É HEXA! É HEXA!

Marc Marquez arrebentou novamente, moeu a concorrência e no processo conquistou o seu sexto título seguido. **Papei mosca. Não são seguidos, Lorenzo cortou um e o Nelsinho corrigiu*** Um feito impressionante. Descolou-se de Mick Doohan, está a um título de Valentino Rossi, se aproximando de Giacomo Agostini. Sem acontecimentos extraordinários, os alcançará e está no caminho de ser o maior piloto da história.

The King

Para a Tailândia guardou uma energia extra, que precisou muito. Imediatamente superior nos treinos, e muito, levou o susto do estabacão a milhão por hora. Deu sorte, pois apesar dos ralados não se machucou gravemente. Imediatamente voltou para a pista e zerou-se para o classificatório e corrida. É muito importante que pilotos, após um acidente assustador, voltem o mais rápido possível para a pista. Isso no MotoGP, na F1, no MX. Tem condição de andar? Sobe e dá um pau, sob pena de perder velocidade. Há um processo mental que se deixado funcionar, após um acidente, gera cautela, apreensão e no final deixa o piloto lento, precisando de uma recuperação de velocidade. Não foi o caso. Marc voltou o mais rápido possível, entregou a pole, mas não a primeira fila, e veio muito bem para a prova.

Largou bem, controlou El Diablo, deu o bote certeiro. Pareceu mais fácil do que realmente foi. Foi difícil. Ele não estava 100% e o Fabio é, como seu nickname diz, diabólicamente rápido e consistente. Tanto que abriram do Viñales . Os três andaram muito bem, sumindo de Dovi, que chegou em quarto. Esta pista afastou as motos e mesmo parecendo ter retas para a Honda e Ducati, permitiu que a Yamaha andasse bem. Continua o problema de aceleração da M1, parece ser a pior. Marc coloca do lado e chega no apex com mais de uma moto de diferença. Para fazer isso não consegue uma boa linha para frear, mas passa fácil. Segue Marc sendo o único a andar com esta RCV, com Nakagami, Crutchlow e Lorenzo e arrastando lá atrás. Meu amigo, piloto e leitor Nelson Ricciardi aposta que Lorenzo está de sacanagem, mas Nakagami e Cal têm motivos para darem tudo, estão disputando posições para o ano que vem, talvez até uma posição no trono sagrado da Repsol, e mesmo assim levaram pau até de Aprilia.

Cada um com seus problemas. Assim como a Yamaha tem que lidar com o ocaso do Valentino Rossi, sem velocidade para disputar, a Honda tem que lidar com o brilho de Marc Marquez. É difícil criticar ou mudar algo que dá tão certo. Colocaram até o Puig para talvez tentar diminuir a força de Marc no HRC Repsol Team, indicar novos caminhos talvez, mas não rola. O único caminho da Honda passa pela moto 93.

E atualmente, parece que o único caminho da Yamaha passa pela moto 40. Fabio Quartararo, para a surpresa de quase todos, revelou-se um estreante excepcional, no meio de um monte de excepcionais. É rápido naturalmente, é consistente, desenvolveu a moto, não erra, e seu estilo se adapta a M1. Neste ponto cabe dizer que a M1 é a menos exigente das motos de GP, seguida da Suzuki.

O Alex Rins e Mir fizeram boa prova. Rins começa muito mal suas corridas, não sei por quê. E as Ducatis estão em inferno astral. Dovi nunca mostrou pace ou velocidade, Petrux anulou-se e Miller, a maior esperança hoje, largou do box, aparecendo só para ultrapassar a tartaruga do Lorenzo. Tem algo de ruim para explodir no box na Ducati, mesmo com Dovi na bica de conquistar mais um, o terceiro vice-campeonato seguido. Falta coisa ali, no momento até moto.

Parabéns ao Hexa campeão Marc Marquez, imbatível, soberano, poderoso, impiedoso, dominador. Fez barba, cabelo e bigode. Parabéns ao HRC, seis anos destruindo tudo e todos que aparecem na frente.

Agora torço para o Rins passar Dovi e com isso fazer com que as coisas mudem na Ducati Corse. Torço para que Marc saia de férias imediatamente e deixe que o Quartararo ganhe uma prova este ano.

E os GPs cariocas estão chegando. Vejam o pequeno vídeo que os empreendedores que estão na frente deste negócio me enviaram. Vamos nós, com força e fé. Tudo está caminhando e em 2022 teremos MotoGP em Deodoro.

Abraços
Mário Barreto.

Um comentário em “É HEXA! É HEXA!”

  1. Irretocável, Mario.
    Nesta minha vida de expatriado eu acompanho o MotoGP no detalhe, tanto no site original quanto em sites espanhóis, franceses, italianos e ingleses. Marquez é uma unanimidade: fenômeno!
    É impressionante como ainda há enfermeiras que não conseguem se curvar ao seu talento, que não se limita a tirar o máximo da moto na pista, mas nos jogos mentais que garantem a sua superioridade sobre os demais. Ele podia ter chegado em 2° sem correr riscos, mas aí o seu título dividiria as manchetes com a primeira vitória do Quartararo. Ele não deixa nada no prato… ganhou, elogiou muito o Quartararo, o que não deixa de ser uma alfinetada direta em Viñales e Rossi, e está quase conseguindo a façanha de, praticamente sozinho, conseguir a tríplice coroa. O título para a Honda acho que vem no Japão, mas, se ele conseguir tirar os 19 pontos que separam Repsol Honda da Ducati nestas quatro últimas provas, vai ter estátua dele na calçada da Calle de Méndez Álvaro, 44, Madrid. E ele vai tentar.
    Não acho que o Lorenzo esteja de sacanagem. Chegou 54s atrás em uma corrida de 23 voltas. Está sem condições físicas, mentais e emocionais. Não consigo acreditar que volte em 2020. Enquanto isso é Marquez versus Dovi + Petrux. Com algumas Yamahas e Suzukis entre eles esses 19 pontos não são impossíveis, embora, claro, seja uma tarefa muito difícil.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *