The Biker Chef Project – in Rio

#TheBikerChefProject é o nome da aventura que saiu da Itália, de KTM, entrou pelo Chile, passou pelo Atacama e agora está aqui no Rio. Fui buscá-los na estrada porque Daniel Francesco Landini pediu. Sou carioca mas sou realista, é realmente assustador chegar na cidade desconhecida com a namorada e a moto lotada, sem nenhuma agilidade e conhecimento prévio. Lembrem-se que outro dia mataram um italiano perdido de moto em Santa Teresa…


No nosso ponto de encontro em Itaguaí.

Os dois são muito legais, o Roberto um excelente piloto, seguiu-me pela esburacada e caótica Avenida Brasil com sua linda KTM 1190 lotadassa. Tão cheia que, vejam, ao tirar as coisas da moto e colocar em um Über, lotou o carro. Marquei um ponto no final da Rio Santos, cravado no GPS e de lá levei-os até o Cristiano e Marco Tulio na Moto Rio, a autorizada KTM. A primeira missão foi cumprida com sucesso. Chegaram vivos após um tour de force de 4 dias rodando mais de 1.000 kms/dia. Iron butt.

Agora, com mais calma e já instalados, fiz algumas perguntas para o Chef Roberto, que respondeu em inglês, até o final da estadia ela vai falar português, é fácil, hahahaha.

Motozoo® – Como nasceu esta idéia? 

Roberto AgostiniA idéia de sair da Itália viajando pela América do Sul nasceu quando eu era bem mais novo. Sempre foi um dos meus maiores sonhos viajar com minha moto pela América Latina, inspirado por um livro: De moto pela América do Sul, Diário de Motocicleta de Ernesto Guevara. Trabalhando como Chef eu estava sempre muito atarefado e nunca achava tempo para uma viagem como esta, sendo assim eu decidi que o meu trabalho seria a chave para realizar a viagem. Eu criei o projeto chamado The BikerChefProject. Uma road trip pelas culturas gastronômicas da América do Sul, descobrindo os segredos das comidas locais, trocando com o meu conhecimento da cozinha italiana e com isso financiar a viagem.

Motozoo® –  Quando começou? 

Roberto AgostiniO Projeto começou no início de abril. Nós embarcamos a moto 35 dias antes do nosso vôo para o Chile. A moto chegou em San Antonio, Chile.

Motozoo® – Foi difícil organizar a viagem?

Roberto AgostiniA coisa mais difícil de organizar e o que mais nos assustou foi o transporte da moto. Muitos emails e ligações de telefone em um assunto que nós não sabíamos nada. Especialmente no Chile foi difícil a comunicação com a transportadora, que não falava italiano, com termos e questões que nós nunca tínhamos ouvido falar.

Motozoo® – Como foi convencer a Pagi a fazer esta viagem com você?

Roberto AgostiniConvencer a Pagi foi moleza, pois ela adora viajar e a América do Sul é um dos lugares que estavam na sua lista. A única condição que eu tive que aceitar para ela vir foi trazer a sua prancha de surf na moto. Depois de 4 meses de viagem no banco de trás, ela agora gostaria de comprar uma moto e seguir em frente “com suas próprias rodas”. Motozoo® bem que poderia nos dar uma moto de brinde! (n.e. Hahaha, Motozoo® até gostaria, vamos ver se alguma fábrica se anima ao lerem este artigo).

Motozoo® – Como você escolheu e equipou a moto e acessórios?

Roberto AgostiniA moto que estou usando é uma KTM 1190 Adventure R, que possuo já tem uns 4 anos e em minha opinião é a moto perfeita para uma viagem como esta. Eu já tinha as 3 malas Touratech e compramos três sacos estanques e duas malas laterais, todas da Amphibious, uma marca italiana. Instalei um filtro de combustível Guglatech, uma marca italiana, pois nos falaram que a gasolina por aqui pode não ser muito boa (n.e. É ruim). Nós temos todos os equipamentos para acampar, um galão extra de gasolina, um jogo completo de ferramentas e algumas peças sobressalentes para a moto. Temos um drone DJI Spark, duas câmeras fotográficas e uma GoPro para registrar as nossas memórias.

Motozoo® – Você recebeu algum apoio ou patrocínio para a viagem?

Roberto AgostiniQuando nós começamos a falar sobre o nosso projeto, muitas pessoas e amigos nos ofereceram para ajudar. O primeiro foi meu amigo Emanuele Fiaschini com a BeatDesign, KTM Graphic que nos ajudou bem no início. Mario Sakamoto, amigo e ex piloto de motocicletas, nos ajudou a achar literalmente tudo o que nós precisávamos para nós e para a moto. Alberto Palma, um dos melhores mecânicos na Itália e que já trabalhou no Paris-Dakar, preparou a nossa moto para esta longa viagem. Rosario Gallina nos presenteou com dois capacetes da sua Scorpion Helmen. Brema1969, uma das mais antigas e tradicionais marcas de roupas offroad italianas nos forneceu dois conjuntos completos de roupa, com jaquetas e calças. Forma Boots,  outra marca italiana líder nos forneceu dois pares de Forma Adventure. Matteo Lepore, nosso amigo e artista, desenhou o logo do Projeto.

Motozoo® – O que vocês já visitaram até agora?

Roberto AgostiniNós começamos a viagem do Chile, cruzando pelo nordeste da Argentina, chegando na Bolívia por Uyuni, rodando no sentido horário por dois meses até Santa Cruz de La Sierra. Cruzamos a fronteira com o Brasil em Porto Suarez, viemos pelo Pantanal, Mato Grosso do Sul, São Paulo e Rio de Janeiro. 

Motozoo® – Como está a experiência até agora?

Roberto AgostiniEstamos vivendo uma experiência maravilhosa, um sonho se tornando realidade. Não imaginávamos que a América do Sul tivesse tantas natureza e paisagens de tirar o fôlego, e que as pessoas fossem tão calorosas, generosas e hospitaleiras.

Motozoo® – E agora, quais são os planos futuros?

Roberto AgostiniApós parar uns meses no Rio para trabalhar, nós iremos continuar nossa viagem para o sul, até a Patagônia para depois voltar ao norte passando pelo Chile, Perú, Equador e talvez Colômbia, na esperança de já estar com duas motos.

Motozoo® – Teve alguma história engraçada até aqui?

Roberto AgostiniChegamos no Chile e fomos hospedados por um cara que conhecemos no Facebook, o Juan Francisco, que logo se tornou um grande amigo nosso.
Nos dois primeiros dias, depois de uma longa viagem e ainda de jet lag, tivemos duas degustações de vinho e dois assados com alguns ciclistas amigos dele. (no segundo dia eu me ofereci uma cerveja às 10 da manhã) Apenas imagine o cenário das três semanas seguintes em que ficamos com ele …… tivemos que escapar!

Muito bacana a aventura, dá até uma certa inveja!!! O Roberto está trabalhando no Restaurante Bota, na Marina da Glória. Vamos lá conferir o sabor italiano e aguardar pelas fotos do Rio de Janeiro. Desejamos muito sucesso para o TheBikerChefProject.

Abraços
Mário Barreto

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *