KTM FAZ HISTÓRIA! BINDER FAZ HISTÓRIA!

Por isso adoro o MotoGP, por isso disse que é o melhor esporte a motor do Sistema Solar, porque tudo pode acontecer e, de vez em quando, acontece!!!

Hoje foi um dia histórico na história dos GP’s e de história gosto muito! Primeira vitória da marca austríaca KTM. A KTM tem este DNA de corrida, é mega vitoriosa no off-road, fez tudo certinho ao entrar para os GP’s. Sempre original, nunca foi afobada, sempre tratou bem de seus pilotos e fez apostas corajosas. Conta com a parceria e apoio forte da também austríaca Red Bull. Só faltou o Niki Lauda ter sido o piloto vencedor com ela!!! Se bem que ela também conta com muito dinheiro indiano.

Brad Binder em ação. Rápido, preciso, talento.

Fez tudo certinho porque começou na Moto3, onde botou prá quebrar com uma moto super desenvolvida, revolucionou a competitividade da categoria. Fez a Honda correr atrás, contra a vontade, pois a marca japonesa tinha a mentalidade de que o Moto3 era para ser mais básico e barato. A KTM atropelou no início e a Honda teve que esquecer isso e fazer foguetes também. Mais do que isso, investiu na Red Bull Cup, com motos KTM. Brad Binder começou aí, vejam como é importante ter categorias de base para peneirar pilotos. Coisa que Yamaha, Ducati, Aprilia e Suzuki não tem no nível mundial.

Ao se jogar no MotoGP, escolheu um caminho próprio, com um chassi de tubos no estilo Ducati. Pelos mesmos problemas que a Ducati os abandonou, ela evoluiu para um misto de tubos com barras que é o que ela usa hoje em dia. Motores sempre fortes e confiáveis, tradição da terra austríaca, como provam os também confiáveis Rotax. Muita alegria ver a KTM vencendo, uma semana antes de ir para casa.

Em uma injustiça danada, não foi Pol Espargaró o primeiro vencedor com a marca. O que mais se preparou para isso, mas que ano que vem sai da equipe. Bom para a KTM, meio triste para ele. Tapa na fuça de Zarco, que fraquejou e não insistiu. Coisas de corridas, isso quase aconteceu na Ferrari, quando Schummy se machucou e quase que *Eddie Irvine (corrigi) foi campeão. Mas a Ferrari alemã não deixou e boicotou o inglês, acho eu.

Hoje não teve nada disso, a KTM botou uma moto insana (como disse Binder no parc fermé) debaixo das pernas de seus pilotos. Pol iria chegar lá se não fosse derrubado pelo Zarco. Não vi defeitos no setup da moto, que abria na reta, tinha opções de linhas nas curvas, venceu com moral em uma pista que diziam ser da Ducati.

Brad Binder levantou minhas sombrancelhas desde a sua primeira corrida (podem conferir lendo as colunas antigas deste ano). Consistente e rápido, destacou-se entre os rookies de 2020 logo de cara. E disse com todas as letras que “a velocidade está ali, temos moto para andar de igual para igual”. Parecia muita marra um estreante dizer isso em suas primeiras corridas, mas o cara já vence em sua terceira pista. Tem que passar a respeitar. Ele rapidamente entrou para a categoria dos pilotos que venceram na categoria top. Uma honraria para poucos, pouquíssimos. Talento para brigar com Quartararo, ofuscar de vez os velhos e dar algum trabalho para quando Marc Marquez se recuperar.

Hoje Binder fez uma corrida perfeita, largando bem, não cometendo erros, sendo rápido nas horas precisas, martelando o cronômetro e cruzando com folga na frente. Corridaço.

Franco Morbidelli chegou em segundo, um grande passo para ele, que apesar de reconhecido como um piloto bom e rápido, está sendo muito ofuscado por seu companheiro de equipe, Quartararo. Largou ótimamente, imprimiu um ritmo forte no início da prova, e andou sem ser perturbado, coisa que a M1 adora. A M1 quando acertada parece ser a moto mais redonda do grid. Padece ainda, e cronicamente, de falta de velocidade final. Isso, somada a uma tendência de fade no final das provas, faz com que ela vire um alvo mais fácil se não consegue chegar no final com um estoque de segundos sobre os adversários.

O sempre preciso Alex Barros reclamou da falta de combatividade dele na ocasião da ultrapassagem de Brad Binder. Realmente ele não brigou nada, mas faltava muito para o final da prova, não iria adiantar nada, Binder passaria de qualquer maneira. Vamos torcer pensando que se fossem faltando 3 ou 4 voltas ele venderia caro, lembrando que os Deuses das corridas detestam piloto bunda mole que deixa passar e se contenta com um lugar qualquer no pódium. Vamos torcer para que Morbidelli não seja assim.

Capacete do Brasil na parada. O cara não é bobo de desperdiçar 220 milhões de torcedores

Zarco teve um grande fim de semana, largando da pole e chegando em terceiro. Na largada brigou com alguma coisa na moto, arrisco dizer que com o sistema de largada mecânico, largou mal e se recuperou na marra. Garra o Zarco tem de sobra, é agressivo e vimos hoje isso quando ele jogou Pol no chão. No acidente Pol estava meio frouxo na moto. Depois de errar uma curva, sua KTM naquele momento não estava bem conectada com seu piloto, quem é piloto sabe o que eu estou falando, as vezes são necessários alguns segundos para o feeling voltar ao nível anterior. Nesta curva Pol entrou quase normal, deixou uma entradinha de nada, mas estava na frente quando foi tocado por Zarco. Olhando por todos os ângulos, vi que Zarco não espalhou, não se mexeu para tocar em Pol, ele escolheu uma linha boa e se manteve nela com firmeza. Mas as linhas se cruzavam, ele teria que recolher. Mesmo sentindo Pol “frouxo” na sua linhas. Os fiscais acharam algo parecido e penalizaram o francês. Penalização fraquinha, acho eu, pois a volta longa era curtinha e ele nem perdeu posições.

Zarco está em uma briga de vida ou morte para provar valor para a Ducati. E a Ducati permanece em sua estupidez habitual. Em um momento em que se abrem as melhores chances possíveis para ser campeã do mundo, com o afastamento de Marc Marquez, ao invés de apoiar Dovi, com todas as suas forças, bota pressão. “Vamos ver se ele consegue…” Como assim? Durante 3 anos seguidos ele foi o vice-campeão folgado. E ficam falando de Miller e Bagnaia na equipe oficial, de novo pilotos, se colocando em uma posição que absolutamente não corresponde a realidade do dinheiro que a Ducati coloca na pista. Isso é Puig que diz, de maldade. Sem Dovi, com toda inovação e dinheiro a Ducati seria sexto e oitavo em 2019, oitavo e nono em 2018, sétimo e oitavo em 2017. Esta equipe e direção que a Ducati mantém no MotoGP e WSBK é encrenqueira desde sempre, mas seu líder chegou a CEO da empresa. Basta comparar com o elegante trabalho de Davide Brivio, de Lin Jarvis. A Ducati tratou mal Stoner, Barros, Rossi, Lorenzo, Haga, Spies, Melandri, Bautista e agora Dovi. Não conseguem harmonizar a equipe. Se acham a última Coca Cola do deserto quando na real o título de 2007 se deveu mais as circunstâncias e ao talento exagerado de Casey Stoner. No WSBK vem sendo surrada desde 2011, com o último título do Carlos Checa com a 1098R. Os alemães tem motivos para mudar tudo na Audi Motorrad.

04 Republica Checa GP 06 al 09 de Agosto de 2020 circuito Brno, Republica Checa

Hoje vi Davide Tardozzi pulando feito uma criança com o terceiro lugar de Zarco, isso é pressão sobre Dovi, que fez uma péssima corrida, junto com o demitido Petrux. Também Jack Miller não foi bem. Dando razão a Dovi, algo não veio bem na GP20 e Gigi é também teimoso como todos os ducatisti desde sempre. Perguntado se esta politicagem atrapalha sua pilotagem, Dovi disse que sim, ele é piloto mas é humano, sempre sensível para este tipo de coisas. Bem, sem Dovi não conseguirão um título este ano, acho eu.

A Suzuki só precisa de piloto bom para ganhar corridas. Moto já tem. Hoje de novo vimos a GSXRRR bailar atrás de seus oponentes, encarando curvas por dentro, por fora, por onde escolher. E na reta pau na máquina. Mas Rins só anda no final das provas. Larga super mal sempre, fica se esfregando em oitavo e no final quase belisca um pódium. Se as provas fossem de 40 voltas as Suzuki iria ganhar todas. Minha paciência com o Rins e Mir está no finzinho.

Rossi andou bem, mas a Yamaha factory e a Ducati, são as maiores perdedoras deste fim de semana. Quartararo mostrou fraqueza com uma moto mais ou menos. Repare que MM com uma moto mais ou menos raramente vai caindo lá prá trás. Vinãles invisível na prova. O mesmo Dovi, Miller e Petrux. A Aprilia começou forçando mas depois foi para o seu lugar, mais atrás. Pelo menos não quebrou e mostrou um potencial. Melhorou. Alex Marquez invisível, as Hondas todas, sumiram.

Alex Barros agora tem que ser obrigatório nas transmissões. Comenta sem se exibir, sem falar bobagens, com modéstia e competência. Provocado pelo Teo em dar seu pitaco para a corrida, cravou KTM e Morbidelli. Primeiro e segundo. Sorte? Não né? Muito bom. O resto da transmissão eu prefiro não comentar mais, vamos conformados. Só gostaria de dizer que não precisa me agradecer a preferência da audiência, porque é a única opção, não tem como preferir outra.

Olhando as imagens aéreas do circuito de Brno fiquei pensando em como os ambientalistas cariocas ficariam horrorizados.

Em uma área linda de árvores, uma florestinha, um circuito no meio. Tiveram que derrubar árvores. Especialistas em autódromos como eles são, assim como os artistas da TV Globo e o Caetano Veloso, eles dizem que não são contra e sim querem que seja em outro lugar.

Um lugar como o fundo do mar ou uma área desértica no município do Rio de Janeiro, onde nem uma formiga (que também é vida), uma graminha, sejam molestados. Especialistas.

O fato do que eles chamam de floresta ser um matão abandonado e não existir (eles não saberem nem onde fica) não importa. O fato da região ser degradada e abandonada, coisa que os projetos querem tentar resolver, também não os abala, afinal eles não pretendem nunca ir lá. Procurem aqui  se acham a tal reserva florestal urbana oásis dos pássaros mais raros – http://www.rio.rj.gov.br/web/fpj/parques-urbanos

Exigem, em nome da vida, que se descubra um lugar que não existe. Por eles devíamos devolver o Brasil aos índios, que descerão de uma estrela bonita e brilhante, impávidos que nem Muhammad Ali, apaixonadamente como Peri, tranqüilo e infálivel como Bruce Lee, o axé do afoxé Filhos de Gandhi.

Mas além de chatos, são perigosos quando cismam em prejudicar alguma coisa. Vamos defender aquilo que nos interessa.

Dia histórico, para a Kronreif Trunkenpolz Mattighofen. Festa em Mattighofen. Parabéns Brad Binder (vamos aguardar a pesquisa da equipe FOX sobre como falar corretamente Brad Binder no dialeto inglês da África do Sul).

Adoro MotoGP.
Mário Barreto

2 comentários em “KTM FAZ HISTÓRIA! BINDER FAZ HISTÓRIA!”

  1. Excelente texto, como de costume. Perdi a corrida, infelizmente, mas pude tirar o atraso com esse detalhado relato.
    Show de corrida! Vou ver a reprise!

  2. Texto maravilhoso, habitual.
    Deixo uma obs referente a volta de penalização (long lap) do Zarco, o cara entrou com tudo na linha longa, que é suja e sem emborrachamento, e acelerou tudo de joelho baixo. Foi maravilhoso, não perdeu posição, a transmissão repetiu a cena, mostrou a equipe comemorando como se fosse um gol, e o Pol triste e lamentando uma punição tão fraca para o seu algoz. Motogp é isso tudo, vamos pra próxima. Abssss

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.