The Biker Chef Project – in Rio

#TheBikerChefProject é o nome da aventura que saiu da Itália, de KTM, entrou pelo Chile, passou pelo Atacama e agora está aqui no Rio. Fui buscá-los na estrada porque Daniel Francesco Landini pediu. Sou carioca mas sou realista, é realmente assustador chegar na cidade desconhecida com a namorada e a moto lotada, sem nenhuma agilidade e conhecimento prévio. Lembrem-se que outro dia mataram um italiano perdido de moto em Santa Teresa…


No nosso ponto de encontro em Itaguaí.

Os dois são muito legais, o Roberto um excelente piloto, seguiu-me pela esburacada e caótica Avenida Brasil com sua linda KTM 1190 lotadassa. Tão cheia que, vejam, ao tirar as coisas da moto e colocar em um Über, lotou o carro. Marquei um ponto no final da Rio Santos, cravado no GPS e de lá levei-os até o Cristiano e Marco Tulio na Moto Rio, a autorizada KTM. A primeira missão foi cumprida com sucesso. Chegaram vivos após um tour de force de 4 dias rodando mais de 1.000 kms/dia. Iron butt.

Agora, com mais calma e já instalados, fiz algumas perguntas para o Chef Roberto, que respondeu em inglês, até o final da estadia ela vai falar português, é fácil, hahahaha.

Motozoo® – Como nasceu esta idéia? 

Roberto AgostiniA idéia de sair da Itália viajando pela América do Sul nasceu quando eu era bem mais novo. Sempre foi um dos meus maiores sonhos viajar com minha moto pela América Latina, inspirado por um livro: De moto pela América do Sul, Diário de Motocicleta de Ernesto Guevara. Trabalhando como Chef eu estava sempre muito atarefado e nunca achava tempo para uma viagem como esta, sendo assim eu decidi que o meu trabalho seria a chave para realizar a viagem. Eu criei o projeto chamado The BikerChefProject. Uma road trip pelas culturas gastronômicas da América do Sul, descobrindo os segredos das comidas locais, trocando com o meu conhecimento da cozinha italiana e com isso financiar a viagem.

Motozoo® –  Quando começou? 

Roberto AgostiniO Projeto começou no início de abril. Nós embarcamos a moto 35 dias antes do nosso vôo para o Chile. A moto chegou em San Antonio, Chile.

Motozoo® – Foi difícil organizar a viagem?

Roberto AgostiniA coisa mais difícil de organizar e o que mais nos assustou foi o transporte da moto. Muitos emails e ligações de telefone em um assunto que nós não sabíamos nada. Especialmente no Chile foi difícil a comunicação com a transportadora, que não falava italiano, com termos e questões que nós nunca tínhamos ouvido falar.

Motozoo® – Como foi convencer a Pagi a fazer esta viagem com você?

Roberto AgostiniConvencer a Pagi foi moleza, pois ela adora viajar e a América do Sul é um dos lugares que estavam na sua lista. A única condição que eu tive que aceitar para ela vir foi trazer a sua prancha de surf na moto. Depois de 4 meses de viagem no banco de trás, ela agora gostaria de comprar uma moto e seguir em frente “com suas próprias rodas”. Motozoo® bem que poderia nos dar uma moto de brinde! (n.e. Hahaha, Motozoo® até gostaria, vamos ver se alguma fábrica se anima ao lerem este artigo).

Motozoo® – Como você escolheu e equipou a moto e acessórios?

Roberto AgostiniA moto que estou usando é uma KTM 1190 Adventure R, que possuo já tem uns 4 anos e em minha opinião é a moto perfeita para uma viagem como esta. Eu já tinha as 3 malas Touratech e compramos três sacos estanques e duas malas laterais, todas da Amphibious, uma marca italiana. Instalei um filtro de combustível Guglatech, uma marca italiana, pois nos falaram que a gasolina por aqui pode não ser muito boa (n.e. É ruim). Nós temos todos os equipamentos para acampar, um galão extra de gasolina, um jogo completo de ferramentas e algumas peças sobressalentes para a moto. Temos um drone DJI Spark, duas câmeras fotográficas e uma GoPro para registrar as nossas memórias.

Motozoo® – Você recebeu algum apoio ou patrocínio para a viagem?

Roberto AgostiniQuando nós começamos a falar sobre o nosso projeto, muitas pessoas e amigos nos ofereceram para ajudar. O primeiro foi meu amigo Emanuele Fiaschini com a BeatDesign, KTM Graphic que nos ajudou bem no início. Mario Sakamoto, amigo e ex piloto de motocicletas, nos ajudou a achar literalmente tudo o que nós precisávamos para nós e para a moto. Alberto Palma, um dos melhores mecânicos na Itália e que já trabalhou no Paris-Dakar, preparou a nossa moto para esta longa viagem. Rosario Gallina nos presenteou com dois capacetes da sua Scorpion Helmen. Brema1969, uma das mais antigas e tradicionais marcas de roupas offroad italianas nos forneceu dois conjuntos completos de roupa, com jaquetas e calças. Forma Boots,  outra marca italiana líder nos forneceu dois pares de Forma Adventure. Matteo Lepore, nosso amigo e artista, desenhou o logo do Projeto.

Motozoo® – O que vocês já visitaram até agora?

Roberto AgostiniNós começamos a viagem do Chile, cruzando pelo nordeste da Argentina, chegando na Bolívia por Uyuni, rodando no sentido horário por dois meses até Santa Cruz de La Sierra. Cruzamos a fronteira com o Brasil em Porto Suarez, viemos pelo Pantanal, Mato Grosso do Sul, São Paulo e Rio de Janeiro. 

Motozoo® – Como está a experiência até agora?

Roberto AgostiniEstamos vivendo uma experiência maravilhosa, um sonho se tornando realidade. Não imaginávamos que a América do Sul tivesse tantas natureza e paisagens de tirar o fôlego, e que as pessoas fossem tão calorosas, generosas e hospitaleiras.

Motozoo® – E agora, quais são os planos futuros?

Roberto AgostiniApós parar uns meses no Rio para trabalhar, nós iremos continuar nossa viagem para o sul, até a Patagônia para depois voltar ao norte passando pelo Chile, Perú, Equador e talvez Colômbia, na esperança de já estar com duas motos.

Motozoo® – Teve alguma história engraçada até aqui?

Roberto AgostiniChegamos no Chile e fomos hospedados por um cara que conhecemos no Facebook, o Juan Francisco, que logo se tornou um grande amigo nosso.
Nos dois primeiros dias, depois de uma longa viagem e ainda de jet lag, tivemos duas degustações de vinho e dois assados com alguns ciclistas amigos dele. (no segundo dia eu me ofereci uma cerveja às 10 da manhã) Apenas imagine o cenário das três semanas seguintes em que ficamos com ele …… tivemos que escapar!

Muito bacana a aventura, dá até uma certa inveja!!! O Roberto está trabalhando no Restaurante Bota, na Marina da Glória. Vamos lá conferir o sabor italiano e aguardar pelas fotos do Rio de Janeiro. Desejamos muito sucesso para o TheBikerChefProject.

Abraços
Mário Barreto

Carreras son Carreras!

É meus amigos, eu menosprezei a corrida de hoje, achei que seria mais do mesmo e até baixou a Mãe Dinah em mim, que escrevi no Facebook no sábado:

“Sabemos o que vai acontecer… de onde está Lorenzo vai tomar a ponta e lá vai ficar até cansar ou vencer. O “cerebral” Dovi vai cair para quarto ou quinto e esperar. MM vai colar no Lorenzo e comboiar até eventualmente vencer ou salvar o segundo. Rossi completará o Pódium. Neste momento Dovi será passado pelo Viñales que só anda nas últimas voltas. Cal Crutchlow já terá se estabacado tem 10 voltas. Ver corrida pra que?”

Quebrei a cara, pois nada disso aconteceu e a corrida foi boa, de certa forma inesperada. Não digo totalmente inesperada porque Dovi, após uma semana de palavras duras entre ele e Lorenzo, marcou a pole. O pole position ganhar a prova e Marc Marquez no pódium não pode ser chamado de resultado inesperado, mas o desenrolar da corrida foi bom.  

Lorenzo que começou os treinos de maneira horrível se recuperou bem e largou feliz de quarto, posição de onde ele alcança a ponta fácil. Mas ele não fez isso, e todos deixaram a ponta para o Rossi, que ficou por lá um tempo surpreendente. Mas depois esta liderança se revelou lenta. Todos estavam poupando pneus e quando bateu 10 voltas para o final Dovi, MM e até Lorenzo, inaugurando um novo estilo de poupar para o final, atropelaram o velho. Até Crutchlow, que desta vez não se estabacou  no processo, passou também. Rossi se desconcentrou um pouco nas ultrapassagens e o Cal se aproveitou, somente para levar uma passada na última curva e chegar em quinto. O velho ainda tem saúde para dar botes.

Dovizioso começou os treinos bem e bem foi até o fim, ganhando de forma firme e consistente, resistindo a ataques do Marc Marquez e do Lorenzo. Ele precisava disso, pois está sob pressão após falar demais. Foi perfeito e a moto está melhorando um pouco a cada dia. Mas se Lorenzo consegue fazer aquela ultrapassagem dupla que tentou, ia ficar feio para ele. Ainda bem que não deu certo.

Dovi joga limpo e está jogando duro também, este final dos três se empurrando foi de matar do coração. Mas MM não é burro (não é mais, já foi), e não iria jogar fora tantos pontos para embolar com as Ducati. Imagina se ele caísse… Não estou dizendo que ele deixou as Ducatis passarem, mas certamente ele segurou a onda mais ou menos. O suficiente para segurar Lorenzo um tiquinho, pois nas duas últimas voltas Lorenzo não pode atacar com tudo porque tinha que ao mesmo tempo se defender.

Na briga de palavras entre Dovi e Lorenzo, ambos tem razão, mas as palavras de Lorenzo são mais doídas. Para comparar, ele tem 67 vitórias e 3 títulos de MotoGP, e Dovi demorou muito mais do que ele para ganhar a sua primeira corrida de Ducati e hoje foi a sua décima vitória. Por enquanto é melhor que Dovi fique calado.

A Yamaha, apesar de estar em segundo no campeonato, e não ter uma moto ruim, está em inferno astral. Rossi não é páreo para MM, Dovizioso e Lorenzo, e Viñales a cada dia mais amassado por lá, agora inventou de brigar com Ramon Forcada, um dos preparadores mais bacanas e competentes do circo. Discípulo de Antonio Kobas, ex preparador do Alexandre Barros e outros grandes pilotos, não é fácil achar um melhor. E não é marrento como era o Jeremy Burguess.

Quem está rindo a toa é Luigi Dal’Igna, a Ducati tem uma moto boa.

A Suzuki hoje sumiu, a KTM também e a Aprilia está parecendo uma CRT.

Semana que vem tem mais. Parabéns Dovi e Ducati Corse, corridasso.

Mário Barreto

Marc Marquez com a mão na Taça!

Que corrida boa de ver!!!! Mais uma.

O pau comeu em Aragón, com Marc Marquez resolvendo correr riscos e dar um basta na série de vitórias seguidas da Ducati. Hoje teve saúde, talento e moto para isso, mas não foi fácil. Longe disso.

Depois de liderar os treinos de sexta, o campeão perdeu a pole para as Ducati. Mas treinou bem, largou na primeira fila, teve uma moto muito boa. Para dar mais emoção, mandou trocar o pneu traseiro para o macio na última hora, o que me pareceu arriscado. Marc e a Honda RCV usam muito o pneu traseiro.

A aposta deu certo, sua moto chegou mais inteira de grip nas voltas finais e Dovi não conseguiu impedir a sua vitória. Emocionante pacas, porque com motos tão diferentes no momento, é natural que a parte forte de uma na pista, seja diferente da outra. Marc atacou muito, Dovi respondeu atacando também. Com isso Iannone chegou perto e o pau comeu feio, mas na precisão, na técnica. Teve uma hora em que o Iannone chegou a assumir a liderança por alguns metros, mas a Suzuki tem que comer ainda um feijãozinho para querer disputar na retomada com a Ducati e também com a Honda.

Esta parte da corrida foi sensacional, valeu a conta da NET do mês!!!

Lorenzo, o pole position e favorito para a prova, fez merda imensa na primeira curva, caindo com um highside dolorido. E continuou fazendo merda, falando bobagem e acusando o MM de ter causado isso. Idiotice. Todos viram que ele caiu sozinho e ficou feio, deselegante e burro acusar o futuro companheiro de equipe. Dá margens a ser chamado de Chorenzo. Deu mole. Treinou bem, largou da Pole, mas não fez nem uma curva e depois falou bobagem e o pior, com o futuro pentacapeão e companheiro de equipe, que vacilão. Disse que Marc arruinou sua prova e seu pé. Nada mais injusto e escroto para falar.

Dovi fez uma corrida linda, foi macho quando teve que ser, puxou um ritmo forte, mas no final sua moto esta menos no chão do que a do Marc. Tá dando sorte que o Lorenzo tem marcado zero pontos, mas comparem a comemoração do Marc e a do Dovi. Dovi fica com cara de bunda toda hora, não é um cara fotogênico, não faz palhaçada, não joga para a torcida. Não pode, os pilotos que entendem que as corridas são um show e trabalham para além de pilotar bem, são os que são campeões, que ganham mais e conseguem mais fãs. Dovi precisa melhorar isso urgentemente.

Iannone fez uma ótima corrida, valorizada pelo companheiro de equipe Rins, que perturbou e forçou o quanto pode. Completou o pódium e Rins comemorou o quarto lugar como se estivesse no pódium também. A Suzuki é uma linda moto, e está melhorando. Com 4 em linha, diga-se de passagem.

Pedrosa mandou bem melhor hoje e também destaco o sexto lugar da Aprilia com o Aleix Espargaró.

Vamos falar brevemente da Yamaha… A Yamaha só tem feito bobagem desde que o Rossi voltou para a equipe. E enquanto não se livrar dele, vai ficar piorando. Todos acham que eu não gosto do Rossi, mas a questão é técnica e simples de entender. Sou iconoclasta e critico quem cultua o mito do Rossi inoxidável e para sempre insuperável.

Vou repetir: Na pista é o seguinte, a moto não anda sozinha e nem o piloto. Portanto o tempo é o resultado do conjunto de moto+piloto. O auge do físico do homem se dá em meados dos vinte anos. Isso é fisiológico. Dali vai caindo, em alguns de forma suave, em outros e forma abrupta. Rossi é excepcional, vem caindo de forma lenta e invejável, mas é muito uma questão de fé achar que fisicamente o Valentino Rossi não seja um tiquinho, digamos 1 décimo, mais lento do que os young guns. Se ele tem este handcap de um décimo, para o conjunto ser competitivo, a Yamaha M1 teria que ser este décimo melhor do que as outras. Simplificadamente. Do ponto de vista técnico, foi uma burrice fazer a moto para o Rossi, tirando-a de Maverick Viñales. Tornou tudo mais difícil, pois ela terá que ser excepcional. Rossi fez por merecer andar em motos excepcionais e só assim se ganham corridas e títulos. Rossi faz o que é bom para ele, a Yamaha vai no reboque. Ah! e porque as outras Yamaha não andam? Zarco começou bem, mas a equipe não será mais Yamaha e ele vai para a KTM, ou seja, nada mais para a Tech 3. O outro é apenas um excelente estreante. Viñales está andando na moto do Rossi. E a Yamaha pressionada mexe em tudo, a moto está perdida. Rossi fez isso com a Ducati.

Marc está com a mão na taça. E merecido, está no topo do seu desempenho e a moto está ótima, para ele. Enfrenta as Ducatis no braço e no motor, enfrenta Lorenzo, enfrenta Dovi. Não tem prá ninguém em 2018.

Abraços
Mário Barreto

Para a Fauna do Motociclismo