Viñales suspenso pela Yamaha!

Meu Deus! Acordei com esta notícia inesperada.

Isso muda completamente o panorama do relacionamento entre a Yamaha e o piloto, chego a prever que o espanhol não irá nunca mais andar de M1. Neste caso já se ventila que Cal Crutchlow poderia assumir o seu lugar até o final da temporada, ou então até Valentino Rossi, já que ele é contratado da Yamaha.

Que bafão. Vinãles é muito, muito vacilão.

A acusação da Yamaha, gravíssima e apoiada em dados da telemetria da moto e por testemunhas ao longo da pista, é de que o Sr. Maverick Viñales, inconformado com sua performance na pista (chegou em último novamente), acelerou a moto em ponto morto até quase explodir o motor.

Vejam o Comunicado Oficial da Yamaha traduzido:

‘A Yamaha lamenta anunciar que a entrada de Maverick Viñales no evento austríaco de MotoGP deste fim de semana foi retirada pela equipe Monster Energy Yamaha MotoGP.

‘A decisão da Yamaha segue uma análise aprofundada de telemetria e dados nos últimos dias.

‘A conclusão da Yamaha é que as ações do piloto podem ter potencialmente causado danos significativos ao motor de sua moto YZR-M1, o que poderia ter causado sérios riscos para o próprio piloto e possivelmente representado um perigo para todos os outros pilotos na corrida de MotoGP .

‘O piloto não será substituído no GP da Áustria.

‘As decisões sobre as corridas futuras serão tomadas após uma análise mais detalhada da situação e mais discussões entre a Yamaha e o piloto.’

Ou seja, o piloto foi antiprofissional, descontrolado, idiota. Ah… quem vai rir muito disso será o André Bertrand, nosso colunista aqui. Ele detesta o “Cantinflas”, como ele chama o Vinãles.

Um pequeno retrospecto de Maverick Viñales na Yamaha. Após andar muito bem na Suzuki, Vinãles foi para a Yamaha para substituir nada menos que Jorge Lorenzo. Estreou bem, vencendo e todos achamos que teria sido uma jogada de mestre da Yamaha. Ledo engano, ele sempre foi muito inconstante na moto, não conseguiu se impor frente a Valentino Rossi como piloto número 1 da marca. Quando anda rápido e ganha, não elogia a moto ou a equipe, clama por todas as glórias, e quando perde, coloca a culpa na equipe. Nunca foi sequer vice-campeão no MotoGP.

Este ano, com a saída do Rossi e a chegada de Quartararo as coisas pioraram, pois apesar de começar vencendo de forma implacável no deserto, depois só vem levando couro do francesinho. Mexeu na sua equipe, reclama que não recebe atenção, reclama que sua moto não anda, enquanto Quartararo lidera o campeonato e anda mais do que ele em todas as pistas.

Foi demais para a cabeça já meio ruim de Viñales, que intempestivamente pediu para sair da Yamaha antes do final do contrato. Contrato que, diga-se de passagem, é dos mais valiosos no paddock, dizem que são 8 milhões de euros/ano. A Yamaha, ciente do problema que tinha nas mãos, alegremente aceitou que esta mala sem alça vá embora, menos um problema e menos um dinheirão. Estará muito mais bem servida com Quartararo e Morbidelli.

Aí Viñales saiu falando bobagens na imprensa, denegrindo a Yamaha. Levou uma chamada na chincha e deu uma entrevista oficial e coletiva onde pedia desculpas e blá blá blá. Mas sua cabeça está em outra, ele está acabado na Yamaha e agora vem esta patacoada.

Fica a mensagem para todos, quebrar motor de propósito não vale. É perigoso, eles são contados e são caros. Menino feio e bobo.

É preciso voltar muito nos GP’s para achar algo parecido, mas achei, John Kocinsk foi demitido pela Suzuki em Assen em 1993 pelo mesmo motivo, frustrado, parou a moto e acelerou até explodir o motor de sua Suzuki 250 2T. Maluco de pedra, excelente piloto, depois campeão de SBK, mas intolerável. Rua. Foi demitido também do SBK, era muito maluco e desajustado e hoje é um rico corretor de imóveis na Califórnia.

É… MV12 está enrascado. Duvido que a Yamaha dê para ele outra moto para andar. Talvez até o processe. Isso pode custar dinheiro para ele e prejudicar sua carreira no futuro. Quem quer um piloto destes? A minha querida Aprilia? Já disse que prefiro mil vezes Dovizioso por lá.

Vamos aguardar.

 

 

Publicitário, Designer, Historiador, Jornalista e Pioneiro na Computação Gráfica. Começou em publicidade na Artplan Publicidade, no estúdio, com apenas 15 anos. Aos 18 foi para a Propeg, já como Chefe de Estúdio e depois, ainda no estúdio, para a Agência da Casa, atual CGCOM, House da TV Globo. Aos 20 anos passou a Direção de Arte do Merchandising da TV Globo onde ficou por 3 anos. Mudando de atuação mais uma vez, do Merchandising passou a Computação Gráfica, como Animador da Globo Computação Gráfica, depois Globograph. Fundou então a Intervalo Produções, que cresceu até tornar-se uma das maiores produtoras de Computação Gráfica do país. Foi criador, sócio e Diretor de Tecnologia da D+,depois D+W, agência de publicidade que marcou uma época no mercado carioca e também sócio de um dos primeiros provedores de internet da cidade, a Easynet. Durante sua carreira recebeu vários prêmios nacionais, regionais e também foi finalista no prestigiado London Festival. Todos com filmes de animação e efeitos especiais. Como convidado, proferiu palestas em diversas universidades cariocas e também no 21º Festival da ABP, em 1999. Em 2000 fundou a Imagina Produções (www.imagina.com.br), onde é Diretor de Animações, Filmes e Efeitos até hoje. Foi Campeão Carioca de Judô aos 15 anos, Piloto de Motocross e Superbike, mantém até hoje a paixão pelo motociclismo, seja ele off-road, motovelocidade e "até" Harley-Davidson, onde é membro fundador do Museu HD em Milwaukee. É Presidente do ForzaRio Desmo Owners Club (www.forzario.com.br) e criou o site Motozoo®, www.motozoo.com.br, onde escreve sobre motociclismo. Como historiador, escreve em https://olhandoacidade.imagina.com.br. Maiores informações em: https://bio.site/mariobarreto

Deixe seu comentário!

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.