Business as usual em Brno!

E retorno das férias dos pilotos não trouxe novidades nos resultados. Marc Marquez continua imbatível e Dovizioso o seu mais consistente adversário. As motos até tem algumas novidades, como o quadro reforçado de fibra de carbono da Honda RCV, uma nova aerodinâmica na Ducati GP19, e até uma Yamaha 2020 para testar.  Mas nada ainda mudou, é MM botando prá quebrar. Com o quadro velho.

Nos treinos Quartararo fez uma graça, mas no sábado Marc Marquez deu show na conquista de sua Pole Position. Agora ele se iguala ao também mito Mick Doohan (58), sendo que no tempo de Doohan tinham menos corridas por ano, era mais difícil.  Mas então, Marc, ao contrário do que seria mais sensato, usa a sua vantagem nos pontos para arriscar, e não ao contrário!! Ele ama os riscos e no jogo mental contra os outros pilotos isso é devastador. Coloca-se muitos furos acima, como imbatível. E de fato é. A imprensa espanhola o chamou de Bestial. Andar como andou, na hora que andou, de slicks naquela condição de pista, foi realmente revelador do nível em que ele se encontra. O único em condições de talvez oferecer resistência seria um Lorenzo inteiro em uma Yamaha dedicada para ele. Digo isso porque esta combinação já bateu MM. Mas até nisso a Honda e Puig foram espertos, Lorenzo não oferece perigo no momento. Dovi e Petrux não vão e o pior, a Ducati não parece avançar como já avançou. Como Marc é muito melhor do que os outros, a Ducati para compensar tinha que ser muito melhor do que a Honda, para que o conjunto Dovi+GP19 > RCV+MM. Até já foi, mas não é mais.

Muitos dizem que a Ducati é a melhor moto no grid. Pode ser, porque ela hoje anda na mão de mais gente. Anda com Dovi, anda com Petrux, com Miller e dentro das circunstâncias, anda bem com todos até a GP18. Já a Honda só anda bem com MM. E é sofisticada, diferente, aponta caminhos. Gigi estava certíssimo, só faltava piloto e ajuste, mas Domenicali demitiu Lorenzo. Hoje é unânime que ele errou.

Supresa, surpresíssima foi a primeira fila de Zarco. Não valeu de nada, já na largada foi sugado para a rabeira. E Pol mandando ver… a situação do francês está ficando muito difícil na equipe. A KTM tem motor, durante o início das provas ela anda bem, não parece faltar muita coisa. Diferentemente da Aprilia, que se perdeu completamente. Cadê Ianonne? Jean Michel Bayle vai ter que fazer milagre na tutoria do baixinho. Como a maioria dos meus 10 leitores é mais nova, cabe explicar quem é Bayle… O francês Jean Michel Bayle é um monstro no motociclismo. Foi campeão do mundo de MX 125 em 88, 250 em 89. Como os americanos gostavam de dizer que isso não valia nada, ele foi para os EUA e foi campeão AMA 3X em 1991, no motocross, no supercross e na 500cc.  Não contente com esta demonstração de talento incrível, resolveu ser piloto de GP. Não foi campeão mas disputou várias temporadas, chegou em oitavo em 94 de Aprilia e em nono em 96 de Yamaha, nunca em equipe de fábrica e nestas duas ocasiões marcou mais de 100 pontos no campeonato. Não sei de história parecida. O Fausto Macieira disse no ar que ele agora vai ser Coach do Zarco. Tomara que dê certo, o bi-campeão da Moto2 está precisando e um bom Coach ajuda muito por um tempo. Depois, não sei porque, nunca tive, degringola. Uma das melhores fases do Barros foi quando ele contratou Rodolfo Hernandez como preparador ele melhorou muito, depois degringolou…

Hoje Marc venceu de ponta a ponta, não viu nada na frente nem do lado. Dominou. Dovi fez uma linda largada, Miller mais ou menos. Rins veio muito bem, até achei que fosse perturbar Dovi, mas não teve fôlego para isso. A Suzuki é grudada no chão né? Faz umas linhas de dar inveja nas outras marcas, e não leva um couro tão evidente nos retões… a moto está em boas mãos, mas imagine um foguete destes na mão de Zarco, ou Lorenzo…

No final Miller pôde crescer prá cima da Suzuki e foi a única luta, lutinha, que vimos. Duas Ducatis no pódium mas clima down.. em nenhum momento mostrou força, cadê Petrux…? Contraste este momento com o início do ano, quando além de vencer no Qatar, venceu também no WSBK com Bautista. A Ducati estava imbatível e no topo do mundo. Hoje não mais. Hora de mudar coisas, hora de trocar gente.

A Yamaha inconstante e novamente Rossi foi a melhor delas, o que complica a sua agonia. Como desprezar o mais popular, o mais campeão e que, a toda hora é a melhor Yamaha na pista? A Yamaha parece precisar de um ajuste mágico, senão não vai para a ponta.

E a corrida foi muito sem emoção, depois de um atraso meio inexplicável para a largada. Achei frescura, a pista estava muito, muito melhor do que em outras ocasiões e sinceramente não entendi o motivo de tanto delay. Seria melhor para o campeonato se novidades tivessem rolado… do jeito que recomeçou, deu uma esfriada. A Dorna vai inventar alguma coisa para que as coisas esquentem. Eu sugiro dar uma caganeira no Marc Marquez, mas isso deve ser pouco… pagar para ele ficar em casa…mas ele já é rico… sei lá, continua assim perde a graça.

Parabéns família Marquez por mais um fim de semana perfeito, parabéns HRC.

Mário Barreto

2 comentários em “Business as usual em Brno!”

  1. Ótimo texto, como sempre, mas discordo em alguns pontos. O atraso da largada foi decidido junto com os pilotos pois as curvas 1 e 2 e 13 e 14 estavam muito molhadas. Se todos largassem de pneus de chuva certamente teriam que trocar de moto em algumas voltas, mas alguns kamikazes que não têm nada a perder no campeonato estavam dispostos a largar de slicks e isso poderia ser muito perigoso na primeira freada após a largada.
    O domínio do Marquez, se pode ser visto como previsível, é, por outro lado, a história sendo escrita na nossa frente. Ele está liderando um campeonato em que o 10° lugar chegou a 16s e todos usam os mesmos pneus. Em 95 o Doohan ganhou Brno com o 2° colocado, Cadalora, a 14s. O Barros chegou em 8° a mais de 48s!!! A Dorna tornou a MotoGP muito mais competitiva, mas o Marquez, a Honda e a equipe do 93 são fenomenais. Para você ter uma ideia, o 93 não estava satisfeito com a moto no warmup. O Santi Hernández foi lá, fez um setup diferente de tudo que eles tinham feito até então e bateu no peito “se não der certo a culpa é minha”. O Marquez confiou e liderou de ponta a ponta. Nesse esporte tão complexo é o conjunto que faz a diferença. Faltava motor? A Honda deu. E o MM é um piloto que compete contra si mesmo, por isso está quebrando recordes.
    O Quartararo pode vir a ser o grande rival dele, desde que tenha uma equipe que o ajude.
    Não acredito mais em um retorno do Lorenzo. Ele está muito rico, já tem 5 títulos, e está ficando de saco cheio de se quebrar e ficar fazendo fisioterapia.
    A Yamaha foi mal no domingo por um motivo simples: o forte dela é velocidade em curva e a pista não estava muito aderente. Se eles não podem maximizar a sua vantagem porque o grupo não está 100% as desvantagens ficam evidentes.
    Zarco e Viñales deram declarações dizendo que se afundaram na largada porque estavam no lado molhado da pista. Rins estava no mesmo lado que eles, mas em uma posição ligeiramente diferente, mais para o canto. O fato é que o Viñales perdeu toda a upper hand qué tinha conquistado em Assen e Sachsenring…
    Então é isso: se a Dorna quiser movimentar o campeonato vai precisar dar uma rearranjada nos pilotos. A Suzuki e a Ducati poderiam estar melhor servidas. E a KTM mostrou que pode ser competitiva se o chassis e a suspensão dianteira não tiverem que trabalhar no limite.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *