MotoGP Austin 2019

E o que parecia ser apenas uma formalidade, uma corrida chata e meio sem graça, transformou-se de repente em uma corrida histórica e cheia de alternativas!!!! Esta é a graça das corridas de moto, o script é imprevisível.

A Honda e Marc Marquez dominam de tal maneira este circuito, que quase ficou sem graça. Nos treinos tirou onda, andou o que quis, na hora que precisava e nem reclamou das ondulações da pista.

Parece que o chão trabalhou debaixo da pista (deve ter sido o mesmo “engenheiro” que fez a pista dos BRT’s aqui do Rio) e a pista ficou com grandes ondulações na reta. E um asfaltamento não resolveu. Muitos pilotos reclamando alto, dizendo que esta prova é incrível pelo envolvimento e organização, mas que a pista não está no nível adequado para um mundial.

No final dos treinos e classificação, vimos a Ducati Corse enrolada com Dovi e Petrux, uma surpreendente KTM largando de quinto com Pol Espargaró, e a Yamaha muito consistente na mão de Rossi e dos pilotos satélites. Maverick será muito provavelmente demitido, não tem realizado o que dele se espera. Rossi novamente, na pista, com resultados, tomou dele a liderança da marca e certamente irá liderar a moto. Tudo o que a Yamaha não precisa no momento. Morbidelli e Quartararo estão fazendo belas corridas e já já assumem o lugar de Maverick Viñales. Teve sua chance, é ótimo piloto, mas para número um da Yamaha, para mim, não está dando.

Zarco está abatido, não se acerta na moto. É um ótimo piloto, bicampeão de Moto2, ultra competitivo, não aguentará ficar levando couro do Pol, que é segundo piloto. Ele ganha mais, veio para subir o nível da KTM, não está dando certo.

A Aprilia bateu cabeça. Nem Iannone nem Aleix andaram bem. Aleix foi um dos que mais reclamou das ondulações e saiu logo da prova, com tombo. São apenas 3 provas, mas a moto não mostrou hoje velocidade nem consistência.

No HRC Lorenzo quase ficou fora de novo do Q2, uma vergonha. E as motos deram problemas mecânicos, algo incomum nas RCV. A Honda está melhor este ano, em tudo. Melhor de motor, a Ducati não tira mais onda que tirava, melhor de tração. Mas deu problemas mecânicos, matando uma moto de Lorenzo ontem nos treinos e hoje na corrida. Marc está ótimo, se não cai, iria ganhar com muita diferença. Cal é o cai cai de sempre, hoje em típico tombo dele mesmo, marca registrada, cair sozinho quando em boa posição. Lorenzo ainda se adaptando e pagando um certo mico lá atrás e o Nakagami discreto. No papel o time é ótimo, hoje iria ganhar e de um minuto para o outro, tudo mudou.

Rossi treinou ótimamente para largar de segundo no grid, e estava correndo ótimamente para ser segundo na corrida. Caiu-lhe no colo a liderança e chegamos (eu, ele, nós) a pensar que o seu jejum de vitórias iria acabar, mas Rins foi bem fdp e não deixou. Entendo, a Suzuki e Rins precisavam mais desta vitória.  A Yamaha está como sempre bem equilibrada e também como sempre, faltando motor. Rossi tem como uma de suas melhores características a adaptação. Rossi é piloto de GP, sabe criar e usar uma moto de GP perfeita. Mas diferentemente de Lorenzo, quando não consegue uma moto perfeita, Rossi sabe adaptar-se (especialmente nas corridas) ao que tem na mão, produzindo corridas memoráveis. Como a de hoje, onde não errou nada. Só não andou mais do que o Rins.

Em sua entrevista de Parc Fermé Rossi foi de uma clareza, humildade e discernimento incríveis. Disse que estava chateado por não ter ganho, que está há muito tempo sem vitória, que acreditou que iria levar esta, mas que Rins simplesmente estava melhor do que ele. Disse que botou tempo em cima de tempo, mas não foi suficiente. Exato.

Rins veio de trás botando tempo em cima de tempo, errando nada e deu o bote. A Suzuki precisava disso, Rins precisava disso. Mesmo sabendo que a queda de Marc Marquez facilitou, foi uma grande vitória para a equipe. A moto tem melhorado em todas as áreas, hoje tinha mais motor do que a Yamaha, e não perdeu a qualidade nas curvas. E sem grandes patrocinadores, é a moto mais bonita do grid, longe.

Dovi passou do inferno ao céu. Teve um fim de semana horroroso e saiu de Austin líder do campeonato, mas vejam… A Desmosedici é uma moto que tem o motor como ponto forte, e o “handling” como ponto mais fraco. É alta, grande perto das outras. Como anda demais, chega no Apex tendo que lidar com mais energia do que as outras, suas freadas são mais difíceis. Como se fosse pouco, é certamente a moto mais complexa e difícil de acertar do grid. Quando acertam, é um foguete. Mas as vezes precisam de mais tempo. Dovi largou de trás e chegou muito bem, em quarto. Miller andou bem o tempo todo, fez um pódium emocionado e deu chicotada em Petrux. Só não pode ficar chegando na frente de Dovi, porque a Ducati não gosta.

Valeu então. Confesso que me deu um certo sono no meio da corrida, pensei que Marc fosse ganhar mais uma. Mas aí Rossi pegou a ponta e Rins botou fogo na corrida. Na volta final a combinação do diretor de TV malandro + certo cagaço do Rins, fizeram parecer que Rossi poderia disputar a ponta. Deu uma emoção, mas estava dominado!

Vamos para as Orópa, onde o bicho pega com mais força. Linda homenagem ao Nick Hayden, bela corrida de Rossi (mais uma), belíssima corrida de Alex Rins.

Abraços
Mário Barreto

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *