Honda PCX 150

Honda PCX 150
Honda PCX 150

Meu amigo Maurício acaba de comprar o novo scooter Honda PCX 150 e apareceu na Autokraft para exibir a belezura. Foi um sucesso.

Novidade sempre atrai os olhares e o PCX merece, ele é bem bonito com com o acabamento Honda, onde não se vêem parafusos e todas as partes se encaixam perfeitamente. Deve ser uma ciência difícil esta, pois este encaixe perfeito não é uma coisa que as outras fábricas podem se gabar toda hora.

Eu já conhecia o modelo, pois foi convidado pela Honda para a festa de fim de ano e apresentação de novos modelos (veja aqui: https://www.motozoo.com.br/new/index.php/novidades-honda-para-2013/).
Só que neste dia eu não pude andar com ele. E depois não fui convidado para o evento de teste. Então, só conhecia a técnica, e de olhar.

Ele é grandinho e técnicamente avançado, pois é um motor refrigerado a água, com boa potência (não lembro quanto, mas não é fraco), mas o ponto alto é o seu sistema que desliga o motor automáticamente se vc parar o scooter por mais de 3 segundos. Funciona muito bem!

A Honda não me convidou mas o Maurício sim, ofereceu o bichinho com apenas 200kms rodados para eu dar uma volta e conhecer. E neste dia eu também estava com a minha scooter Aprilia Leonardo, também de 150cc, de modo que a comparação seria imediata. Se bem que a minha tem milhares de kms rodados e está com um kit de 180cc. Mas, vamos lá!

Ao subir no PCX eu pude reparar que ele é baixinho, a frente dele é baixa, e é comprido. Ele também tem um túnel central alto, dividindo bem o scooter, de modo que a melhor maneira de subir nele é como em uma moto, jogando a perna por cima.
O painel é bem completo, o acabamento primoroso mas eu não gostei da grande peça cromada que suporta o guidon. O PCX tem ares de esportivo e prá mim isso não combina com cromadões.

Liguei e logo ao sair já reparei que ele é muito macio e suave, vibra muito pouco mesmo, e é silencioso. Acelerei pela Avenida das Américas e vi que ele anda menos que a minha Aprilia, parte porque ele está muito novinho (talvez), parte porque a minha é 180cc (talvez) e parte porque a Aprilia é bravinha, mas o fato é que na aceleração ele é mais lento um pouco, embora seja boa, e de final parece dar a mesma coisa, algo em torno dos 120 km/h.
Fiz exatamente 3 curvas com ele e suas rodas de 14 polegadas, e já deu prá ver que ele curva bem e neutro, mas não se aproxima das pilotagens de uma moto, ele se pilota como scooter mesmo. Os freios tem um sistema de frenagem combinada, onde o manete da esquerda freia a frente e a traseira ao mesmo tempo, e o da direita só o da frente. É bacana, mas o freio é calmo, não tem um ataque forte nos alicates para sacudir mesmo. Para ficar forte tem que tacar a mão cheia, sem esta de dois dedinhos.

Deixei para o final a característica mais interessante e inovadora, o sistema de desligamento automático. SENSACIONAL. Você pára em qualquer lugar, passou de 3 segundos ele desliga sozinho o motor, mas deixa o resto todo ligado e fica piscando uma lâmpada verde no painel, indicando que o sistema está acionado. Para sair basta acelerar, e ele já sai ligando. Ao desligar o motor o sistema posiciona o motor na melhor posição para ligar novamente, e ao acelerar, o sistema elétrico tem uma forcinha suficiente para colocar o scooter em movimento elétricamente, com o motor ligando ao mesmo tempo. Estou tentando dizer é que você não precisa esperar o motor ligar e depois andar, vc acelera e ele anda e liga ao mesmo tempo. É incrível, funciona muito bem. Mas deve exigir uma bateria muito boa e sempre bem carregada.

Resumindo, adorei. Não é à tôa que este PCX é um sucesso nos mercados onde ele está. Não tenho dúvida de que será aqui também. O preço é de 8.700 reais e tem fila de espera!

Obrigado Maurício por me deixar testar sua queridinha e agora vamos marcar uns rolés de scooter.

Abraços,
Mário Barreto

Para a Fauna do Motociclismo.