The Doctor na Argentina

“Two wins already, I think I can go to the end” disse Rossi após espancar Marc Marquez no GP da Argentina.

Se continuar andando assim, vai acabar ganhando seu décimo título. Andou muito, baixou o martelo e deu váaaarias voltas sensacionais seguidas, bateu recorde da pista no final do pneu e, cereja do bolo, passou o Marc Marquez na freada e deixou a traseira para o baixinho bater. Nem balançou. Estamos todos a mais de 2 anos esperando por isso. Marc Marquez dá porrada em todo mundo e fica por isso mesmo. Mas bater em Rossi, Lorenzo, Dovi, Crutchlow e até Ianonne, é outra parada. E deu sorte porque antes tinha osso mais duro como Capirossi, Alexandre Barros, Roberts Jr., Max Biaggi.

O campeonato deste ano está começando muito mais divertido do que o de 2014. Muitas coisas acontecendo, vejamos, Pedrosa fora, Marc Marquez fazendo uma bobagem atrás da outra, a Ducati estréia já com uma moto boa, Rossi no gás total e até a Suzuki fazendo uma graça largando da primeira fila.

Todos estão dizendo que a Suzuki é uma moto ótima e que só falta motor. Eu já acho que quando chegar o motor a moto não vai ficar tão ótima assim. Sabemos que moto/carro/patinete/qq coisa sem motor, faz curva para caceta, pois não tem motor para estressar o conjunto. Fato é que o Aleix Espargaró é muito bom e rápido.

O início da corrida foi bem embolado, com a Suzuki tentando e conseguindo dar um calorzinho na Honda, coisa de meia volta, mas tá valendo. Mais atrás também, com as motos mais iguais e com pilotos de ponta, as motos andam coladinhas no maior pau, uma coisa linda de ver, ainda mais para quem conhece a adrenalina e o perigo de andar assim na pista.

Mesmo com a pista mais curtinha e sem espaço para as motos mais rápidas esticarem as pernas, pude ver que tanto Honda como Yamaha liberaram um pouco mais de potência e giros para não serem atropelados pelo motorzão da Ducati. A Ducati parece ainda acelerar mais, mas ficou fácil de ver que a Yamaha M1 2015 anda bem mais de reta do que a 2014.

Quando meio que estabilizou na meiúca do segundo ao sexto lugar, Rossi começou o seu show. Nesta hora Marc Marquez estava a mais de 4 segundos na ponta e parecia inalcançável. Mas Rossi foi subindo e passando cirúrgicamente todos na sua frente até que faltando umas 9 voltas ficou sem ninguém na frente e baixou o sarrafo. No início Dovi tentou ir atrás, mas depois de 3 voltas rápidas  e quebrando o recorde da pista no processo, Dovi desistiu. O Doutor quebrou ele. E, surpresa, a distância para o Marc Marques foi engolida para 2 segundos apenas.

Depois daquela pole quando o Marc conseguiu andar rápido todo de lado e se sacudindo, ficou difícil de ver na imagem se a moto dele está com pneus gastos ou não, pois ele anda de lado e sacudindo com pneu velho e com pneu novo… Mas o fato é que no finalzinho Rossi grudou no rabo dele com decisão e ele não tinha mais o que fazer. O sensato seria sair da frente e segurar um bom segundo lugar. Ele escolheu mal o pneu, largando com o duro. Rossi escolheu o super duro e estava mais inteiro nas últimas voltas. Mas Marc Marquez foi Marc Marquez, marrento e burro. Primeiro veio todo de lado escorregando e Rossi botou por dento fácil (maneira de dizer) e sem fazer qualquer escândalo. Aí o moleque tentou fazer o que sempre fez desde o Moto3, dar porrada. Tentou uma vez, Rossi sentiu, na segunda tentativa dele ocupar o mesmo lugar do Rossi, levou uma porrada e estabacou-se lindamente. Rossi nem tremeu, e acho que ele estava preparado e esperando isso, pois a M1 levantou rápido e de rabo duro. Não digo que o Rossi deu uma porrada, mas uma vez protegida a linha, certamente ele levantou a moto rápido apostando que caso o moleque tentasse outra vez fosse encontrasse uma moto equilibrada e de pé na frente dele.

Foi lindo! Estava demorando! Bateu pé, fez beicinho, mas o que ele fez foram burrices seguidas que resultaram em 0 (ZERO) pontos e uma RCV ralada no chão. 1- Escolheu mal o pneu, arriscar prá quê? 2 – Não saiu da frente do Rossi 3 – Tentou bater no Rossi.

Rossi Marquez
Rossi Marquez

Mais atrás Dovi chegou bem. Chegaria mais perto se não tivesse perdido tempo no acidente do Marc Marquez. Ele deve ter caído na risada dentro do capacete e perdeu tempo.

E merece comentário também a grande corrida do Carl Crutchlow, passando o Ianonne na linha de chegada! Certamente deve estar com a moto do Pedrosa, que a Honda não é boba. E o Maniac Joe deu mole…

Que inveja da Argentina, que lindo GP! Nós não temos nem uma pista em condições, sacanagem isso. Como eram bons os GP’s do Brasil.

Rossi Argentina
Rossi Argentina

Abraços e vamos para o próximo.

Mário Barreto

Moto GP Austin 2015

Quem gosta de motorzinho é dentista!!! A GP15 – Ducatão – atropela as M1 na reta e lidera o campeonato de pilotos com mais um segundo lugar do Dovi.

A Honda RCV ganhou mas o Marc Marquez não é terráqueo.

No mundial de construtores está apertado, com a Yamaha liderando por apenas 1 pontinho sobre a Ducati. Este ano vai ficar ruim para a Honda pois a Yamaha tem 4 motos andando bem, e a Ducati mais 4. No momento a Honda só tem 2.

Disse o Rossi:

“Now they have a complete bike, they brake late, they enter very fast in the corner, the turning is good, and also acceleration.” Valentino Rossi could not resist a little dig at the past. “I’m quite sure this bike is better than mine,” he joked, referring to the GP11 and GP12 which suffered horrible understeer”

Traduzindo para quem se enrrola com o inglês, mesmo com o Google Translator fazendo agora um bom trabalho: “Agora eles tem uma moto completa, eles podem frear lá dentro, eles entram rapidão nas curvas, as curvas são boas e também boa é a aceleração”, e depois não resistiu e fez uma piada dizendo que “tenho certeza de que esta moto é melhor do que as minhas”, referindo-se as GP11 e 12 que ele teve na Ducati.

Rossi e Dovi - Foto Ducati
Rossi e Dovi – Foto Ducati

Não curti este circuito não, estas curvas fechadinhas eu achei ruins e os retões eram feitos sob medida para as Ducati’s. Não podemos esquecer que os 10% a mais de combustível que a Ducati pode carregar, permitem que ela fique mais tempo no modo full power, coisa que a Yamaha com apenas 20 litros não pode fazer. A arquitetura do motor 4 em linha o torna naturalmente mais difícil de economizar, com os 2 cilindros do meio esquentando mais do que as pontas. Mas parece que as Ducati’s beberam tanto nesta corrida que não conseguiram completar a volta depois da chegada. A Ducati disse que foi um problema na bomba de combustível, mas o paddock sacaneou dizendo que a bomba de combustível enguiçou por falta de gasolina…

Marc Marquez, como eu disse, não é deste mundo. Depois do que ele fez para conquistar a pole ninguém duvidava de sua vitória. Foi uma porrada psicológica muito grande na concorrência. Dovi, Rossi, Lorenzo não são de se abalar a toa, mas lá em Austin não teve como não entregar os pontos, o moleque barbarizou. Uma pena o Stoner não ter se acertado com a Honda, seria uma atração.

As lindas Suzuki’s ainda tem que gramar um pouco para conseguir mais competitividade e o Aleix Espargaró tem feito o possível. Ele é muito bom.

Para quem não acompanha as notícias nos sites especializados, Lorenzo correu doente e cheio de remédios, mas no final conseguiu um pódium (ERRADO, chegou em quarto) pois Iannone ficou com o pneu dianteiro muito gasto. Dava para ver no final como o Lorenzo, que já é bom de meio de curvas, estava muito mais rápido do que a Ducati.

Apesar da desgarrada do Marc Marquez, foi uma corrida emocionante, pois Dovi + Rossi + Ianonne andaram colados quase que toda a prova e no final ainda teve o Lorenzo. Curti.

Marquez -Foto Tony-Goldsmith
Marquez -Foto Tony-Goldsmith

Abraços e vamos para a Argentina

Mário Barreto

 

 

 

Acabou a saudade das corridas!

É meus amigos, estávamos todos com saudade das corridas de MotoGP!  O WSBK já tinha começado, e é um campeonato fabuloso, mas o MotoGP consegue ser ainda mais maneiro, pois é o top do top!

Este negócio de a Honda e o Marquez ficarem surrando todos só é divertido até a quinta ou sexta vitória seguida, depois fica chato para a audiência, que quer ver briga. E parece que vamos ter briga em 2015. A Yamaha melhorou bem, a Honda parece que melhorou menos um pouco e a Ducati melhorou mais ainda do que a Yamaha, de modo que teremos 6 motos em condições de disputar de verdade as corridas, e isso é muito, acreditem. Raramente um ano apresenta 6 motos boas na pista, sendo que 4 são para disputar o campeonato. Digo isso porque no Pedrosa eu não acredito mais, e o Ianonne terá que seguir ordens da equipe. Apenas Rossi e Lorenzo podem sair na pancadaria sem ordens de equipe. Então são 4 em igualdade de disposição, Marquez x Lorenzo x Rossi x Dovi. E isso continua sendo muito. Por isso na abertura da corrida de hoje a Dorna mandou escrever que é o campeonato com o maior handcap de todos os tempos. É mesmo. O pau vai comer!

A Honda tem uma moto muito forte, campeã do mundo, com a sua caixa de marchas secreta “zero shift” que é a melhor de todas. Tem ainda o tal do torsiômetro nos eixos do motor e uma eletrônica de matar. Mas é cavalo bravo, difícil de andar (quem está dizendo isso é Carl Crutchlow). O modelo 2015 é uma pequena evolução sobre o modelo do ano passado, V4 a 90 graus, como a Ducati. É potente, é rápida, roda bem com os 20 litros e se deu bem com os pneus do ano passado. Seu único senão é ser bruta demais.

A Yamaha M1 já era uma moto boa, mas dizem que na estrangulada para 20 litros ela perdeu a regulagem e a fluidez que precisa para explorar o seu ponto forte, a velocidade em curvas. Na reta ela não é a melhor e não adiantava nada ser a mais rápida em curva se quando você chega nela (na curva) tem uma Honda mais lenta na sua frente. Passar por cima só a nova Ducati, que tem asas, hahaha. Além disso a caixa de marchas rápida da Yamaha era muito inferior a da Honda, não permitia reduzidas rápidas sem embreagem, o que agora parece que foi resolvido. O que se quer é passar marchas tão rápido que não rebolem a moto. Ao longo do ano conseguiram reduzir o consumo para os 20 litros com uma regulagem boa. A soma disto e mais pequenos detalhes fizeram da M1 2015 uma moto que vai andar mais perto da Honda.

A nova Ducati GP15 parece ser uma moto com potencial para ser superior as duas de cima, pois já nasceu andando rápido, imagine quando ela chegar na adolescência… E isso é normal, a M1 e a RCV de hoje são evoluções de um projeto mais antigo, a Desmosedici GP15 começou a ser desenhada uns 4 anos depois que a Honda e Yamaha foram desenhadas e isso faz diferença. É uma moto mais nova na concepção, deve ter coisas mais modernas. Pouco se sabe sobre a caixa de marchas dela, mas Gigi diz que é boa o suficiente. É moderna, é pequena, é potente.

A Suzuki reaparece com outra RG mas desta vez escolheu um quadro em linha como a Yamaha. A moto é bonita e os pilotos elogiam seu chassi.  Mas tenho certeza de que só falam isso porque o motor é fraco. Todo veículo com motor fraco parece que tem chassi sobrando, é lógico, o motor não estressa o conjunto como deveria. Achei decepcionante o desempenho da moto pois o Espargaró é um monstro e se mesmo ele não consegue melhor do que um décimo primeiro, é porque a moto é ruim.

E vamos falar da corrida de estréia do MotoGP? Foi sensacional a corrida. Após treinos já meio surpreendentes com um monte de Ducati’s lá na frente e com as Yamaha’s mais para trás, a largada viu o Marc Marquez ficar lá prá trás e as Yamaha’s se embolarem com as Ducati’s na frente. As Ducati’s tem um programa de largada muito bom, sempre largam bem e todas largaram bem.  Mas depois e aos poucos, conforme o pneu perde performance , as GP14.1 e 14.2 vão perdendo posições, sempre foi assim, mas é digno de nota que tanto o Yonny Hernandez como o Danilo Petrucci são dois pilotos incríveis e seguraram elas por um tempão em boas posições. Não tem bobo no grid. Marc Marquez, em uma maldade das boas, puxou as duas Ducati’s na Superpole, para deixar elas na frente das Yamaha’s na largada. Quase deu certo. Enquanto isso as atenções estavam na recuperação do Marc Marquez e na observação da degradação da GP15.

As Yamahas treinaram mal, mas os seus tempos de corrida eram bons, mesmo largando mais de trás, estavam Lorenzo e Rossi confiantes em boas corridas. E assim foi. Com as Ducati’s se provando demônios de reta e equilibradas nas curvas, as Yamaha’s não conseguiam se livrar delas. Primeiro Dovi batalhou com Lorenzo até ele ir um pouco para trás. Depois Lorenzo disse que o forro do seu capacete soltou, atrapalhando a visão, que problema esquisito. Aí o Valentino Rossi deu o bote e Dovi teve que batalhar com ele. Uma batalha forte e limpa. Como a Ducati atropelava a Yamaha de reta, existia o perigo real de Rossi entrar na reta na frente e Dovi simplesmente passar antes da linha na última volta. Torci muito por isso, mas Rossi foi imperial em sua última volta, não errou absolutamente um milímetro e levou a prova. Sensacional!

E reparem que a melhor volta de Dovi e GP15 foi exatamente a última, o que prova que a última volta do Rossi foi um desempenho fora de série, de quem merece ganhar a prova, e que a nova Desmosedici finalmente consegue andar com pneus gastos.

Não falamos de Hondas’s porque elas foram coadjuvantes neste dia. Pedrosa nunca montou batalha e andou sozinho. Depois reclamou de arm pump e já diz que vai parar até resolver isso. Marc Marquez veio que nem um louco passando todos que andam atrás, deu um empurrão criminoso em uma Aprilia logo assim que voltou para a pista, mas como as motos estão andando mais igual, teve que moer a moto e quase cair várias vezes e mesmo assim não conseguiu chegar na ponta. Tivesse ele não feito bobagem no início, certamente teríamos ele no meio da briga, mas não acredito que ele iria sumir na ponta, do jeito que estão as coisas, o campeão vai ter que suar um pouco.

Ducati Qatar - Foto Ducati
Ducati Qatar – Foto Ducati

A única moleza que a Ducati teve nesta corrida foi a de poder usar os pneus macios para pegar a pole. Mesmo assim nem foi muita, porque como a moto é nova, não existem dados suficientes para aproveitar o pneu mole como se deve e as motos rodaram quase que completamente com os pneus de corrida para fazer telemetria para a corrida. A Ducati pode usar mais motores do que a Honda e Yamaha, mas na corrida, só usou um né? De modo que esta moleza ainda não conta. A Ducati pode usar até 24 litros de combustível. Mas isso representa mais 4 quilos de peso móvel na moto. Em teoria ela poderia ser mais beberrona e manter desempenho por mais tempo na prova, enquanto Honda e Yamaha teriam que economizar para chegar no fim. Na prática a Ducati nunca teve problemas de consumo, o tanque da GP15 parece que só tem 22 litros mas que ela corre com os mesmos 20 litros das outras porque não precisa carregar este peso extra. A Ducati andou bem porque é nova, é zero bala e o Gigi é bom. Continua marcando pontos assim vai perder o pneu mole já já, está no regulamento.

Pontos positivos da corrida, além dos citados acima, a performance geral das motos, mais juntas, o desempenho das Ducati’s velhas. Pontos negativos a Suzuki e as Aprilias, andaram muito pouco. Melandri então, pode ir para casa, lento e sem vontade.

Rossi deu show, as Yamahas e Ducati’s brilharam e o campeonato ganhou um novo gás. Já estão fofocando que Stoner vai pegar a moto do Pedrosa enquanto ele decide o que fazer… imagine…

Abraços

Mário Barreto

 

TechTalk Ducati e MotoGP

Galera, no próximo sábado de manhã,  dia 21/03, lá na Ducati Rio, vou levar o laptop e vamos conversar sobre a GP15, a história e a técnica da Ducati e outras motos no MotoGP. De onde viemos, onde estamos, para onde vamos!! Como é o regulamento deste ano e o que podemos esperar da Desmosedici.
Apareça por lá, vai ser legal, tem muito assunto.
Abraços e aguardo vocês por lá.

Mário Barreto

1-Ducati_MotGP_Team_2015_68

 

Lojinha Motozoo®

Amigos,

O Mário criou o Motozoo® no final de 2004. Desde o fim do RioGP, o Grande Prêmio de Motociclismo do Rio de Janeiro, onde ele era redator e articulista oficial, o Motozoo® virou o Blog de Motociclismo onde ele deu continuidade a este trabalho, que para ele é uma curtição.

“Porque sabemos que a galera do motociclismo é mesmo uma “fauna”, com bichos de todos os tipos.”

A lojinha ficou lá no site sem funcionar por mais de dez anos, apenas como uma idéia. Mas agora está funcionando!!

Depois de todo este tempo finalmente a lojinha do Motozoo® entrou em ação. Tudo começou quando pedimos a ajuda do compadre (de verdade) Rômulo, especialista em moda para fazer as camisetas do ForzaRio DOC, o Ducati Owners Club oficial do Rio, que o Mário preside. Aí o Rômulo perguntou: Porque não fazer logo umas camisetas bacanas para o Motozoo® e finalmente botar para funcionar?

Então está aí, store.motozoo.com.br, clique e compre. As camisetas são lindas e boas, de alta qualidade. Estou tomando conta disso e adorando.

Além desta página temos um site

http://motozoostore.neosites.com.br/ e um Twitter, é para bombar, hahahaha.  A modelo é linda.
Face:
https://www.facebook.com/pages/Motozoo-Store/925786464128092?notif_t=fbpage_admin
Twitter:
https://twitter.com/StoreMotozoo

Beijos, obrigado para todos e ajudem a divulgar.

Karina Rei

Para quem é da fauna do Motociclismo