MotpGP10

MotoGP 5 – França

Que corridaça meus amigos. Não assisti ao vivo, fui no encontro de Motos Clássicas do Alto da Boa Vista, quis chegar cedo lá e contei com a Internet para assistir mais tarde.

Lógico que fiquei sabendo do resultado, inclusive o Fausto Macieira e o Guto chegaram lá no encontro sabendo de tudo. Quando disse que não assisti todos respeitaram e não me deram muitos detalhes. Sentei para assistir sem saber muito mais do que o vencedor, e que o Rossi tinha caído no finalzinho.

Cara, finalzinho é uma coisa, nas últimas curvas da última volta é outra bem diferente… foi miserável, não precisava!!! Rossi fez uma corridaça, Viñales fez uma corridaça e Zarco fez uma corridaça plus. A Yamaha se apresentou ótimamente em Le Mans, e isso era previsto. Apesar do chororô do Crutchlow, abriu um céu azul na corrida.

Zarco mandando ver e céu azul
Zarco mandando ver e céu azul

Vamos por partes. Zarco, que renovou seu contrato com a Tech3 para o ano que vem, a cada treino, a cada corrida, afirma o seu talento e praticamente o garante como um vencedor de provas e até um futuro campeão do mundo de MotoGP, porque bi-campeão de Moto2 ele já é. Rápido, liso na pilotagem, ele deixa a moto andar no limite e segura a onda. Não podemos esquecer que ele está com a Yamaha 2016, em uma equipe com menos recursos. Hoje, arriscou para fazer um bonito e veio com os dois pneus macios. Isso talvez explique o seu desempenho no início da prova, mas o declínio no final foi sutil, ele não ficou para trás, respondendo ao Pedrosa e em linhas muito rápidas.

Rossi largou meio mal, como sempre, só que agora é cada vez mais difícil chegar na ponta. Não é fácil manter o nível de concentração e físico necessários para andar com a molecada. Viñales é 16 anos mais novo do que ele… Mas isso não o impediu de manter um ritmo de prova sensacional, observando tanto o Vinãles como o Zarco, talvez se poupando para o bote final que foi magistralmente aplicado  no…no final. Só que, vejam só, a volta mais rápida da prova foi aplicada pelo Vinãles na última volta!!! O bicho estava pegando mesmo e Rossi não quiz segurar um resultado que o manteria na frente do campeonato, partiu para o tudo o nada. A Yamaha estava tão acertadinha e o estilo deles não é “espetaculozo”, sem olhar os tempos poucos diriam que esta última volta foi a mais rápida da prova. Fiquei com pena do Rossi, ele merecia chegar, merecia ganhar. O tombo foi inacreditável, e ele ficou arrasado ao lado da moto.

Rossi devastado
Rossi devastado

Vinãles é um novo Lorenzo e certamente a Yamaha tinha estes dados antes de contratá-lo e colocar nele suas fichas. Ele precisa de uma moto boa para andar (como o Lorenzo), uma moto boa no meio da curva (como o Lorenzo) e prefere pista livre na frente (como o Lorenzo), quando o negócio fica entre ele, a pista e a moto. Fez pole, volta mais rápida, errou menos, venceu com muitos méritos e seria muito melhor se o Rossi não caísse. Fez o que tinha que fazer quando foi passado por um alucinado Rossi, botou a melhor volta da prova no rabo do véio. Não me conformo com a queda do Rossi desta maneira…

Mais para trás vimos o Pedrosa dar um pancadão no Crutchlow, em curva, coisa que não esperaríamos do Pedrosa. O Gibernau está botando uma pimenta no baixinho. Do meio para o final da prova vinha botando volta mais rápida em cima de outra, em uma pista que não é para a Honda. Marc vinha meio que controlando o seu quarto lugar (o Marc cerebral cata pontinhos) e escorregou de bobeira também.

As Ducati’s vinham fazendo uma corrida digna, com Dovi emboladão com duas Hondas 2017, acho isso bem digno e é isso que se espera da Ducati na mão de um bom piloto. Para ser campeã ela precisa de um piloto excepcional, como é Casey Stoner. E como é Lorenzo, só que Lorenzo ainda está muito inconstante na moto. Hoje chegou na classificação logo atrás do Dovi, mas um pouco longe porque largou muito de trás. A transmissão mostrou pouco ele na pista, mas vi que no início ele vinha meio durão na moto, fazendo umas linhas diferentes e que pareciam piores. Acho que no final melhorou. Tivesse classificado melhor para a largada chegaria perto do Dovi, acho eu.  Hoje muitas Ducati’s pararam. E a Aprilia fumou… que dó.

A adorada Aprilia fumou...
A adorada Aprilia fumou…

As Suzukis tiveram um dia para esquecer. Ianonne não apareceu na prova e Guintoli chegou em último, justificadamente fora do pace dos outros pilotos, mas gosto muito dele. Mais até do que do moleque Rins.

Curti a prova. Fiquei com pena do Rossi e isso é raro. Prova que ainda tenho um coração. Vamos para a próxima.

Bora véio, força na cueca!
Bora véio, força na cueca!

Abraços

Mário Barreto

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *