DÔVÍ!DÔVÍ!DÔVÍ!DÔVÍ! – MotoGP Silverstone

Mais uma corridassa da Ducati. Depois de gastar os tubos (ainda está gastando), de ir e voltar, de sofrer um bocado e maltratar vários pilotos maravilhosos, FINALMENTE a Ducati tem uma moto capaz de disputar um campeonato com a Honda e Yamaha. Desmo Rules!

No tempo do Casey Stoner, tirando a GP 7 que era muito superior as outras, o piloto fez a diferença. Casey carregou a Ducati nas costas porque Honda e Yamaha rapidamente recuperaram em cima da Ducati. Lembrando a galera que não acompanhou… A Ducati venceu com a GP7 o primeiro campeonato de 800cc. A Ducati meio que abandonou o campeonato do ano anterior e adiantou em 6 meses o programa da 800cc. Honda e Yamaha que sempre se matavam na pista, não puderam se dar este luxo. A Ducati aproveitou e apresentou uma 800 muito mais desenvolvida, a GP7, que barbarizou na mão do Casey. Depois Casey não conseguiu repetir o feito, mas ganhava corridas no puro e inigualável talento que tem em andar de Ducati. Até hoje.

Pois bem, a GP17 é uma moto avançada, desenvolvida, rápida e diferente. É a única desmodrômica, a única a usar um J-Dumper, a primeira a usar as asas aerodinâmicas, a primeira a usar a suspensão dianteira de fibra de carbono, as rodas fechadas (que ainda não foram usadas em corridas). Um monte de inovações (tubos de dinheiro). Não podemos esquecer que o CEO Domenicali é o antigo chefão da Ducati Corse e que a grana disponível é do calibre do Grupo VW/Audi.  Além disso, a Ducati tem muitas motos na pista. GP15, 16 e 17. Pensando que cada moto na pista com um ótimo piloto é um “probe” recolhendo dados para a equipe, não é de se estranhar que a Ducati esteja avançando muito no entendimento dos pneus Michelin. De longe a Ducati Corse é a equipe que tem mais dados sobre a mesa.

Dovi sempre foi ótimo piloto, é um campeão do mundo de 125cc e andou muito bem na 250. Não ter sido campeão na 250 foi inesperado e resultado de uma competição fortíssima. Tanto que não atrapalhou sua carreira. Dovi é rápido, leal, inteligente, trabalhador. Reclama pouco, trabalha muito, no estilo do Nick Hayden. E agora que tem uma moto que anda na reta e nas curvas, está usando toda a sua experiência de Ducati para liderar o campeonato. Não será um Pedrosa, que com tudo na mão perdeu vários campeonatos. Se Marc Marquez não reagir, carregando a Honda nas costas como Stoner fazia com as Ducati’s, Dovi vai levar este campeonato. As Yamaha’s, apesar da encostada nervosa que o Maverick Vinãles deu na última volta (sua melhor volta na prova), está dominada. As outras Honda’s também. Só Marc apresenta perigo. Tá tudo embolado e o MotoGP é imprevisível, não quero queimar minha língua e digo que tudo pode acontecer, até Rossi ganhar seu décimo, mas acho muito improvável. Para completar, Dovi está tomando conta do numeral 4 do Alexandre Barros, uma força e tanto.

Uma pena a Honda ter fumado hoje, teríamos um final de prova cascudo, novamente entre Marc e Dovi, em uma pista em que a Ducati não consegue esticar as pernas e onde a pista imperfeita faz a moto sacudir do jeito que o Marc segura bem.

Rossi fez uma corrida excelente, largando perfeitamente e segurando a ponta por 18 voltas. Não só segurando, andando rápido e respondendo aos ataques que vieram do início ao meio da prova. O problema é que não conseguiu responder aos ataques do final da prova. MotoGP é uma coisa tão fina, tão incrível… os pilotos estão ali correndo mas ao mesmo tempo pensando e fazendo estratégias, mudando os settings da moto. Não são pessoas normais. TODAS as voltas são feitas para um planejamento, são de ataque, de defesa ou para atender a um cálculo de pneus ou combustível. Não tem volta de bobeira. Rossi planejou com sucesso 18 das voltas da corrida, mas não deu, no final Dovi e Vinãles atacaram e tinham um pouco mais para colocar no chão.

Todos andaram bem nesta pista difícil, com poucos pontos de ultrapassagem. Lorenzo segurou Zarco, o que hoje em dia não é pouca coisa. Lorenzo está e entendendo a cada dia melhor e a Ducati Corse está entendendo isso muito bem, sem pressão sobre ele. Ele precisa melhorar seus resultados no final de prova, mas só em ter um Lorenzo na equipe faz tudo melhorar.

Crutchlow foi a melhor Honda e Rins e Pol surpreenderam, assim como Aleix. Aprilia e KTM estão melhorando rápido e já alcançaram as Ducati’s antigas e as Satélites.

Agora imagina… liderando o campeonato, com mais vitórias do que os outros, e indo para Misano… O BICHO VAI PEGAR. Eu daria um rim para estar lá.

Abraços
Mário Barreto

Uma ideia sobre “DÔVÍ!DÔVÍ!DÔVÍ!DÔVÍ! – MotoGP Silverstone”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *