Todos Perderam…

Meus camaradas,

E chegou ao fim uma temporada onde por incrível que pareça, fica difícil de achar um vencedor.

Não que Lorenzo não mereça ter ganho e abomino a história de “Rossi Campeão Moral”, acho ridículo, a última coisa que eu passei a querer, foi que Rossi ganhasse esta temporada com “coice” e tudo.

Antes de continuar com a minha opinião, começo dizendo que nunca torci contra o Rossi até a maldita volta de Sepang.

Um pouco de história, do jeito que eu entendo, para quem se interessa pelo o que eu escrevo.

Rossi é um personagem sensacional, principalmente se você olhar o pacote completo. Como piloto a Honda já provou, que com motos iguais, a  diferença entre os pilotos ali é mínima.

Como provou? Temos que voltar até 2002, quando exatamente para provar isso, emprestou uma RCV igual a do Rossi para o brasileiro Alex Barros. Alex andou o ano todo de NSR 500 2T, uma moto muito mais lenta do que a poderosa RCV de 5 cilindros. Valentino Rossi fez gato e sapato com a concorrência. A Yamaha veio com uma 920cc 4 cilindros carburada, uma aposta horrível e Biaggi foi surrado. Rossi foi campeão com 4 corridas de antecedência.

Pois bem, Barros subiu nesta moto após passar o ano todo de 500 2T e na primeira prova, ganhou do Rossi. E ganhou mais uma e fez um segundo e um terceiro no “mundialito”, como chamaram as 4 últimas provas deste ano. Sem experiência com a moto, Barros+Ramon Forcada, o atual preparador do Lorenzo, foram capazes de superar Rossi+Burguess em 3 das 4 corridas.

A Honda provou que com o mesmo equipamento, na pista Rossi não era isso tudo que ele estava querendo cobrar. Azedou o relacionamento com a Honda e Rossi decidiu, com mais de um ano de antecedência, ir para a Yamaha. Correu e ganhou mais um campeonato para a Honda, mas já estava acertado com a Yamaha. O que deixou a Honda muito p* da vida também.

Acho muito válido o piloto ser campeão porque tem um equipamento muito melhor. Acho muito válido que o piloto corra atrás de vantagens exclusivas. Ali são todos pilotos do mais alto nível, todos são campeões de pelo menos um campeonato de nível internacional. Se der motos iguais para todos, daria um grande empate! Qualquer detalhe faz diferença . Eu sei disso, qualquer piloto sabe disso. Rossi sempre trabalhou para ter exclusividades e privilégios. Não vejo isso como ruim, acho merecido, pois ele honrou o que pediu e recebeu, sendo campeão do mundo 9 vezes.

Como um piloto conquista o direito de ter “a moto boa”? Mostrando serviço, andando no limite do equipamento, seja ele qual for. Um dia qualquer no passado, um jovem Valentino Rossi andou o suficiente para a Aprilia ver nele um piloto campeão. Ganhou o direito de ter uma moto para vencer, e venceu sem parar mais. Com talvez apenas o intervalo do seu ano de estréia nas 500cc, quando mesmo com Burguess e uma NSR de fábrica, não conseguiu vencer. Depois foi pegando motos de fábrica vencedoras, e entregando títulos.

Até 2009, quando foi interrompido por Jorge Lorenzo.

Com Lorenzo campeão, com a Yamaha apostando “no futuro”, Rossi perdeu alguns dos seus privilégios, como o de ter a moto feita para ele, telemetria de todos os outros (sem reciprocidade). Desde que começou a correr em nível de GP Valentino sempre teve o melhor só para ele, não gostou, e julgando fazer uma jogada de mestre, foi para a Ducati com Burguess dizendo que iria “consertar” a moto em um fim de semana.

Lá na Ducati Rossi voltaria a ter os máximos privilégios possíveis. Deu errado, Rossi nunca mais foi campeão. A Yamaha não curtiu muito a saída do jeito que foi. Não ficou p* da vida, mas não curtiu.

Rossi é mais ou menos como o nosso Ayrton Senna neste ponto, “Eu ganho, sou demais”, “a equipe perde, me fez perder”. Nenhuma equipe curte isso.

Geralmente as fábricas colocam apenas uma moto boa na pista. Mas este ano temos 2 exceções. A moto do Rossi é boa porque ele é o Rossi, e a do Pedrosa, que é o protegido da Repsol, sempre foi tão boa quando a dos outros. No caso do Pedrosa é quase uma injustiça, pois ele recebe o melhor e não entrega o título. Só algumas vitórias.

Do mesmo jeito que faz fãs, Rossi faz desafetos entre seus concorrentes no grid. Todos os garotos pilotos gostam do Rossi até terem que competir contra ele. MM gostava, Lorenzo gostava. Simoncelli gostava, mas não teve tempo de competir para deixar de gostar. Deixam de gostar porque Rossi é um rolo compressor que amassa tudo o que vê pela frente.

Teve até uma versão para a saída do Stoner da Honda que envolve o Rossi. Descontente com a Ducati, Rossi procurava um lugar para ir e parece que setores internos da equipe Honda Repsol chegaram a considerar seriamente e trabalhar para esta opção, mesmo com tudo o que Rossi fez e falou da equipe no passado. Mesmo com Stoner estando lá. Segundo esta versão, Casey Stoner considerou isso uma traição completa e de tão decepcionado e puto com a politicagem de bastidores, mandou todos a merda e se auto-aposentou.

Sendo assim, porque ele ganhou 9 títulos? Porque a Yamaha e mesmo a Honda chegou a considerar tê-lo de volta?

Porque fora das pistas, Rossi é muito superior a tudo o que apareceu até agora, Marc Marquez inclusive. Rossi tem carisma com o público, tem inteligência midiática e arriscou manobras em sua carreira que outros pilotos não fariam. Tem uma enorme legião de fãs, com o diferencial de que mesmo gente que nem assiste corridas, ou entende, torcem por ele, sabem quem ele é. Não tem prá ninguém. Rossi apaixona torcedores e vende motocicletas.

E dentro da pista continua super rápido. Ano passado superou o Lorenzo nos pontos, sendo vice-campeão, o que repetiu este ano.  Sem dúvida continua competitivo e rápido o suficiente para ser campeão, mas de agora em diante, precisa da sorte. Quase foi este ano, a diferença para o Lorenzo foi pequena e a decisão na última etapa.

No conjunto total de sua obra, que ainda não acabou, Rossi excede todos os outros pilotos de sua época, de longe. Mesmo Marc Marquez com uma carreira com potencial para superar, mesmo com Jorge Lorenzo agora penta campeão, eles dificilmente irão atingir os níveis de competitividade, popularidade e rentabilidade do Rossi. Não tenho dúvidas disso, respeito isso.

Não basta ser bom piloto, nisso eu acho que Alex Barros era até melhor, pois ganhou do Rossi na chuva com um equipamento inferior, coisa que Rossi não pode se gabar de ter feito. Mas Barros nunca seria um Rossi, por questões extra pista.

Para deixar claro e para tentar que parem de me xingar, Rossi é o melhor conjunto que até hoje apareceu. Mas não é Deus, não pode fazer o que quiser, não pode coicear e hoje, não é o mais rápido na pista. Rossi é tão diferenciado, que mesmo após Lorenzo conquistar seu penta campeonato, vejam a quantidade de linhas que escrevi sobre ele.

Voltando para o final do campeonato, o que eu tenho a dizer para encerrar de minha parte esta discussão é que a culpa pelo campeonato terminar com tantos perdedores é toda do Rossi, sua entrevista e seu coice.

Nesta altura do campeonato MM, que inclusive já tinha sido derrubado pelo Rossi e levado uma porrada na curva final de outra prova, ficou de saco cheio. Com uma Honda muito melhorada comparada como início do ano, MM deve ter pensado, “Rossi ftp, no que depender de mim, este ano não leva”. Um pensamento muito normal de entender, desde que não termine em bobagens na pista.

Mas aí deu merda na pista, e apesar dos fãs do Rossi terem tentado me convencer durante semanas que MM foi sujo, não conseguiram me convencer. MM não fez nenhuma sujeira na pista. Ah! Mas ele “atrapalhou” o Rossi. Eu acho que não deu tempo para ver, pois antes  de dar para saber, levou um coice e foi ao chão.  Mas já fui xingado o suficiente por escrever isso, leiam o post anterior. Vamos para a corrida de ontem.

A corrida correu exatamente como o previsto. Rossi largou de último, mas não faria diferença no resultado. As motos lá da rabeira são de outra categoria, são muito mais lentas e as melhores, também mais lentas do que a sua Yamaha oficial. Mesmo assim, parece que sua progressão foi facilitada. A diferença é que para os fãs do Rossi, quando parece que italianos abrem para o Rossi, é lindo. Não se pode atrapalhar a briga pelo título. Porém, quando parece que espanhóis abrem para o Lorenzo (o que discordo) é máfia espanhola. E as ultrapassagens previsíveis do Rossi nunca são normais, são cirúrgicas, são incríveis, são precisas, são do outro mundo. Coisa irritante, são ultrapassagens previsíveis e inevitáveis. Passando por Burgmans e Agrales.

Qualquer um que saiba fazer contas já tinha previsto que na volta 5 ou 6 no máximo Rossi estaria em quarto, que é a sua velocidade no momento. Foi facilitado pelo tombo do Iannone e pelos problemas na moto do Cruchtlow. E eu achando que a Honda iria dar uma moto incrível para o Carl… Desde então Rossi ficou ali perdendo em média 1 segundo por volta dos 3 líderes. Das 30 voltas da prova, tiramos a primeira que é lenta, das 29, Lorenzo deu 22 na casa de 1:31, Rossi apenas 2. Suas mais rápidas foram a terceira e a quarta, e já estava em quarto, ou seja, ninguém atrapalhou, não gastou a moto, Rossi repetiu o que tem treinado e mostrado, é quarto no cronometro.

A prova foi tensa até o fim, pois Lorenzo imprimia um ritmo forte sem conseguir se livrar do MM e no final, também de Pedrosa. Como as Hondas tem melhorado no final das provas, e se as duas Hondas passassem o Lorenzo Rossi seria campeão, o suspense durou até a última volta, mas Lorenzo venceu.

Aí voltam as críticas dos fãs do Rossi, dizendo que MM tinha que ter atacado seu adversário espanhol agressivamente. Não custa lembrar que quando Marquez fez isso com o Rossi, levou uma botinada e acharam que foi bem feito. Ou seja, para eles só é sujo atacar o Rossi, atacar o Lorenzo pode e deve. MM, que este ano levou 3 porradas do Rossi, é sujo por talvez escolher deixar o compatriota em paz para ganhar o campeonato. Sempre em dúvida, porque uma coisa é passar o Rossi que é 1 segundo mais lento em média no ano todo. Outra coisa é passar o novamente pole e recordista da pista.

Vamos imaginar que fosse o Dovi na Ducati sem chances de ser campeão, mas com velocidade para passar o Rossi e tirar dele o título? Aí tudo bem, estavam inclusive eles pedindo para o Iannone fazer isso.

Com ironia posso dizer que Rossi de fato criou o complô espanhol. Era melhor ter ficado calado.

Tudo muito ridículo. O comportamento dos pilotos, dos fãs, de alguns dos meus leitores, da Dorna e da FIM por ficarem tão reféns da popularidade do Rossi.

Perdeu o Rossi o título, perdeu o Lorenzo parte do brilho que o título merecido poderia ter, perdeu o MM por se envolver nas politicagens, perdeu a Yamaha. Ao invés de estarem todos falando como a M1 é boa, estão se preparando para gerenciar o pepino do ano que vem. Perdeu a Honda. Perdeu a Dorna, pois muitos se decepcionaram com o campeonato, perdeu a FIM, pois respeitou demais o prestígio do Rossi e perdeu moral com os pilotos. Perdi eu, que gastei um tempasso discutindo com histéricos torcedores do Rossi.

E chega de falar disso. Rossi terá mais uma chance ano que vem. Mudarão as motos, as regras, vamos ver como embaralham as cartas e vamos rezar para que o longo período de férias nos dê saudade das corridas, porque eu fiquei de saco cheio.

Abraços

Publicitário, Designer, Historiador, Jornalista e Pioneiro na Computação Gráfica. Começou em publicidade na Artplan Publicidade, no estúdio, com apenas 15 anos. Aos 18 foi para a Propeg, já como Chefe de Estúdio e depois, ainda no estúdio, para a Agência da Casa, atual CGCOM, House da TV Globo. Aos 20 anos passou a Direção de Arte do Merchandising da TV Globo onde ficou por 3 anos. Mudando de atuação mais uma vez, do Merchandising passou a Computação Gráfica, como Animador da Globo Computação Gráfica, depois Globograph. Fundou então a Intervalo Produções, que cresceu até tornar-se uma das maiores produtoras de Computação Gráfica do país. Foi criador, sócio e Diretor de Tecnologia da D+,depois D+W, agência de publicidade que marcou uma época no mercado carioca e também sócio de um dos primeiros provedores de internet da cidade, a Easynet. Durante sua carreira recebeu vários prêmios nacionais, regionais e também foi finalista no prestigiado London Festival. Todos com filmes de animação e efeitos especiais. Como convidado, proferiu palestas em diversas universidades cariocas e também no 21º Festival da ABP, em 1999. Em 2000 fundou a Imagina Produções (www.imagina.com.br), onde é Diretor de Animações, Filmes e Efeitos até hoje. Foi Campeão Carioca de Judô aos 15 anos, Piloto de Motocross e Superbike, mantém até hoje a paixão pelo motociclismo, seja ele off-road, motovelocidade e "até" Harley-Davidson, onde é membro fundador do Museu HD em Milwaukee. É Presidente do ForzaRio Desmo Owners Club (www.forzario.com.br) e criou o site Motozoo®, www.motozoo.com.br, onde escreve sobre motociclismo. É Mestre em Artes e Design pela PUC-Rio. Como historiador, escreve em https://olhandoacidade.imagina.com.br. Maiores informações em: https://bio.site/mariobarreto

Deixe seu comentário!

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.