

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.