A injustiça num lugar qualquer é uma ameaça à justiça em todo o lugar.

Este título não é meu, é uma das mais famosas frases de de Martin Luther King e está em sua Carta da Prisão em Birmingham, de 16 de abril de 1963, ano em que eu nasci, 54 anos atrás.

Ontem eu e mais 4 amigos, fomos vítimas de uma injustiça terrível que acredito ser impossível de ser reparada.

Fomos todos presos, ao nosso ver de forma absolutamente injusta, também ao nosso ver sem qualquer prova ou materialidade, tivemos nossas motocicletas e celulares apreendidos, teremos despesas e transtornos para nos defendermos disso e só nos livramos da cadeia após pagarmos cada um uma fiança de 5 mil reais.

Para as autoridades de Petrópolis, passear de moto em suas cercanias é “racha”, merece prisão e uma fiança maior do que a de um traficante preso com um carro roubado como neste exemplo que pesquisei rapidamente – http://noticias.r7.com/rio-de-janeiro/rj-no-ar/videos/primo-de-traficante-preso-por-roubo-e-solto-apos-pagar-fianca-de-r3000-16102015

Nosso país, nossas autoridades, nossos julgamentos, procedimentos e tudo mais, são todos “esquisitos”, é impossível não se decepcionar e discordar com quem diz que viver no Brasil neste momento é desperdiçar uma encarnação.

O ForzaRio, clube que presido, combinou um passeio de moto até o Galpão Caipira, no Vale das Videiras em Itaipava – http://mailchi.mp/8fa956b48e4e/caf-da-manh-no-galpo-caipira?e=[UNIQID]

No grupo  de 3 Monsters 1 Diavel e uma X-Diavel, eu e mais um avô, outro senhor de cabelos brancos, outro senhor e apenas 1 jovem. Descrevi as motos porque não são modelos de corrida.

Com a violência contra motociclistas que estamos vivendo, apenas no final de semana retrasada foram 4 motos roubadas de amigos, só é prudente sair para passear em grupos e mesmo assim com perigo. A PRF parece não ter os mesmos recursos para combater o roubo de motos na Washington Luis, que tem para prender “rachadores” na BR-040.

Domingo de manhã cedo subimos a serra e fomos interrompidos pela Polícia Rodoviária Federal no retorno para a entrada de Araras. Estavam em uma operação combinada desde o meio da semana, informações que recolhemos depois na delegacia, onde o objetivo era o de prender motociclistas. Vejam aqui – http://g1.globo.com/rj/regiao-serrana/noticia/prf-apreende-15-motocicletas-em-operacao-contra-racha-na-rodovia-br-040.ghtml

Eu e o ForzaRio sempre apoiamos estas operações da PRF, há abusos nas BR-040 e isso pode ser conferido em um texto que escrevi aqui em 2011 e que foi republicado em outros sites, sobre a operação Pegasus – http://www.motozoo.com.br/?p=28

Apoio, desde que bem feito, desde que dentro da lei, desde que com justiça, desde que prendam quem está fazendo racha.

Infelizmente sentimos na pele esta injustiça. Ninguém quis ouvir nem considerar nada. Estavam todos combinados desde o meio da semana, a missão dada, e cumprida, era a de produzir manchetes de jornal, como vimos acima, dizendo que as autoridades não estão paradas sobre o problema. Os policiais prenderam os primeiros que passaram em velocidade, pois como o procedimento na delegacia é longo, melhor ir logo. Já estava na delegacia o juiz, e o delegado com as acusações de pega prontas, faltando apenas qualificar os criminosos. Aí chegamos nós.

Nosso grupo não estava fazendo pega, a polícia não produziu provas, fotos ou multas dos integrantes, exceto de mim, que fui radarizado a 150 km/h em um ponto escolhido a dedo para a polícia armar a sua armadilha de velocidade, no final da grande descida do Alto da Serra, onde as motos infelizmente embalam um pouco mais. Sem qualquer disputa, passeio mesmo, o que caberia no máximo uma multa, pois a velocidade no trecho é de 110 km/h. Nenhuma medição para os outros. Logo depois todos juntos e lentamente, para que ninguém perdesse o retorno por desconhecimento do caminho, fomos presos, tivemos motos e celulares apreendidos, passamos 14 horas em cana e só nos livramos do PRESÍDIO com o pagamento a vista, em dia sem expediente bancário e sem poder usar os celulares para gerar tokens  ou comparecer em caixas para autenticação biométrica, da exorbitante quantia de 5 mil reais. Agora teremos que voltar lá várias vezes, constituir defesa para uma acusação criminal, comprar novos celulares.

Esta é a medida sócio educativa que as autoridades de Petrópolis receitaram para resolver o problema de rachas na BR-040. Prender o ForzaRio DOC e fazer umas manchetes.

Assim foi o meu, o domingo dos meus amigos. A decepção é enorme, a injustiça maior ainda.

Segundo autoridades de Petrópolis, perigosos.
Segundo autoridades de Petrópolis, perigosos.

Estes processos, dada a sua precariedade de provas, dificilmente alcançará condenações, e isso inclusive nos foi dito na prisão, mas como “já estava combinado” e o objetivo maior era apenas o de gerar as manchetes, o educativo. O nosso sofrimento, de nossas famílias, as aporrinhações e despesas, foram provavelmente considerados pelas autoridades como o preço a pagar, ainda mais que não são eles que pagam.

Vamos a partir de hoje evitar passar por Petrópolis o mais possível, é uma cidade onde as autoridades armam arapucas para motociclistas, onde as autoridades não gostam de motociclistas, onde as autoridades não tem autonomia para ouvir, onde a polícia prende sem provas e os motociclistas são processados sem qualquer consideração.

Recebi de uma amigo uma mensagem atribuída a autoridade da cidade de Petropólis, onde há a ameaça de acusação de prevaricação para todos os que não cumprirem a sua ordem. O terror nas polícias é tão grande que prenderam até um cidadão que estava indo de moto jogar futebol. Perdeu a pelada e só saiu de noite da delegacia.

Não podemos mais ficar a mercê destas injustiças, nosso Estado é lindo e repleto de estradas e localidades bonitas para os nossos passeios. Não se pode mais passear de moto por Petropólis. Como no mesmo texto a autoridade diz que estas operações serão constantes e rotineiras, você certamente será acusado de racha será preso, mesmo que sem provas. Ou então vamos fazer o seguinte, vai um, espera dez minutos vai outro, um de cada vez, para não te acusarem de racha. E rezem para que você não seja ultrapassado por alguém que não esteja no seu grupo, justamente o nosso caso, pois aí você será acusado de estar rachando com este outro motociclista. É surreal, mas verdadeiro.

Vida que segue, vamos nos defender, vamos vencer, vamos andar por outros lugares. Que os eventos e os encontros de Petrópolis definhem até acabarem, mais uma alegria para as autoridades petropolitanas, que nos detestam.

Mário Barreto

 

 

 

Para a fauna do Motociclismo