Arquivo da categoria: Motozoo® Blog

Opinião Motozoo®

Qatar 2019, começa o MotoGP!

Estávamos já com saudades do MotoGP, doidos para ver como esta arrumação de pilotos e equipes irá funcionar. Nada de muito revolucionário estava preparado, as versões 2019 de todas as fábricas são melhoramentos dos modelos 2018 de modo que o final da temporada de 2018 deu o tom.

Esperávamos Honda e Ducati um tico na frente, com crescimento de Suzuki e Yamaha. Os pilotos principais também não mudaram e o foco ficou para as estréias dos novos pilotos e o troca troca de Lorenzo, Zarco, Ianonne…

Depois dos testes não consegui ter um panorama definitivo. Pilotos em recuperação de acidentes, muitos testes e também as equipes escondem o jogo até onde podem, tivemos mesmo que esperar a corrida para ter uma visão um pouco mais precisa do estado em que estão as coisas.

A Honda tem uma moto aprimorada, com boa velocidade final e um setup amplo o suficiente para atender Marc Marquez, Lorenzo, Crutchlow e Nakagami, todos diferentes em estilo. Andaram bem, botaram 2 no pódium e Nakagami foi bem, chegando em nono. Lorenzo hoje não podia fazer muito, já não estava 100% pois levou dois tombaços nos treinos, largou com dores e fora de competição.

A Ducati continua imbatível de potência, velocidade final e a cada refinamento vai se acertando nas curvas. Tem em Dovi um piloto rápido e experiente, metódico, que a cada vitória ganha mais moral. Seus outros pilotos também são rápidos, a moto evoluiu e vai continuar evoluindo rapidamente.

A Yamaha certamente melhorou, a moto anda bem e rápido na mão de qualquer um que coloque a mão nela, vide o excelente desempenho da nova equipe Petronas e seus calouros.

A Suzuki parece só precisar de um motor mais forte, e que isso não estrague o resto. Hoje fui surrada nas retas, e surrou nas curvas. Vale notar que  nunca funcionou no MotoGP, todas as tentativas de fazer motos boas de curva, mas ruins de reta não deram certo.

A KTM precisa melhorar, Zarco não se acertou com ela, nem ninguém.

A Aprilia parece estar no mesmo nível de 2018, mesmo com Espargaró dizendo que a moto melhorou bastante.

E vamos para a corrida de hoje… Os treinos foram inconclusivos, com Rossi e Lorenzo liderando o primeiro dia e no final nem conseguiram passar ao Q2. Marc Marquez barbarizou no segundo dia, mas não conseguiu a pole position, que foi para Viñales.

Veio a largada e tudo muito familiar. As Ducatis largando que nem foguetes (nem sei para que investir no holeshot device) e Maverick Viñales largando de marcha ré. Dovi pegou a ponta e começou a liderar com o seu estilo de ficar na ponta “o mais devagar possível”. Com a Ducati andando o que anda de reta, e conseguindo segurar as linhas apertadas nas curvas, é confortável para ele fazer isso, ele não some na ponta, fica ali virando apenas o que precisa para segurar-se na ponta e economizar equipamento. Seu parceiro nesta malandragem tem sido Marc Marquez, que fica por ali comboiando para atacar no final. As vezes funciona, as vezes não. Hoje não funcionou! Como não funcionou no ano passado na mesma pista. Dovi teve cabeça e moto para segurar a linha boa e dar motor para dispensar na reta. Mas reparem como a Honda melhorou, hoje quase deu ruim, tivessem mais uns metros a Honda iria passar.

Logo depois da largada as Suzukis vieram se recuperando, Com Rins e Mir. Em um certo momento Rins chegou a liderar, mas basta chegar na reta que ele é atropelado sem dó, não importando a agilidade e controle que ele consegue nas curvas. Enquanto isso Quartararo, que teve que largar do box porque moto morreu na largada da volta de apresentação, fazia a melhores voltas da prova, com Viñales e Rossi também subindo. Lorenzo lá atrás, Ianonne lá atrás, Zarco lá a atrás. Chegamos a pensar que as Yamahas viriam para a ponta, mas em certo momento Rossi é que se acertou, passou todo mundo e quase beliscou um pódium. Impressionante a corrida do Valentino Rossi e como isso complica a Yamaha. Sou da opinião de que o futuro da Yamaha está nos jovens pilotos, e que dar mais voz a Viñales faria a moto andar mais na frente… Fizeram isso e Lin Jarvis até sorriu com a pole pósiton, mas aí chega a corrida e quem é a melhor Yamaha no final? Rossi… aí é phod… Viñales vacila deixando o velho fazer isso, várias vezes, complica a Yamaha, complica ele mesmo. Quartararo é que teria assombrado, se larga de quinto, pois andou muito, virando tempos que nem os ponteiros viravam.

Com Dovi controlando o bonde, formou-se um grupo grande de pilotos, onde todos ficavam se preocupando entre eles e segurando o ritmo. Faltando duas voltas finalmente Marc Marquez botou todas as cartas na mesa, com o mesmo acontecendo com Dovi. Um repeteco do ano passado. Marc se enfia no micro buraco que sempre aparece no apex, mas como é impossível fazer isso sem perder o “momentum”, Dovi e sua Ducati tem como segurar a linha boa e dar o X. Tudo acontece muito rápido e só funciona porque eles são muito bons, confiam um no outro, é parada de alto nível.

No final Dovi vence por um pentelho, igualzinho ao ano passado, e Cal Crutchlow dispensou a Suzuki para conseguir um merecido pódium, após suas cirurgias difíceis. Rins também merecia o pódium, uma pena que só 3 podem subir… Rossi em um incrível quinto lugar, devido as circunstâncias, e Petrux em sexto. A TV mostrou uma imagem dele (Petrux) meio catatônico sentado no box no final da prova, extenuado. E ainda levou uma passada do velho no final.

Mais uma vez Rossi treinou mal mas na corrida fez diferença, é excepcional.

Vejam como ficou:

  1. Andrea Dovizioso ITA Ducati Team (Desmosedici GP19) 42m 36.902s
  2. Marc Marquez ESP Repsol Honda (RC213V) 42m 36.925s
  3. Cal Crutchlow GBR LCR Honda (RC213V) 42m 37.222s
  4. Alex Rins ESP Suzuki Ecstar (GSX-RR) 42m 37.359s
  5. Valentino Rossi ITA Monster Yamaha (YZR-M1) 42m 37.502s
  6. Danilo Petrucci ITA Ducati Team (Desmosedici GP19) 42m 39.222s
  7. Maverick Viñales ESP Monster Yamaha (YZR-M1) 42m 39.383s
  8. Joan Mir SPA Suzuki Ecstar (GSX-RR)* 42m 41.990s
  9. Takaaki Nakagami JPN LCR Honda (RC213V) 42m 44.308s
  10. Aleix Espargaro ESP Factory Aprilia Gresini (RS-GP) 42m 46.538s
  11. Franco Morbidelli ITA Petronas Yamaha SRT (YZR-M1) 42m 46.549s
  12. Pol Espargaro ESP Red Bull KTM Factory (RC16) 42m 49.676s
  13. Jorge Lorenzo ESP Repsol Honda (RC213V) 42m 51.209s
  14. Andrea Iannone ITA Factory Aprilia Gresini (RS-GP) 42m 51.251s
  15. Johann Zarco FRA Red Bull KTM Factory (RC16) 42m 51.995s
  16. Fabio Quartararo FRA Petronas Yamaha SRT (YZR-M1)* 42m 52.807s
  17. Miguel Oliveira POR Red Bull KTM Tech3 (RC16)* 42m 53.279s
  18. Karel Abraham CZE Reale Avintia (Desmosedici GP18) 42m 59.874s
  19. Tito Rabat ESP Reale Avintia (Desmosedici GP18) 42m 59.941s
  20. Hafizh Syahrin MAL Red Bull KTM Tech3 (RC16) 43m 20.144s
    Bradley Smith GBR Factory Aprilia Gresini (RS-GP) DNF
    Jack Miller AUS Pramac Ducati (Desmosedici GP19) DNF
    Francesco Bagnaia ITA Pramac Ducati (Desmosedici GP18)* DNF

É isso que faz o MotoGP tão legal, tem muita margem para o imprevisível, são muitas histórias juntas. Cada equipe, cada piloto, tem uma história e um drama.

Vimos a corrida com uma pequena galera e foi muito divertido, torcemos bastante. Foi bela a vitória do Dovi, previsível. Largou de segundo, ganhador do ano passado. Teremos um grande campeonato pela frente, pois Marc Marquez chega em segundo rindo, feliz da vida, marca muitos pontos sempre e no final leva a taça.

Vamos aguardar Lorenzo melhorar, a KTM melhorar.

Abraços
Mário Barreto