Valentino Rossi no Brasil

Meus camaradas,

Levei um susto quando o Marcio Campos me disse, assim como se fosse a coisa mais natural do mundo: “O Rossi vai estar aí em São Paulo semana que vem, quer ir?” De início nem acreditei mas depois recebi o email/convite da Yamaha que confirmava tudo. Lógico que topei!

Valentino Rossi veio ao Brasil para cumprir uma extensa lista de compromissos para a Yamaha. Foi na fábrica, andou de Factor, deu entrevistas e andou de R1 na pista com o Leandro Melo, gravando para o programa Auto Esporte, da TV Globo.

De tudo isso aí eu fui na coletiva de imprensa, no coquetel com os revendedores, os dois em São Paulo, e fui também no Autódromo Velo Cittá, em Mogi Guaçú, ver a gravação do programa.

Comecemos pela coletiva de imprensa, em um hotel em São Paulo. Cheguei um pouco antes e mal me acomodei e o Rossi entrou, ao lado do Presidente da Yamaha Brasil. Muito simpático e comunicativo, um carisma incrível, ele respondeu eu um inglês de italiano impecável as perguntas que eram traduzidas para ele pelo fone de ouvido.

Profissional acostumadíssimo neste ritual, respondeu a todas sem piscar, de primeira, sempre feliz e otimista. Nenhuma pergunta inspirada ou profunda, até porque rolava um filtro, mas falou sobre sua saída da Ducati, sobre os primeiros testes na Yamaha, sobre Lorenzo, Dovi e Marquez.

Além de suas inúmeras qualidades na pista, Rossi sempre demonstrou ser muito inteligente, em suas respostas, em seus posicionamentos. Pude perceber que estamos na frente de um novo Rossi, completamente ciente de suas novas capacidades e responsabilidades. Cumprindo uma agenda de “Embaixador da Yamaha” e beliscador de pódiums. Não falou em ser campeão, seu objetivo agora, que ele deixa claro, é bons resultados, pódiums, boas apresentações, mas apresentou-se como velho para brigar com os moleques. Pode ser um truque? Talvez, Rossi é cheio deles, mas seu discurso agora é este. E a agenda também, quando um Rossi Campeão se daria ao trabalho de vir ao Brasil para fazer Relações Públicas? Nunca.

Depois da rápida coletiva passamos ao coquetel com os revendedores. Divertido, uma bagunça e na entrada e saída todos querendo abraçar, beijar, autógrafos do ídolo. Aos gritos de “Vale, Vale, Vale”, muito legal, o cara é popstar! Ficou combinado que ele subiria ao palco para fotos com as pessoas, em grupos. Eram 20 grupos. O meu foi o 3, subi e tirei a foto, que não sei onde está, ou quem tirou esta foto oficial. Maior confusão, subíamos no pequeno palco e o Rossi pacientemente levantava de um banquinho lateral e subia, já “montado” de feliz e ídolo, para a foto. Como eram 20 grupos, e a bagunça generalizada, ficou claro que isso não iria até o fim. No grupo 13 acabou a paciência ou o tempo do Rossi e ele foi embora aos gritos de “Vale, Vale, Vale”!!! Teve um cara que levou até uma mini moto para o Rossi autografar, vejam nas fotos.

Como eu não tinha acesso privilegiado e nem sou tão fanzoco assim do Vale, não me atirei lá na muvuca para bater uma foto abraçado com ele. Era possível, mas tinha que ir para a muvuca. Pulei isso. De resto, como sempre em festa de japoneses, um monte de gueixas contratadas e espalhadas para enfeitar e muito sushi.

No outro dia, sábado, viajei até Mogi Guaçú, para conferir a gravação do programa. Este convite não era para a imprensa e os colegas foram todos barrados. Era exclusivo para a TV Globo, mas neste caso eu fui como representante da MotoX Yamaha, hehe. É uma viagem de aproximadamente 2 horas. Chegando lá, um dos objetivos principais desta minha viagem, foi ver que o Velo Cittá é realmente lindo. A pista é grande (3.430 m), larga, e muito bem cuidada. Um brinco. É privada, construída por um dos sócio da Mitsubishi no Brasil, e usada basicamente por eles. Eu nunca soube de um track day para motos por lá, mas abriram excessão para a dupla Rossi + TV Globo.

Na frente de um público de convidados, foram para a pista e deram várias voltas para a gravação, com helicóptero e tudo. Imagino a emoção do Leandro “puxando” o Valentino pelo traçado, em voltas aparentemente rápidas. Queria eu estar ali andando também, imagina. Vamos conferir no AutoEsporte, devem ter ficado ótimas as imagens.

Não esperei pela apresentação da equipe Yamaha de Free Style e voltei para pegar o avião. Na coletiva de imprensa o Jorge Negretti perguntou se o Rossi tinha coragem de fazer um backflip, já que ele anda muito de motocross, e ele disse que isso é para a garotada.

Então foi isso, muito legal estar presente nos eventos, agradeço ao Marcio e ao Raul da MotoX por me cederem os convites, e ao Luis Acosta, por fazer luxuosa companhia e ter dirigido até lá.

Abraços

Mário Barreto

Fred Kyrillos e o Jeff
Fred Kyrillos e o Jeff
Rossi na Pista de R1
Rossi na Pista de R1
Rossi e Leandro Melo
Rossi e Leandro Melo
Poster do Rossi na Pista
Poster do Rossi na Pista
Motinho Autografada
Motinho Autografada
Rossi na Coletiva
Rossi na Coletiva
Sempre de bom humor
Sempre de bom humor
Coletiva Yamaha
Coletiva Yamaha

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *