Com a mão no título!

Meus camaradas! O pau comeu na Austrália!!

A pista de Phillip Island é incrível. Rápida, linda e para bravos. Ela nos mostra duas coisas interessantes que são o altíssimo nível de todos os pilotos e as pequenas diferenças nas motos. Ninguém precisa ensinar a Suzuki ou a Aprilia como fazer um motor potente. Potente todas são, e muito. O que faz a diferença mínima entre as motos da ponta e as do segundo pelotão é o controle desta potência durante todas as fases de uma prova. Este controle dá milésimos em cada curva e volta, economiza pneus e no final umas ganham e outras chegam mais atrás. Mas na Austrália o traçado é super fluido e rápido, não tem pontos de reaceleração difíceis de acertar, é mão no fundo e coragem. A diferença entre as motos é menos sensível. E coragem não falta para ninguém. Deu nisso, pau o tempo todo entre um grupo maior, com Zarco, Iannone, Rins, e até uma certa hora até Aleix Espargaró. Só divididas boas entre ossos duros de roer! Teve Rossi x Marquez, Marquez x Zarco, Zarco x Rossi, Iannone x Zarco, Iannone x Rossi… teve de tudo de todos os jeitos e o um saldo de macacões marcados de borracha e até a rabeta do Marc quebrada.

Foi porrada mesmo, em uma prova PÉSSIMAMENTE transmitida pela TV. O diretor de TV que cortou as imagens é um imbecil, que ficou perdendo um monte de coisas incríveis, para o desespero da Karina (minha muié).

Hoje tem muito o que falar de todos. Primeiro vou falar de mim, que queimei minha língua feio. No post anterior eu disse que a Ducati agora tinha uma moto para andar em qualquer pista e bla bla bla… mifú bonito, a Ducati fracassou de maneira medonha hoje na Austrália. Não li nenhuma explicação ainda, mas nenhuma Desmo se apresentou para o pau. Nem nos treinos, nem na prova. Dovi e Lorenzo se arrastaram lá no fundo e só o imbecil do Diretor de TV se interessou em ficar mostrando. Dovi ainda perdeu 2 posições na linha de chegada, patético. Como o Pedrosa, que enquanto o Marc carrega a moto e vence provas para ser campeão, fica lá brigando para chegar em décimo segundo. Agora já era Dovi, foi mico em uma hora péssima.

Rossi é incrível. Nas condições que está, menos que perfeitas, brigar e andar o que andou hoje é muito impressionante. E ainda botou pilha “quem achar perigoso que fique em casa”. Com apenas uma perna e meia, freando no dedão da mão, vai fazendo o que sempre fez, freando lá dentro, fazendo linhas difíceis, inventando traçados, se adaptando as condições de cada momento da prova. Ele gosta de brigar na pista. Chegou em segundo mas tão contente que até falou com o Marc, só faltou beijo e abraço.

Foto do Site Crash.net

Vinãles chegou em terceiro, mas podia ter chegado em segundo também. Ele me lembra o Lorenzo as vezes, de tão rápido e certinho na moto. Ele anda agarradinho na moto, sem muitos movimentos, deita bastante a moto, que piloto sensacional é e ainda será mais.

Zarco não quer saber de nada nem de ninguém. Não respeita título, idade, moral. Tem um controle incrível da moto na fase mais crítica das freadas, alí quando solta o freio e põe a moto de pé para meter a mão. Com isso ele complica qualquer um quando resolve disputar posição. A única saída para isso é não deixar espaço algum, nenhum, cruzar uma moto na frente dele, senão ele mete o bico. Típico de Moto2, onde com os motores iguais, se não fizer estas coisas, não passa.

Quem imaginaria Jack Miller liderando de Honda Satélite? Pois é, liderou e andou muito! Em casa. Cruthlow, que já venceu ali, andou perto, mas não tanto, decepcionou um pouco.

E o quase campeão Marc Marquez, tirando a onda na entrevista de parc fermé, dizendo que ficou esperando, esperando, até dar o bote na hora certa. Parece impossível, mas foi isso mesmo que ele fez o ano todo. E desde o ano passado, o novo Marc cerebral. Esperou, esperou, duelou, passou, deixou de dividir, até que dividiu, passou e foi para a frente ganhar. O HRC é incrívelmente competente e perseverante. Marc é incrivelmente talentoso e com esta vitória ele botou a mão na taça. Não só por vencer, mas porque a Ducati deu uma murchada difícil de recuperar em 2 provas. Marc disse após a prova, “a melhor defesa é o ataque”. Taí, atacando.

MotoGP é o esporte a motor mais maneiro que existe, seguido de perto pelo WSBK, desde que o Rea pegue uma gripe, é claro.

Abraços
Mário Barreto

One thought on “Com a mão no título!”

  1. Na minha visão. A síntese da corrida foi: Os pilotos da Yamaha e ate a Suzuki andaram 110%, enquanto o Marquez andou os 100%, A Honda mais uma vez mostrou sua forca. Quando quer põe todas as motos pra andar pra ajudar o Marquez. pos 3 Hondas entre Ele(Marquez) e o Dovi. Rossi e um monstro. Fez uma cirurgia na perna de fratura exposta ha pouco mais de 30 dias. Normalmente nesse tempo, não da nem pra por o pe no chão.Mas estou chateado com ele(Rossi). O universo lhe deu a chance de retribuir tudo que a Honda/Marquez fizeram com ele em 2015. Nas mesmas condições. Tudo começou no GP da Autralia em 2015. Pra quem enxerga a corrida foi muito semelhante. A porrada comendo entre os ponteiros e o Marquez com uma visível sobra de equipamento nas duas corridas. Minha esperança e que o Rossi ainda decida esse campeonato na Malasia em favor da italia. PS. A instabilidade da Ducati e a Yamaha serão fundamentais para o titulo a Honda( se acontecer). Não da pra pensar em campeonato com uma moto instável . So funcionando em determinados circuitos e situações. Não da pra ganhar brilhantemente uma corrida e no outro fim de semana chegar no fim da fila.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *